Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

China planeja sanções contra fornecedores de armas dos EUA por venda a Taiwan



26/10/2020 | 09:00


O governo da China disse nesta segunda-feira, 26, que vai impor sanções a fornecedores de armas dos EUA, incluindo a unidade de defesa da Boeing e a Lockheed Martin, por terem fechado um contrato de venda com Taiwan. A Raytheon Technologies e "indivíduos americanos relevantes" ligados à venda também serão punidos, afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian. Ele não detalhou as possíveis penalidades e também não disse quando serão aplicadas.

"A fim de salvaguardar os interesses nacionais, a China decidiu impor sanções às empresas americanas envolvidas na venda de armas a Taiwan", disse Zhao. Taiwan é considerada por Pequim como parte do território chinês. Na semana passada, o Departamento de Estado dos EUA aprovou o contrato com Taiwan, que prevê a venda de armas e equipamentos por cerca de US$ 1,8 bilhão.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China planeja sanções contra fornecedores de armas dos EUA por venda a Taiwan


26/10/2020 | 09:00


O governo da China disse nesta segunda-feira, 26, que vai impor sanções a fornecedores de armas dos EUA, incluindo a unidade de defesa da Boeing e a Lockheed Martin, por terem fechado um contrato de venda com Taiwan. A Raytheon Technologies e "indivíduos americanos relevantes" ligados à venda também serão punidos, afirmou o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês, Zhao Lijian. Ele não detalhou as possíveis penalidades e também não disse quando serão aplicadas.

"A fim de salvaguardar os interesses nacionais, a China decidiu impor sanções às empresas americanas envolvidas na venda de armas a Taiwan", disse Zhao. Taiwan é considerada por Pequim como parte do território chinês. Na semana passada, o Departamento de Estado dos EUA aprovou o contrato com Taiwan, que prevê a venda de armas e equipamentos por cerca de US$ 1,8 bilhão.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;