Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Assassinatos aumentam 58,82% em Santo André


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

01/11/2008 | 07:03


Os homicídios em Santo André aumentaram 58,82% entre janeiro e setembro deste ano em comparação com igual período de 2007. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Os números de assassinatos em Santo André superam a média obtida na região - que ficou estagnada em 254 mortes - bem como os índices obtidos na Capital (redução de 19,96%) e em todo o Estado (queda de 12,45%).

O alto índice de letalidade foi puxado pelo segundo trimestre deste ano, período em que a cidade registrou 30 homicídios contra 14 em 2007. O terceiro trimestre deste ano manteve a média do ano passado, com 21 assassinatos.

O delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos, responsável também por Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, disse que a maioria das mortes registradas em 2008 está relacionada ao tráfico de drogas.

"É impossível negar o aumento das mortes nesse tipo de ambiente. Desde o término do segundo trimestre estamos traçando metas para diminuir o índice", afirmou o delegado.

Entre as medidas elencadas estão o policiamento preventivo em áreas de maior risco, em parceria com a Polícia Militar, além da solicitação de ajuda do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

O órgão tem uma equipe especializada em investigar chacinas, algumas delas ocorridas na região. "O aumento do número de esclarecimentos inibe futuros assassinatos. Os eventuais criminosos ficam com medo de serem punidos", disse o delegado.

Outro destaque nos dados divulgados ontem pelo governo foi o aumento de 12,32% de roubos em todo Grande ABC. Foram 13.761 casos nos primeiros nove meses de 2007 ante 15.457 ocorrências neste ano.

A cidade da região que mais apresentou aumento nesse tipo de crime foi Ribeirão Pires, com acréscimo de 33,57%.

Em seguida aparecem Rio Grande da Serra (26,82%), Diadema (22,95%), São Caetano (21,32%) e São Bernardo (17,54%).

Apesar destas taxas mostrarem aumento da violência na região, no quesito roubos e furtos de veículos o panorama foi diferente.

Foram registradas quedas em todas as cidades da região, com destaque para Mauá (-15,77%) e São Caetano (-14,11%).

A reportagem solicitou informações ao comando da PM no Grande ABC sobre os índices, mas não teve o pedido atendido. O comando disse apenas que está analisando os números e que irá se manifestar "oportunamente".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Assassinatos aumentam 58,82% em Santo André

Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

01/11/2008 | 07:03


Os homicídios em Santo André aumentaram 58,82% entre janeiro e setembro deste ano em comparação com igual período de 2007. Os dados foram divulgados ontem pela Secretaria de Estado de Segurança Pública.

Os números de assassinatos em Santo André superam a média obtida na região - que ficou estagnada em 254 mortes - bem como os índices obtidos na Capital (redução de 19,96%) e em todo o Estado (queda de 12,45%).

O alto índice de letalidade foi puxado pelo segundo trimestre deste ano, período em que a cidade registrou 30 homicídios contra 14 em 2007. O terceiro trimestre deste ano manteve a média do ano passado, com 21 assassinatos.

O delegado seccional de Santo André, Luiz Carlos dos Santos, responsável também por Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, disse que a maioria das mortes registradas em 2008 está relacionada ao tráfico de drogas.

"É impossível negar o aumento das mortes nesse tipo de ambiente. Desde o término do segundo trimestre estamos traçando metas para diminuir o índice", afirmou o delegado.

Entre as medidas elencadas estão o policiamento preventivo em áreas de maior risco, em parceria com a Polícia Militar, além da solicitação de ajuda do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa).

O órgão tem uma equipe especializada em investigar chacinas, algumas delas ocorridas na região. "O aumento do número de esclarecimentos inibe futuros assassinatos. Os eventuais criminosos ficam com medo de serem punidos", disse o delegado.

Outro destaque nos dados divulgados ontem pelo governo foi o aumento de 12,32% de roubos em todo Grande ABC. Foram 13.761 casos nos primeiros nove meses de 2007 ante 15.457 ocorrências neste ano.

A cidade da região que mais apresentou aumento nesse tipo de crime foi Ribeirão Pires, com acréscimo de 33,57%.

Em seguida aparecem Rio Grande da Serra (26,82%), Diadema (22,95%), São Caetano (21,32%) e São Bernardo (17,54%).

Apesar destas taxas mostrarem aumento da violência na região, no quesito roubos e furtos de veículos o panorama foi diferente.

Foram registradas quedas em todas as cidades da região, com destaque para Mauá (-15,77%) e São Caetano (-14,11%).

A reportagem solicitou informações ao comando da PM no Grande ABC sobre os índices, mas não teve o pedido atendido. O comando disse apenas que está analisando os números e que irá se manifestar "oportunamente".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;