Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Catador encontra feto em saco de lixo


Elaine Granconato e Henrique Munhos

13/05/2011 | 07:26


Uma toalha seminova do Homem- Aranha levou o catador de lixo Rosival Alves da Silva, 34 anos, pai de três filhos e morador no Parque Santo Antônio, região do bairro Paulicéia, em São Bernardo, a encontrar um feto dentro de um saco preto de lixo, anteontem à noite. Com o cordão umbilical e a placenta, já sem vida e ensanguentado, o embrião estava nos fundos do posto de combustíveis que fica nas proximidades do anel viário metropolitano.

História semelhante ocorreu há quase um mês, na Praia Grande, Litoral Sul, onde a recém-nascida Maria Eduarda também foi abandonada pela mãe em sacola plástica, dentro de uma caçamba. O bebê, de apenas dez dias, sobreviveu e hoje vive sob a guarda da tia materna Roseane de Salles de Lins, 40 anos, residente em Mauá.

O caso de São Bernardo não teve final feliz. "Fiquei apavorado ao ver aquele bebê enrolado em uma toalha", afirmou, emocionado, Silva, pai de Vinícios, 14 anos, Vitória, 11, e Lucas, 4. Aposentado por invalidez há cerca de 15 anos, o catador caminha diariamente em busca de latinhas de alumínio para sobreviver. A mulher, Lucinete Alves Coutinho, é diarista. "Mesmo na dificuldade, jamais faria maldade assim", completou.

Em um primeiro momento, Silva, em busca de latinhas no saco, ficou atraído pela toalha do Homem-Aranha. "Meu filho gosta e pensei em levar para a casa, já que estava novinha. O cheiro ruim era forte e começei a remexer, quando achei o feto enrolado em outra toalha", contou. O fato ocorreu por volta das das 21h30.

Sem saber o que fazer, a primeira reação do catador foi chamar os funcionários do posto. Porém, a Polícia Militar foi acionada pelo celular de um funcionário da Mercedes-Benz, que passava pelo local. O feto, com cerca de 30 centímetros, foi levado para o Instituto Médico-Legal.

 

Polícia vai analisar câmeras de posto

 

O delegado do 5º Distrito Policial de São Bernardo Paulo Negrão disse ontem que analisará as imagens registradas por duas câmeras instaladas no posto de combustíveis. Ainda não existe indícios de quem possa ter deixado o embrião no local.

Outra providência será a análise de material do feto para realização de exame de DNA.

Para a Polícia Militar, o feto aparentava ter entre seis e sete meses de gestação, além de medir aproximadamente 30 centímetros.

No posto, o gerente Robson de Lima, 25 anos, descartou ter visto alguma movimentação estranha nos últimos dias. "A gente só vai lá atrás quando vamos deixar os sacos de lixos ou utilizar os vestiários. Fora isso não tem como a gente ver quem passa por ali", explicou Lima.

 

EM MAUÁ

No sábado, um recém-nascido foi encontrado morto no aterro sanitário Lara. Segundo a Polícia Militar, o bebê estava sem a perna esquerda e com ferimentos no crânio e no ventre.

A equipe do Diário ligou ontem para o aterro para falar com o funcionário que encontrou o recém-nascido, mas ele não estava no local. Até o momento, a polícia civil ainda não identificou a pessoa que abandonou o bebê.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;