Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Câmara de Mauá decide reformar telhado de novo

Legislativo alega necessidade de reforma por causa de vazamentos na estrutura


Junior Carvalho
do Diário do Grande ABC

11/05/2020 | 07:01


A Câmara de Mauá, presidida por Vanderley Cavalcante da Silva, o Neycar (SD), contratou a empresa O.A.F. Projetos e Obras Ltda, por R$ 290,1 mil, para executar obras no telhado da sede da casa para captação de água da chuva. O acordo foi assinado por meio de carta-convite, ou seja, sem licitação, e ocorre à revelia das medidas financeiras adotadas por agentes públicos para concentrar despesas no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Publicado no Diário Oficial, o contrato com a firma, com sede em Mauá, não registra detalhes das intervenções, mas apenas a minuta do acordo. Ao Diário, o Legislativo mauaense alegou que a reforma já estava programada “tendo em vista que a casa vinha apresentando vazamento em sua estrutura”. A direção da Câmara de Mauá informou que, justamente por causa da pandemia, antecipou a devolução de recursos ao Paço, na ordem de R$ 900 mil, oriundos dos repasses feitos pelo Executivo, para auxílio no combate à doença na cidade.

Em fevereiro, o Diário mostrou que a Câmara de Mauá provisionou R$ 700 mil para custear reformas no prédio da casa durante o atual exercício. O volume representa 2% do total do orçamento original do Legislativo, que pode ficar comprometido justamente por conta do estorno de parte do duodécimo ao governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB).

O novo contrato para reforma do telhado ocorre cinco anos depois de a casa despender recursos para esse mesmo tipo de intervenção. Em 2015, quando a Câmara mauaense era presidida pelo vereador Marcelo Oliveira (PT), foram gastos R$ 115,4 mil para trocar o telhado do edifício. O contrato foi assinado com a Nisag Construções e Negócios.

Mais recentemente, em 2018, a sede do parlamento passou por obras que visavam a construção de entrada de pedestres no hall de entrada da sede do Legislativo, com acesso à Avenida João Ramalho. O acordo também foi assinado sem licitação e por meio de carta-convite. Na época, a casa era presidida por Admir Jacomussi (PRP).  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;