Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Plantas evitarão travessia perigosa na Imigrantes


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

22/11/2012 | 07:00


Para evitar que pedestres atravessem fora das passarelas, a concessionária Ecovias irá plantar 50 mil mudas no canteiro central da Rodovia dos Imigrantes. A cerca viva será implantada junto às grades, entre o km 12 e o km 26. O objetivo principal é diminuir o número de atropelamentos.

A espécie escolhida para o plantio foi a sansão-do-campo (Mimosa caesalpineafolia), vegetal que, em dois anos, atinge altura de seis a nove metros. A planta possui galhos altos e espinhos, o que dificulta a passagem. "No ano passado, tivemos muitas mortes de pessoas atropeladas. A cerca viva inibe a travessia irregular", explica o coordenador de Planejamento da Ecovias, Ronald Marangon.

Segundo a concessionária, das 114 mortes registradas no Sistema Anchieta-Imigrantes em 2011, 35 foram por atropelamento, sendo que 19% ocorreram a menos de 100 metros da passarela.

Marangon informa que, além de evitar os cruzamentos em nível, as plantas previnem os motoristas contra o ofuscamento provocado pelos faróis dos veículos que trafegam no sentido contrário. "Além disso, em caso de um automóvel ou caminhão perder o controle, a vegetação amortece o impacto e diminui o risco de invasão à contramão", acrescenta.

O plantio das novas mudas foi iniciado no começo do mês e deve ser concluído até o dia 30. Antes disso, a concessionária havia plantado cerca de 35 mil exemplares na mesma rodovia, mas em pontos isolados. Após a instalação do sistema, a empresa irá avaliar a possibilidade de levar a iniciativa ao trecho de Baixada da Imigrantes e ao planalto da Via Anchieta.

RESSALVAS

O professor de Engenharia da FEI (Fundação Educacional Inaciana) Creso Peixoto, especialista em transportes, avalia que a cerca viva pode trazer problemas aos motoristas. "Próximo de vias públicas, principalmente com alto limite de velocidade, não é recomendada a presença de vegetação arbórea." Segundo ele, as plantas podem comprometer a visão e, em alguns casos, provocar distração nos condutores.

Em caso de perda de controle, Peixoto discorda da informação de que a cerca viva diminua o risco de morte. "Em caso de acidente, ao invés de o impacto ser absorvido, a colisão com a árvore pode provocar vítimas fatais". Outro ponto destacado é que a vegetação pode ser aberta por pedestres para a travessia. "A solução pode ser interessante para deixar a via mais bonita", comenta.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Plantas evitarão travessia perigosa na Imigrantes

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

22/11/2012 | 07:00


Para evitar que pedestres atravessem fora das passarelas, a concessionária Ecovias irá plantar 50 mil mudas no canteiro central da Rodovia dos Imigrantes. A cerca viva será implantada junto às grades, entre o km 12 e o km 26. O objetivo principal é diminuir o número de atropelamentos.

A espécie escolhida para o plantio foi a sansão-do-campo (Mimosa caesalpineafolia), vegetal que, em dois anos, atinge altura de seis a nove metros. A planta possui galhos altos e espinhos, o que dificulta a passagem. "No ano passado, tivemos muitas mortes de pessoas atropeladas. A cerca viva inibe a travessia irregular", explica o coordenador de Planejamento da Ecovias, Ronald Marangon.

Segundo a concessionária, das 114 mortes registradas no Sistema Anchieta-Imigrantes em 2011, 35 foram por atropelamento, sendo que 19% ocorreram a menos de 100 metros da passarela.

Marangon informa que, além de evitar os cruzamentos em nível, as plantas previnem os motoristas contra o ofuscamento provocado pelos faróis dos veículos que trafegam no sentido contrário. "Além disso, em caso de um automóvel ou caminhão perder o controle, a vegetação amortece o impacto e diminui o risco de invasão à contramão", acrescenta.

O plantio das novas mudas foi iniciado no começo do mês e deve ser concluído até o dia 30. Antes disso, a concessionária havia plantado cerca de 35 mil exemplares na mesma rodovia, mas em pontos isolados. Após a instalação do sistema, a empresa irá avaliar a possibilidade de levar a iniciativa ao trecho de Baixada da Imigrantes e ao planalto da Via Anchieta.

RESSALVAS

O professor de Engenharia da FEI (Fundação Educacional Inaciana) Creso Peixoto, especialista em transportes, avalia que a cerca viva pode trazer problemas aos motoristas. "Próximo de vias públicas, principalmente com alto limite de velocidade, não é recomendada a presença de vegetação arbórea." Segundo ele, as plantas podem comprometer a visão e, em alguns casos, provocar distração nos condutores.

Em caso de perda de controle, Peixoto discorda da informação de que a cerca viva diminua o risco de morte. "Em caso de acidente, ao invés de o impacto ser absorvido, a colisão com a árvore pode provocar vítimas fatais". Outro ponto destacado é que a vegetação pode ser aberta por pedestres para a travessia. "A solução pode ser interessante para deixar a via mais bonita", comenta.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;