Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Istambul na telinha

Cidade turca é cenário da novela 'Salve Jorge' e é repleta
de mesquitas, bazares, balões e paisagens impressionantes


Eliane de Souza
Do Diário do Grande ABC

22/11/2012 | 07:41


A novela Salve Jorge ocupou o horário nobre da TV com mais uma história de amor escrita por Glória Perez, com direito a novos bordões e mais um destino exótico a ser descoberto. O cenário da vez é a Turquia, que deve influenciar as viagens de férias dos brasileiros tanto quanto o colar de sal grosso usado pela vilã Wanda (Totia Meireles), que se tornou o item mais solicitado no comércio popular da Rua 25 de Março, em São Paulo.

Salve Jorge conta a saga de Morena (Nanda Costa), moradora do Complexo do Alemão, no Rio, que interrompeu os planos de seguir carreira artística por conta da gravidez precoce. Alguns anos depois, ela recebe proposta para trabalhar na Europa. Porém, a decisão a obrigará a se afastar de seu grande amor, Theo (Rodrigo Lombardi), devoto fiel de São Jorge e cavaleiro do Exército. Mal sabe a moça que se tornará vítima de uma perigosa rede internacional de tráfico de pessoas.

Apesar do toque dramático, o calvário da protagonista é encenado em um dos locais mais belos do planeta, de encontro entre o Ocidente e o Oriente, onde as tradições convivem em harmonia com a modernidade. O país é repleto de mesquitas, bazares, balões e paisagens impressionantes.

Istambul é a pedida ideal para começar a descortinar o destino. Povoada desde o ano 9.000 a.C., a cidade foi capital das civilizações romana, bizantina e otomana. Pertence a dois continentes - europeu e asiático - unida por ponte sobre o estreito de Bósforo.

Por conta de quatro voos semanais entre São Paulo e Istambul, o número de brasileiros só aumenta. Em 2004, os turcos recebiam de 4.000 a 6.000 turistas brasileiros por ano. Mas, por conta da conexão direta, a expectativa é de encerrar 2012 com 100 mil passaportes brasileiros carimbados, segundo o presidente do Centro Cultural Brasil-Turquia, Mustafá Goktepe.

O roteiro preferido dos brasileiros inclui tarde de compras no Gran Bazar. Com mais de 4.500 lojas, o complexo recebe cerca de 15 mil turistas por dia. Na wish list estão joias, confecções, roupas de bailarinas de dança do ventre, esculturas em madeira e marfim, porcelanas, peças decorativas de ônix e narguilés. No Brasil existe a fama injusta de que os turcos são avarentos. Não se engane: eles adoram negociar e pechinchar. Faz parte do negócio.

 

Por dentro das mesquitas

A maioria dos visitantes fica imediatamente impressionada com a quantidade de mesquitas que dominam a paisagem. Embora seja um Estado laico, 99% da população é muçulmana. Diversas mesquitas foram inicialmente erguidas como templos cristãos e convertidas à fé islâmica após a conquista otomana. Mas algumas são consideradas monumentos nacionais e não têm mais função religiosa.

É possível visitar muitas das mesquitas de Istambul. Quem não é muçulmano, no entanto, deve evitar os horários de oração, que ocorrem cinco vezes ao dia. É preciso tirar os sapatos para entrar nos templos e cobrir tanto ombros quanto joelhos. As mulheres também devem esconder os cabelos. Por isso, é sempre recomendável levar um lenço fino na bolsa. Não é permitido comer, fotografar com flash nem se aproximar muito dos fiéis.

A mais famosa é a Mesquita Azul. Construída em 1617, tem este nome por conta dos mais de 20 mil azulejos azuis que decoram a parte superior e as cúpulas internas. O edifício tem 260 janelas e a cúpula, de 23,5 metros de diâmetro, atinge 43 metros de altura, sustentada por quatro colunas grossas.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Istambul na telinha

Cidade turca é cenário da novela 'Salve Jorge' e é repleta
de mesquitas, bazares, balões e paisagens impressionantes

Eliane de Souza
Do Diário do Grande ABC

22/11/2012 | 07:41


A novela Salve Jorge ocupou o horário nobre da TV com mais uma história de amor escrita por Glória Perez, com direito a novos bordões e mais um destino exótico a ser descoberto. O cenário da vez é a Turquia, que deve influenciar as viagens de férias dos brasileiros tanto quanto o colar de sal grosso usado pela vilã Wanda (Totia Meireles), que se tornou o item mais solicitado no comércio popular da Rua 25 de Março, em São Paulo.

Salve Jorge conta a saga de Morena (Nanda Costa), moradora do Complexo do Alemão, no Rio, que interrompeu os planos de seguir carreira artística por conta da gravidez precoce. Alguns anos depois, ela recebe proposta para trabalhar na Europa. Porém, a decisão a obrigará a se afastar de seu grande amor, Theo (Rodrigo Lombardi), devoto fiel de São Jorge e cavaleiro do Exército. Mal sabe a moça que se tornará vítima de uma perigosa rede internacional de tráfico de pessoas.

Apesar do toque dramático, o calvário da protagonista é encenado em um dos locais mais belos do planeta, de encontro entre o Ocidente e o Oriente, onde as tradições convivem em harmonia com a modernidade. O país é repleto de mesquitas, bazares, balões e paisagens impressionantes.

Istambul é a pedida ideal para começar a descortinar o destino. Povoada desde o ano 9.000 a.C., a cidade foi capital das civilizações romana, bizantina e otomana. Pertence a dois continentes - europeu e asiático - unida por ponte sobre o estreito de Bósforo.

Por conta de quatro voos semanais entre São Paulo e Istambul, o número de brasileiros só aumenta. Em 2004, os turcos recebiam de 4.000 a 6.000 turistas brasileiros por ano. Mas, por conta da conexão direta, a expectativa é de encerrar 2012 com 100 mil passaportes brasileiros carimbados, segundo o presidente do Centro Cultural Brasil-Turquia, Mustafá Goktepe.

O roteiro preferido dos brasileiros inclui tarde de compras no Gran Bazar. Com mais de 4.500 lojas, o complexo recebe cerca de 15 mil turistas por dia. Na wish list estão joias, confecções, roupas de bailarinas de dança do ventre, esculturas em madeira e marfim, porcelanas, peças decorativas de ônix e narguilés. No Brasil existe a fama injusta de que os turcos são avarentos. Não se engane: eles adoram negociar e pechinchar. Faz parte do negócio.

 

Por dentro das mesquitas

A maioria dos visitantes fica imediatamente impressionada com a quantidade de mesquitas que dominam a paisagem. Embora seja um Estado laico, 99% da população é muçulmana. Diversas mesquitas foram inicialmente erguidas como templos cristãos e convertidas à fé islâmica após a conquista otomana. Mas algumas são consideradas monumentos nacionais e não têm mais função religiosa.

É possível visitar muitas das mesquitas de Istambul. Quem não é muçulmano, no entanto, deve evitar os horários de oração, que ocorrem cinco vezes ao dia. É preciso tirar os sapatos para entrar nos templos e cobrir tanto ombros quanto joelhos. As mulheres também devem esconder os cabelos. Por isso, é sempre recomendável levar um lenço fino na bolsa. Não é permitido comer, fotografar com flash nem se aproximar muito dos fiéis.

A mais famosa é a Mesquita Azul. Construída em 1617, tem este nome por conta dos mais de 20 mil azulejos azuis que decoram a parte superior e as cúpulas internas. O edifício tem 260 janelas e a cúpula, de 23,5 metros de diâmetro, atinge 43 metros de altura, sustentada por quatro colunas grossas.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;