Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Jair da Farmácia admite não entender de política


Mark Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

19/11/2012 | 07:00


"Sou franco. De política não entendo nada." A fala é do vereador eleito de Mauá Jair de Oliveira, o Jair da Farmácia (PMDB). O peemedebista, 66, debutará na vida pública em 1º de janeiro, quando tomará posse na condição de parlamentar mais velho entre os 23 da próxima legislatura.

Jair nasceu em São José do Mato Dentro, distrito de Ouro Fino, em Minas Gerais - apesar de ter sido registrado em Crisólia. Começou a trabalhar em farmácias aos 13 anos. Com mais de cinco décadas de atuação no ramo, tornou-se uma das figuras mais populares de Mauá. Alguns o chamam até de pajé.

Na longa trajetória, no entanto, nunca se misturou com política. Só foi candidato neste ano para atender pedido feito pelo ex-prefeito Leonel Damo (PMDB), a quem define como "amigo e cliente de muitos anos". O ex-chefe do Executivo mantém escritório aberto na Rua Dom José Gaspar próximo à farmácia que já foi de Jair. O futuro vereador vendeu o estabelecimento, mas continuou trabalhando no local até setembro.

Pela popularidade, o peemedebista diz que sequer precisou fazer campanha para receber os 3.462 votos, o que o colocou como o mais votado do PMDB à Câmara e o quinto no quadro geral. De fato, nenhuma placa com sua candidatura foi vista na cidade. "Atendi muita gente. Antigamente a pessoa primeiro vinha na farmácia para depois ir ao hospital", afirma, justificando a votação expressiva.

Por não ter experiência na vida pública, Jair ostenta discurso espontâneo. Diz, inclusive, não ter perspectivas sobre o cenário que encontrará na Câmara. "Estou no prezinho. Sou um neném. Vou apanhar um pouco no começo e ver se dá certo. Se não der, volto para a farmácia."

TIRIRICA

De certo modo, as declarações de Jair da Farmácia remetem às falas que ajudaram a eleger Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR), como o deputado federal mais votado em 2010 - recebeu mais de 1,3 milhão de sufrágios. Sob o slogan ‘Pior que ta não fica', o palhaço fez piada na campanha e disse que não sabia quais eram as atribuições parlamentares.

O vereador eleito descarta a comparação lembrando que não fez campanha e que, portanto, não se promoveu politicamente através do humor. As falas do peemedebista podem ser creditadas à ingenuidade política.

DEBUTE TARDIO

Com os 66 anos completados dia 6, Jair supera em idade até mesmo Admir Jacomussi (PRP), político tradicional de Mauá e que assumirá em janeiro o seu oitavo mandato na Câmara aos 64 anos. Pelo debute tardio o peemedebista diz que "chegará de mansinho" no Legislativo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Jair da Farmácia admite não entender de política

Mark Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

19/11/2012 | 07:00


"Sou franco. De política não entendo nada." A fala é do vereador eleito de Mauá Jair de Oliveira, o Jair da Farmácia (PMDB). O peemedebista, 66, debutará na vida pública em 1º de janeiro, quando tomará posse na condição de parlamentar mais velho entre os 23 da próxima legislatura.

Jair nasceu em São José do Mato Dentro, distrito de Ouro Fino, em Minas Gerais - apesar de ter sido registrado em Crisólia. Começou a trabalhar em farmácias aos 13 anos. Com mais de cinco décadas de atuação no ramo, tornou-se uma das figuras mais populares de Mauá. Alguns o chamam até de pajé.

Na longa trajetória, no entanto, nunca se misturou com política. Só foi candidato neste ano para atender pedido feito pelo ex-prefeito Leonel Damo (PMDB), a quem define como "amigo e cliente de muitos anos". O ex-chefe do Executivo mantém escritório aberto na Rua Dom José Gaspar próximo à farmácia que já foi de Jair. O futuro vereador vendeu o estabelecimento, mas continuou trabalhando no local até setembro.

Pela popularidade, o peemedebista diz que sequer precisou fazer campanha para receber os 3.462 votos, o que o colocou como o mais votado do PMDB à Câmara e o quinto no quadro geral. De fato, nenhuma placa com sua candidatura foi vista na cidade. "Atendi muita gente. Antigamente a pessoa primeiro vinha na farmácia para depois ir ao hospital", afirma, justificando a votação expressiva.

Por não ter experiência na vida pública, Jair ostenta discurso espontâneo. Diz, inclusive, não ter perspectivas sobre o cenário que encontrará na Câmara. "Estou no prezinho. Sou um neném. Vou apanhar um pouco no começo e ver se dá certo. Se não der, volto para a farmácia."

TIRIRICA

De certo modo, as declarações de Jair da Farmácia remetem às falas que ajudaram a eleger Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca (PR), como o deputado federal mais votado em 2010 - recebeu mais de 1,3 milhão de sufrágios. Sob o slogan ‘Pior que ta não fica', o palhaço fez piada na campanha e disse que não sabia quais eram as atribuições parlamentares.

O vereador eleito descarta a comparação lembrando que não fez campanha e que, portanto, não se promoveu politicamente através do humor. As falas do peemedebista podem ser creditadas à ingenuidade política.

DEBUTE TARDIO

Com os 66 anos completados dia 6, Jair supera em idade até mesmo Admir Jacomussi (PRP), político tradicional de Mauá e que assumirá em janeiro o seu oitavo mandato na Câmara aos 64 anos. Pelo debute tardio o peemedebista diz que "chegará de mansinho" no Legislativo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;