Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 10 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

AES Eletropaulo faz blitz de
segurança em São Bernardo

Ação alerta moradores sobre os perigos do contato com
a rede elétrica; a iniciativa percorreu vários bairros ontem


Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

18/11/2012 | 07:00


Conscientizar a população sobre os perigos da rede elétrica. Esse é o objetivo da blitz de segurança da AES Eletropaulo, que percorreu ontem vários bairros de São Bernardo. A iniciativa faz parte da campanha Conscientizar para Salvar Vidas, que há dois anos e meio atua nas áreas de concessão.

O Diário acompanhou equipe que circulou pelas ruas do bairro Ferrazópolis e abordou, principalmente, funcionários da construção civil para exibir vídeo de dois minutos sobre alertas, perigos e consequências de quem entra em contato com os fios elétricos.

Para o gerente de segurança do trabalho da AES Eletropaulo, Alexandre Piedemonte, muitos desconhecem os riscos. "As pessoas só lembram dos benefícios da eletricidade e esquecem os malefícios. É preciso manter distanciamento mínimo de 1,20 m dos fios para evitar acidentes", ressalta.

Para se ter ideia do perigo, pela rede de alta tensão, a parte mais alta do poste, passam 13 mil volts. Entrar em contato com os fios pode causar choques, queimaduras, mutilações e até levar a morte.

Segundo o gerente, o desafio é fazer com que a população saiba que não se deve, por exemplo, construir próximo à rede elétrica, subir em árvores nessas áreas e nem empinar pipa em meio a fios. "Essa conscientização tem de ser passada de geração para geração."

ATENÇÃO REDOBRADA

O eletricista José Benedito Vieira, 56 anos, sempre toma cuidado enquanto trabalha. "Aprendi na prática, mas fiz questão de fazer curso para ter mais conhecimento e saber dos ricos que corro", diz Vieira, que trabalha há 37 anos na área. 
A ronda não aborda apenas adultos. Enquanto se divertia soltando pipa, Cristopher de Oliveira, 13, afirmou que tem consciência que o melhor lugar para brincar é longe da rede elétrica. "Sei que pode ser perigoso." Outra recomendação da AES Eletropaulo é nunca tentar retirar a pipa enroscada nos fios.

Ao contrário do adolescente, muitos não tomam esse cuidado. A atendente de enfermagem Sebastiana Alves, 66, lembra que há alguns anos um garoto do bairro tentou tirar a pipa presa nos fios. "Ele cutucou com um pedaço de madeira (material condutor de eletricidade) e acabou recebendo descarga elétrica. Ele perdeu os dois braços", afirma.

Enquanto os funcionários esclareciam dúvidas, moradores relatavam exemplos de pessoas que não tomaram cuidados suficientes e sofreram as consequências.

O conferente Edson Aparecido Amaral, 50, conta que um amigo também perdeu os dois braços depois de entrar em contato com a rede elétrica. "Ele estava com uma régua de pedreiro quando atingiu a rede. A população precisa ter consciência dos perigos. Muitos acreditam que nunca vão acontecer com eles. Por isso, iniciativas como essa são importantes e tem que ser feitas mais vezes", afirma.

No próximo sábado a blitz acontece em Mauá, em ruas dos bairros Parque das Américas, Jardim Quarto Centenário e Jardim Itapark.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

AES Eletropaulo faz blitz de
segurança em São Bernardo

Ação alerta moradores sobre os perigos do contato com
a rede elétrica; a iniciativa percorreu vários bairros ontem

Bruna Gonçalves
Do Diário do Grande ABC

18/11/2012 | 07:00


Conscientizar a população sobre os perigos da rede elétrica. Esse é o objetivo da blitz de segurança da AES Eletropaulo, que percorreu ontem vários bairros de São Bernardo. A iniciativa faz parte da campanha Conscientizar para Salvar Vidas, que há dois anos e meio atua nas áreas de concessão.

O Diário acompanhou equipe que circulou pelas ruas do bairro Ferrazópolis e abordou, principalmente, funcionários da construção civil para exibir vídeo de dois minutos sobre alertas, perigos e consequências de quem entra em contato com os fios elétricos.

Para o gerente de segurança do trabalho da AES Eletropaulo, Alexandre Piedemonte, muitos desconhecem os riscos. "As pessoas só lembram dos benefícios da eletricidade e esquecem os malefícios. É preciso manter distanciamento mínimo de 1,20 m dos fios para evitar acidentes", ressalta.

Para se ter ideia do perigo, pela rede de alta tensão, a parte mais alta do poste, passam 13 mil volts. Entrar em contato com os fios pode causar choques, queimaduras, mutilações e até levar a morte.

Segundo o gerente, o desafio é fazer com que a população saiba que não se deve, por exemplo, construir próximo à rede elétrica, subir em árvores nessas áreas e nem empinar pipa em meio a fios. "Essa conscientização tem de ser passada de geração para geração."

ATENÇÃO REDOBRADA

O eletricista José Benedito Vieira, 56 anos, sempre toma cuidado enquanto trabalha. "Aprendi na prática, mas fiz questão de fazer curso para ter mais conhecimento e saber dos ricos que corro", diz Vieira, que trabalha há 37 anos na área. 
A ronda não aborda apenas adultos. Enquanto se divertia soltando pipa, Cristopher de Oliveira, 13, afirmou que tem consciência que o melhor lugar para brincar é longe da rede elétrica. "Sei que pode ser perigoso." Outra recomendação da AES Eletropaulo é nunca tentar retirar a pipa enroscada nos fios.

Ao contrário do adolescente, muitos não tomam esse cuidado. A atendente de enfermagem Sebastiana Alves, 66, lembra que há alguns anos um garoto do bairro tentou tirar a pipa presa nos fios. "Ele cutucou com um pedaço de madeira (material condutor de eletricidade) e acabou recebendo descarga elétrica. Ele perdeu os dois braços", afirma.

Enquanto os funcionários esclareciam dúvidas, moradores relatavam exemplos de pessoas que não tomaram cuidados suficientes e sofreram as consequências.

O conferente Edson Aparecido Amaral, 50, conta que um amigo também perdeu os dois braços depois de entrar em contato com a rede elétrica. "Ele estava com uma régua de pedreiro quando atingiu a rede. A população precisa ter consciência dos perigos. Muitos acreditam que nunca vão acontecer com eles. Por isso, iniciativas como essa são importantes e tem que ser feitas mais vezes", afirma.

No próximo sábado a blitz acontece em Mauá, em ruas dos bairros Parque das Américas, Jardim Quarto Centenário e Jardim Itapark.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;