Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Rodovias acumulam três toneladas de lixo por dia


Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

30/07/2012 | 07:00


Diariamente, cerca de três toneladas de lixo são retiradas das três principais rodovias que cortam o Grande ABC: Anchieta, Imigrantes e Trecho Sul do Rodoanel. Ao todo, foram removidas 546,4 toneladas de resíduos das estradas no primeiro semestre. Os materiais encontrados vão desde objetos pequenos, como latas e papéis, até entulhos e pedaços de móveis.

Proporcionalmente, a maior quantidade de materiais descartados foi encontrada no Trecho Sul do Rodoanel. Nos quase 62 quilômetros da via, a concessionária SPMar coletou cerca de 195,6 toneladas de detritos, o que equivale a aproximadamente 3,1 tonelada por quilômetro, de janeiro a junho. A concessionária não possui dados referentes aos seis primeiros meses de 2011, já que a empresa iniciou a concessão da via em abril do ano passado. Também são retiradas mensalmente cerca de 8,7 toneladas de pneus inservíveis.

Já a Ecovias removeu nos seis primeiros meses 350,8 toneladas de resíduos do SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes), que também inclui as rodovias Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni. O total equivale a quase duas toneladas de lixo por quilômetro.

O total de materiais removidos apresentou queda de 48% na comparação com os seis primeiros meses de 2011, quando foram coletadas 673,8 toneladas - cerca de 323 mil quilos a mais.

CATA-BAGULHO - O assistente de sustentabilidade da Ecovias, Leandro Almeida, atribui a redução ao trabalho de coleta desenvolvido pela concessionária nas comunidades que vivem às margens das rodovias. "Em 2010 iniciamos a Operação Cata-Bagulho. Nossas equipes retiram o lixo que sai das casas e que possivelmente acabaria indo parar na estrada", explica Almeida. No SAI, cerca de 60% do lixo retirado saiu dos núcleos habitacionais do entorno. A maioria dos objetos foi recolhida na Imigrantes.

No ano passado, nas 21 operações que foram realizadas, 110 toneladas de lixo foram removidas das habitações ao longo das rodovias. Neste ano, a ideia é ampliar para 24 - duas por mês. "A operação é importante para que a população descarte o resíduo em locais adequados. O que mais retiramos são restos de construção, madeira, carcaça de sofás e armarinhos", diz Almeida.

Outra ação para evitar o descarte irregular é feita desde 2007, em parceria com a Prefeitura de Diadema. O projeto, chamado Casa Limpa, inclui a instalação de 11 pontos de descarte nos bairros localizados nas áreas limítrofes. Em cada comunidade, uma pessoa é orientada para ser monitor voluntário e instruir os demais sobre o tratamento adequado para o lixo.

De acordo com o CTB (Código Brasileiro de Trânsito), atirar objetos do carro e abandonar itens em vias públicas são infrações consideradas médias. O flagrante rende quatro pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85.

 

Objetos na pista aumentam risco de acidentes

A presença de objetos descartados nas rodovias aumenta o risco de acidentes. Segundo o diretor da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), o médico Dirceu Rodrigues Alves, a tendência é que os motoristas executem manobras bruscas para desviar dos materiais na pista. "Nesse caso, o risco é de colisões traseiras e laterais. O perigo é ainda maior se for à noite."

Em caso de objetos de grande porte, o especialista alerta para ameaças ainda maiores. "Dependendo de como for colocado, em uma curva, por exemplo, pode até prejudicar a visibilidade do motorista", comenta Alves. O médico também destaca a possibilidade de ferimentos aos ocupantes dos veículos em caso de choque com os materiais. "De acordo com o impacto e a velocidade, a energia pode provocar lesões no motorista e consequências para o automóvel."

Em alguns trechos da Rodovia dos Imigrantes, onde é encontrada a maior quantidade de lixo descartado, o limite de velocidade para veículos leves é de 120 km/h.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rodovias acumulam três toneladas de lixo por dia

Fábio Munhoz
Do Diário do Grande ABC

30/07/2012 | 07:00


Diariamente, cerca de três toneladas de lixo são retiradas das três principais rodovias que cortam o Grande ABC: Anchieta, Imigrantes e Trecho Sul do Rodoanel. Ao todo, foram removidas 546,4 toneladas de resíduos das estradas no primeiro semestre. Os materiais encontrados vão desde objetos pequenos, como latas e papéis, até entulhos e pedaços de móveis.

Proporcionalmente, a maior quantidade de materiais descartados foi encontrada no Trecho Sul do Rodoanel. Nos quase 62 quilômetros da via, a concessionária SPMar coletou cerca de 195,6 toneladas de detritos, o que equivale a aproximadamente 3,1 tonelada por quilômetro, de janeiro a junho. A concessionária não possui dados referentes aos seis primeiros meses de 2011, já que a empresa iniciou a concessão da via em abril do ano passado. Também são retiradas mensalmente cerca de 8,7 toneladas de pneus inservíveis.

Já a Ecovias removeu nos seis primeiros meses 350,8 toneladas de resíduos do SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes), que também inclui as rodovias Padre Manoel da Nóbrega e Cônego Domênico Rangoni. O total equivale a quase duas toneladas de lixo por quilômetro.

O total de materiais removidos apresentou queda de 48% na comparação com os seis primeiros meses de 2011, quando foram coletadas 673,8 toneladas - cerca de 323 mil quilos a mais.

CATA-BAGULHO - O assistente de sustentabilidade da Ecovias, Leandro Almeida, atribui a redução ao trabalho de coleta desenvolvido pela concessionária nas comunidades que vivem às margens das rodovias. "Em 2010 iniciamos a Operação Cata-Bagulho. Nossas equipes retiram o lixo que sai das casas e que possivelmente acabaria indo parar na estrada", explica Almeida. No SAI, cerca de 60% do lixo retirado saiu dos núcleos habitacionais do entorno. A maioria dos objetos foi recolhida na Imigrantes.

No ano passado, nas 21 operações que foram realizadas, 110 toneladas de lixo foram removidas das habitações ao longo das rodovias. Neste ano, a ideia é ampliar para 24 - duas por mês. "A operação é importante para que a população descarte o resíduo em locais adequados. O que mais retiramos são restos de construção, madeira, carcaça de sofás e armarinhos", diz Almeida.

Outra ação para evitar o descarte irregular é feita desde 2007, em parceria com a Prefeitura de Diadema. O projeto, chamado Casa Limpa, inclui a instalação de 11 pontos de descarte nos bairros localizados nas áreas limítrofes. Em cada comunidade, uma pessoa é orientada para ser monitor voluntário e instruir os demais sobre o tratamento adequado para o lixo.

De acordo com o CTB (Código Brasileiro de Trânsito), atirar objetos do carro e abandonar itens em vias públicas são infrações consideradas médias. O flagrante rende quatro pontos na carteira de habilitação e multa de R$ 85.

 

Objetos na pista aumentam risco de acidentes

A presença de objetos descartados nas rodovias aumenta o risco de acidentes. Segundo o diretor da Abramet (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego), o médico Dirceu Rodrigues Alves, a tendência é que os motoristas executem manobras bruscas para desviar dos materiais na pista. "Nesse caso, o risco é de colisões traseiras e laterais. O perigo é ainda maior se for à noite."

Em caso de objetos de grande porte, o especialista alerta para ameaças ainda maiores. "Dependendo de como for colocado, em uma curva, por exemplo, pode até prejudicar a visibilidade do motorista", comenta Alves. O médico também destaca a possibilidade de ferimentos aos ocupantes dos veículos em caso de choque com os materiais. "De acordo com o impacto e a velocidade, a energia pode provocar lesões no motorista e consequências para o automóvel."

Em alguns trechos da Rodovia dos Imigrantes, onde é encontrada a maior quantidade de lixo descartado, o limite de velocidade para veículos leves é de 120 km/h.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;