Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Consagração da dança brasileira

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Paola Trocoli Novaes
Do Diário do Grande ABC

30/07/2012 | 07:00


Chegou ao fim na noite de sábado o 30º Festival de Dança de Joinville, o maior do mundo em número de participantes e o mais importante do País. Durante 11 dias, mais de 6.000 estudantes e bailarinos mostraram sua arte e dividiram experiências com os grandes nomes da dança nacional. Foram 220 horas de espetáculos - das quais 170 gratuitas.

Para encerrar com chave de ouro a temporada de dança na cidade catarinense, foram divulgados os nomes dos vencedores na sua Mostra Competitiva, marcada pela concorrência de alto nível. No total, 22 grupos e 27 coreografias ganharam o 1º lugar na edição 2012 do encontro, que consagrou seus homenageados e os ganhadores dos prêmios especiais: revelação, melhor bailarino, melhor bailarina, melhor coreógrafo e melhor grupo, além dos indicados para as competições internacionais.

Este reconhecimento fica, sem dúvida, como um marco na carreira de cada um dos vencedores. O Melhor Grupo da edição 2012 do Festival - que ganhou troféu e R$ 18 mil - foi o Grupo Folclórico Polonês de Erechim - Jupem, Rio Grande do Sul. "Esse prêmio é o reconhecimento de um trabalho de 44 anos", comemorou Valdir Kaplan, presidente do grupo, que esteve pela primeira vez em Joinville. Detalhe: todos os bailarinos e o pessoal da equipe são voluntários e não recebem salário para participar. "Temos muita gente unida para chegar a esse resultado", ressaltou Kaplan.

O Melhor Bailarino do Festival foi Edson Barbosa, do Grupo Cultural de Dança Ilha, Rio de Janeiro. Ele conquistou o título e o prêmio - medalha e R$ 6.000. "Vencer é importante, pois este é o maior Festival do Brasil e do mundo, um reconhecimento do meu trabalho. É bom quando a gente se esforça e vê o resultado", comemorou o jovem bailarino, de 17 anos, que já tem talento reconhecido internacionalmente: ele embarcará em setembro para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde integrará o San Francisco Ballet.

O prêmio de Melhor Bailarina foi para Luana Rodrigues Espíndola, do Instituto de Orientação Artística de Jundiaí, São Paulo. Ela também recebeu medalha e R$ 6.000. "Nesses últimos três anos, além de bailarina, sou coreógrafa e jamais imaginava que conseguiria. Não assimilei ainda, mas estou muito feliz e emocionada", revelou Luana.

Ivan Sehnem Duarte, do Conservatório Brasileiro de Dança, do Rio de Janeiro, conquistou o Prêmio Revelação - recebendo medalha e R$ 6.000. Com 17 anos de idade e apenas dois de balé, Ivan nasceu no sul de Santa Catarina, em Tubarão, e começou sua carreira focado no jazz - apesar de almejar as sapatilhas clássicas "Vim assistir ao Festival 2009 e em 2010 decidi fazer o curso de verão no Conservatório. Ganhei uma bolsa e estou lá até hoje", contou. Ivan dançou a variação masculina de Don Quixote. "Não esperava ganhar pelo pouco tempo que danço. Tive que correr atrás e isso para mim foi uma grande vitória. Sinto-me realizado".

Matheus Brusa, de Caxias do Sul, foi escolhido Coreógrafo Revelação e recebeu um certificado e viagem de uma semana para o exterior, onde participará de evento em sua área de atuação.

Dois bailarinos também foram indicados para representar o País nas competições internacionais da área. Bianca Gomes Teixeira, da Companhia Adriana Soares, vai representar o Brasil no Youth America Grand Prix, YAGP, de Nova York. Já Adhonay Soares da Silva, do Balé Juvenil do Centro Cultural Gustav Ritter, participará da seletiva sul-americana do Grand Prix de Lausanne, Suíça.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Consagração da dança brasileira

Paola Trocoli Novaes
Do Diário do Grande ABC

30/07/2012 | 07:00


Chegou ao fim na noite de sábado o 30º Festival de Dança de Joinville, o maior do mundo em número de participantes e o mais importante do País. Durante 11 dias, mais de 6.000 estudantes e bailarinos mostraram sua arte e dividiram experiências com os grandes nomes da dança nacional. Foram 220 horas de espetáculos - das quais 170 gratuitas.

Para encerrar com chave de ouro a temporada de dança na cidade catarinense, foram divulgados os nomes dos vencedores na sua Mostra Competitiva, marcada pela concorrência de alto nível. No total, 22 grupos e 27 coreografias ganharam o 1º lugar na edição 2012 do encontro, que consagrou seus homenageados e os ganhadores dos prêmios especiais: revelação, melhor bailarino, melhor bailarina, melhor coreógrafo e melhor grupo, além dos indicados para as competições internacionais.

Este reconhecimento fica, sem dúvida, como um marco na carreira de cada um dos vencedores. O Melhor Grupo da edição 2012 do Festival - que ganhou troféu e R$ 18 mil - foi o Grupo Folclórico Polonês de Erechim - Jupem, Rio Grande do Sul. "Esse prêmio é o reconhecimento de um trabalho de 44 anos", comemorou Valdir Kaplan, presidente do grupo, que esteve pela primeira vez em Joinville. Detalhe: todos os bailarinos e o pessoal da equipe são voluntários e não recebem salário para participar. "Temos muita gente unida para chegar a esse resultado", ressaltou Kaplan.

O Melhor Bailarino do Festival foi Edson Barbosa, do Grupo Cultural de Dança Ilha, Rio de Janeiro. Ele conquistou o título e o prêmio - medalha e R$ 6.000. "Vencer é importante, pois este é o maior Festival do Brasil e do mundo, um reconhecimento do meu trabalho. É bom quando a gente se esforça e vê o resultado", comemorou o jovem bailarino, de 17 anos, que já tem talento reconhecido internacionalmente: ele embarcará em setembro para a Califórnia, nos Estados Unidos, onde integrará o San Francisco Ballet.

O prêmio de Melhor Bailarina foi para Luana Rodrigues Espíndola, do Instituto de Orientação Artística de Jundiaí, São Paulo. Ela também recebeu medalha e R$ 6.000. "Nesses últimos três anos, além de bailarina, sou coreógrafa e jamais imaginava que conseguiria. Não assimilei ainda, mas estou muito feliz e emocionada", revelou Luana.

Ivan Sehnem Duarte, do Conservatório Brasileiro de Dança, do Rio de Janeiro, conquistou o Prêmio Revelação - recebendo medalha e R$ 6.000. Com 17 anos de idade e apenas dois de balé, Ivan nasceu no sul de Santa Catarina, em Tubarão, e começou sua carreira focado no jazz - apesar de almejar as sapatilhas clássicas "Vim assistir ao Festival 2009 e em 2010 decidi fazer o curso de verão no Conservatório. Ganhei uma bolsa e estou lá até hoje", contou. Ivan dançou a variação masculina de Don Quixote. "Não esperava ganhar pelo pouco tempo que danço. Tive que correr atrás e isso para mim foi uma grande vitória. Sinto-me realizado".

Matheus Brusa, de Caxias do Sul, foi escolhido Coreógrafo Revelação e recebeu um certificado e viagem de uma semana para o exterior, onde participará de evento em sua área de atuação.

Dois bailarinos também foram indicados para representar o País nas competições internacionais da área. Bianca Gomes Teixeira, da Companhia Adriana Soares, vai representar o Brasil no Youth America Grand Prix, YAGP, de Nova York. Já Adhonay Soares da Silva, do Balé Juvenil do Centro Cultural Gustav Ritter, participará da seletiva sul-americana do Grand Prix de Lausanne, Suíça.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;