Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Número de lojas atinge recorde

Número de estabelecimentos do segmento ultrapassa a marca de 139 mil


Cláudio Conz

29/11/2012 | 00:00


Fiquei satisfeito por poder avaliar o perfil das lojas de material de construção no Brasil nos últimos cinco anos - o que, de certa maneira, traça um retrato do setor. O fato é que o Instituto de Pesquisas da Universidade Anamaco divulgou neste mês novos dados sobre o segmento do comércio de material de construção no País. De acordo com os dados Rais, o número de lojas do segmento, somando os atacadistas, ultrapassou a marca de 139 mil. De 2007 a 2011, o crescimento no total de estabelecimentos, variou de 5% a 11% ao ano.

De 2006 a 2011, as lojas de ferragens, madeira e material de construção cresceram de 83.873 para 110.387; as de material elétrico subiram de 6.917 para 10.499 e as de tintas e materiais para pintura passaram de 5.942 para 7.870. Em 2010, o crescimento foi maior que nos anos anteriores, mas em 2011, as taxas tiveram retração. Aumentou também o tempo de existência dos comércios. Mais de 70% do total destes estabelecimentos estão estabelecidas há mais de 10 anos no mercado.

O universo de varejistas em 2011, excluindo especializadas em material elétrico era de 118.257, indicando crescimento de 5,65% sobre o ano anterior. A região que apresentou maior expansão foi a Nordeste que, em 2011, cresceu 8,22%, seguida da Norte, com 8,15% e da Centro-Oeste, com 6,41%. A região Sudeste teve elevação de 5,57%, enquanto que a Sul apresentou aumento de 3,74%. A região Sudeste concentra 49% das lojas do País.

Notamos que algumas regiões tiveram crescimento maior no que diz respeito ao número de lojas. Estes dados refletem a expansão da economia local, que têm potencial maior que outros Estados, onde a construção já se encontra numa fase de maior saturação. Se o desenvolvimento chega, chegam empresas, casas, lojas, estradas e para tudo isso é necessário material de construção.

A pesquisa ainda revelou que a grande maioria das lojas é de porte pequeno. Cerca de 85 mil - ou 66% do universo de lojas de material de construção - possuem até quatro funcionários, enquanto que apenas 1.079 (cerca de 1% do total) possuem mais de 49 colaboradores. As lojas de médio porte, entre cinco e 49 funcionários, representam 33% das lojas brasileiras, com cerca de 43 mil estabelecimentos.

Nosso universo está em constante elevação. Isso foi reflexo do momento do País e de ações pelas quais batalhamos para impulsionar o setor, como desoneração tributária, a queda dos juros e a ampliação dos financiamentos. O crescimento das lojas pode ser visto como o termômetro do progresso.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Número de lojas atinge recorde

Número de estabelecimentos do segmento ultrapassa a marca de 139 mil

Cláudio Conz

29/11/2012 | 00:00


Fiquei satisfeito por poder avaliar o perfil das lojas de material de construção no Brasil nos últimos cinco anos - o que, de certa maneira, traça um retrato do setor. O fato é que o Instituto de Pesquisas da Universidade Anamaco divulgou neste mês novos dados sobre o segmento do comércio de material de construção no País. De acordo com os dados Rais, o número de lojas do segmento, somando os atacadistas, ultrapassou a marca de 139 mil. De 2007 a 2011, o crescimento no total de estabelecimentos, variou de 5% a 11% ao ano.

De 2006 a 2011, as lojas de ferragens, madeira e material de construção cresceram de 83.873 para 110.387; as de material elétrico subiram de 6.917 para 10.499 e as de tintas e materiais para pintura passaram de 5.942 para 7.870. Em 2010, o crescimento foi maior que nos anos anteriores, mas em 2011, as taxas tiveram retração. Aumentou também o tempo de existência dos comércios. Mais de 70% do total destes estabelecimentos estão estabelecidas há mais de 10 anos no mercado.

O universo de varejistas em 2011, excluindo especializadas em material elétrico era de 118.257, indicando crescimento de 5,65% sobre o ano anterior. A região que apresentou maior expansão foi a Nordeste que, em 2011, cresceu 8,22%, seguida da Norte, com 8,15% e da Centro-Oeste, com 6,41%. A região Sudeste teve elevação de 5,57%, enquanto que a Sul apresentou aumento de 3,74%. A região Sudeste concentra 49% das lojas do País.

Notamos que algumas regiões tiveram crescimento maior no que diz respeito ao número de lojas. Estes dados refletem a expansão da economia local, que têm potencial maior que outros Estados, onde a construção já se encontra numa fase de maior saturação. Se o desenvolvimento chega, chegam empresas, casas, lojas, estradas e para tudo isso é necessário material de construção.

A pesquisa ainda revelou que a grande maioria das lojas é de porte pequeno. Cerca de 85 mil - ou 66% do universo de lojas de material de construção - possuem até quatro funcionários, enquanto que apenas 1.079 (cerca de 1% do total) possuem mais de 49 colaboradores. As lojas de médio porte, entre cinco e 49 funcionários, representam 33% das lojas brasileiras, com cerca de 43 mil estabelecimentos.

Nosso universo está em constante elevação. Isso foi reflexo do momento do País e de ações pelas quais batalhamos para impulsionar o setor, como desoneração tributária, a queda dos juros e a ampliação dos financiamentos. O crescimento das lojas pode ser visto como o termômetro do progresso.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;