Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Gestão portuária moderna

Entra ano, sai ano e o governo federal adia indefinidamente...


Dgabc

29/11/2012 | 00:00


Artigo

Entra ano, sai ano e o governo federal adia indefinidamente a decisão de optar por outro modelo de gestão portuária que possa estimular investimentos privados que venham a evitar gargalos ainda maiores na logística nacional. Afinal, o atual modelo em que os órgãos gestores estão vinculados a interferências político-partidárias já mostrou a sua ineficácia, impedindo que o setor portuário se torne, de fato, instrumento valioso no crescimento econômico do País.

É verdade que já foi pior, pois desde o governo passado pelo menos já se notou a preocupação de que as indicações políticas para as companhias docas e outros órgãos gestores recaiam sobre técnicos profissionais especializados no setor portuário, evitando que se tornem os chamados cabides de empregos. Menos mal. Mas o que falta é mesmo passo decisivo em favor da descentralização da gestão portuária.

As propostas são muitas, mas, com base em experiências de sucesso em portos de países de primeiro mundo, pode-se dizer que basicamente o governo precisa conceder as administrações portuárias à iniciativa privada, com a autonomia e profissionalização dos portos públicos. Para tanto, seria necessária a criação de agência pública, com administração profissionalizada, que não ficasse sujeita a mudanças sempre que há troca de governo.

Se isso não for possível, em razão da chamada governabilidade, que significa a divisão dos cargos nas estatais entre os partidos de sustentação política do governo, que haja na administração dos portos públicos pelo menos maior participação dos usuários e da comunidade portuária. E que a indicação do presidente do CAP (Conselho de Autoridade Portuária) nasça de consenso entre os interessados no bom funcionamento do porto.

Seja como for, é preciso deixar claro que a iniciativa privada tem grande capacidade de investimento e possui rapidez na tomada de decisões, ao contrário do poder público, que sequer dispõe de recursos suficientes para proporcionar serviço eficaz. Afinal, só com infraestrutura moderna e maior competição entre os portos haverá serviços mais eficientes e melhores preços.

Mauro Lourenço Dias é engenheiro eletrônico, vice-presidente da Fiorde Logística Internacional, de São Paulo, e professor de pós-graduação em Transportes e Logística na Unicamp.

PALAVRA DO LEITOR

Repasse de ICMS

O repasse do ICMS em questão entre os municípios de São Caetano e Mauá tem uma questão de competência administrativa envolvida. A gestão do atual administrador, bem como os demais que passaram por Mauá, tem de ter por objetivo criação de atrativos para levar empresas para sua cidade, que além de divisas trará empregos e crescimento para a municipalidade. São Caetano tem essa preocupação constante em suas administrações há anos e, apesar das limitações geográficas, tem seu Orçamento satisfatório para manutenção de sua qualidade de vida.

Reinaldo Raboni, São Caetano

Sequência má!

O Palácio do Planalto decidiu dia 22 demitir a chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, senhora Rosemary Nóvoa de Noronha. Acredito que deveriam investigar também o senhor Gilberto Carvalho, secretário do mesmo setor, só que em Brasília. Porém, o nome dele não foi ainda citado na Operação Porto Seguro. O que me chama atenção é que nem passa um escândalo e explode outro, todos vindos do mesmo lugar, ou seja, de pessoas ligadas ao ex-presidente Lula. O partido deles deveria ser extinto.

Rosângela Caris, Mauá

Trupe

O PT subestima a inteligência dos brasileiros! Sempre acompanhei o trabalho da Cleuza Repulho, desde Santo André. Já era suspeita. Aí foi para a Prefeitura de São Bernardo assessorar o Marinho, ensinar bem direitinho a cartilha. Agora ela foi sondada para auxiliar o Haddad, ensinar como tirar dinheiro do povo. Junto com José de Filippi seria dupla imbatível. Tem também o Bianchi, que sempre tentou mamar em Santo André e não conseguiu. Arrumou uma bela boquinha junto ao prefeito Luiz Marinho. Não confiaria nele nem para tomar conta de galinheiro! Outra que deveria ser investigada é a primeira-dama de São Bernardo. Como ela faz para liberar tantos milhões de reais? TCE, olho neles! Não deixe a Câmara camuflar essa vergonha! O Marinho só pensa nisso, tudo para ele é em milhões de reais, até o Submarino da Cidade das Crianças é em milhões! É muito!

Nilzete Oliveira, São Caetano

Zé Dirceu

Sabe o que o ex-ministro José Dirceu parece? Aquele menininho de 3 aninhos de idade, que apronta e depois de fazer coisas feias encontra no pai e na mãe abrigo para defendê-lo de suas traquinagens. Só que ele tem muita idade nas costas, fez bobagens envolvendo o PT, e encontra na presidente e no ex-presidente alívio, onde busca proteção nesse casal político, para ajudá-lo por ocasião de suas artes e traquinagens! Toma jeito Dirceu, e devolve tudo o que você desviou!

Edson Rodrigues, Santo André

Mais um!

Ué! Cadê o Lula? Ele, que gosta tanto de estar na mídia, não virá a público para dizer que mais uma vez foi ‘traído' pelos ‘aloprados' que ele indicou para o escritório da Presidência da República em São Paulo, para a Advocacia-Geral da União, para a Secretaria do Patrimônio da União, para a Anac, para a Agência Nacional das Águas (não confundir com ‘cachoeira')? Não vai tornar a declarar que nada sabia dos malfeitos de seus subordinados? Pobre Lula! Tão puro, tão preocupado com os mais necessitados e cercado de gente tão desonesta. Mais uma Nóvoa, digo, nódoa em sua bela trajetória política.

Antônio César Scopel, São Bernardo



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gestão portuária moderna

Entra ano, sai ano e o governo federal adia indefinidamente...

Dgabc

29/11/2012 | 00:00


Artigo

Entra ano, sai ano e o governo federal adia indefinidamente a decisão de optar por outro modelo de gestão portuária que possa estimular investimentos privados que venham a evitar gargalos ainda maiores na logística nacional. Afinal, o atual modelo em que os órgãos gestores estão vinculados a interferências político-partidárias já mostrou a sua ineficácia, impedindo que o setor portuário se torne, de fato, instrumento valioso no crescimento econômico do País.

É verdade que já foi pior, pois desde o governo passado pelo menos já se notou a preocupação de que as indicações políticas para as companhias docas e outros órgãos gestores recaiam sobre técnicos profissionais especializados no setor portuário, evitando que se tornem os chamados cabides de empregos. Menos mal. Mas o que falta é mesmo passo decisivo em favor da descentralização da gestão portuária.

As propostas são muitas, mas, com base em experiências de sucesso em portos de países de primeiro mundo, pode-se dizer que basicamente o governo precisa conceder as administrações portuárias à iniciativa privada, com a autonomia e profissionalização dos portos públicos. Para tanto, seria necessária a criação de agência pública, com administração profissionalizada, que não ficasse sujeita a mudanças sempre que há troca de governo.

Se isso não for possível, em razão da chamada governabilidade, que significa a divisão dos cargos nas estatais entre os partidos de sustentação política do governo, que haja na administração dos portos públicos pelo menos maior participação dos usuários e da comunidade portuária. E que a indicação do presidente do CAP (Conselho de Autoridade Portuária) nasça de consenso entre os interessados no bom funcionamento do porto.

Seja como for, é preciso deixar claro que a iniciativa privada tem grande capacidade de investimento e possui rapidez na tomada de decisões, ao contrário do poder público, que sequer dispõe de recursos suficientes para proporcionar serviço eficaz. Afinal, só com infraestrutura moderna e maior competição entre os portos haverá serviços mais eficientes e melhores preços.

Mauro Lourenço Dias é engenheiro eletrônico, vice-presidente da Fiorde Logística Internacional, de São Paulo, e professor de pós-graduação em Transportes e Logística na Unicamp.

PALAVRA DO LEITOR

Repasse de ICMS

O repasse do ICMS em questão entre os municípios de São Caetano e Mauá tem uma questão de competência administrativa envolvida. A gestão do atual administrador, bem como os demais que passaram por Mauá, tem de ter por objetivo criação de atrativos para levar empresas para sua cidade, que além de divisas trará empregos e crescimento para a municipalidade. São Caetano tem essa preocupação constante em suas administrações há anos e, apesar das limitações geográficas, tem seu Orçamento satisfatório para manutenção de sua qualidade de vida.

Reinaldo Raboni, São Caetano

Sequência má!

O Palácio do Planalto decidiu dia 22 demitir a chefe de gabinete da Presidência em São Paulo, senhora Rosemary Nóvoa de Noronha. Acredito que deveriam investigar também o senhor Gilberto Carvalho, secretário do mesmo setor, só que em Brasília. Porém, o nome dele não foi ainda citado na Operação Porto Seguro. O que me chama atenção é que nem passa um escândalo e explode outro, todos vindos do mesmo lugar, ou seja, de pessoas ligadas ao ex-presidente Lula. O partido deles deveria ser extinto.

Rosângela Caris, Mauá

Trupe

O PT subestima a inteligência dos brasileiros! Sempre acompanhei o trabalho da Cleuza Repulho, desde Santo André. Já era suspeita. Aí foi para a Prefeitura de São Bernardo assessorar o Marinho, ensinar bem direitinho a cartilha. Agora ela foi sondada para auxiliar o Haddad, ensinar como tirar dinheiro do povo. Junto com José de Filippi seria dupla imbatível. Tem também o Bianchi, que sempre tentou mamar em Santo André e não conseguiu. Arrumou uma bela boquinha junto ao prefeito Luiz Marinho. Não confiaria nele nem para tomar conta de galinheiro! Outra que deveria ser investigada é a primeira-dama de São Bernardo. Como ela faz para liberar tantos milhões de reais? TCE, olho neles! Não deixe a Câmara camuflar essa vergonha! O Marinho só pensa nisso, tudo para ele é em milhões de reais, até o Submarino da Cidade das Crianças é em milhões! É muito!

Nilzete Oliveira, São Caetano

Zé Dirceu

Sabe o que o ex-ministro José Dirceu parece? Aquele menininho de 3 aninhos de idade, que apronta e depois de fazer coisas feias encontra no pai e na mãe abrigo para defendê-lo de suas traquinagens. Só que ele tem muita idade nas costas, fez bobagens envolvendo o PT, e encontra na presidente e no ex-presidente alívio, onde busca proteção nesse casal político, para ajudá-lo por ocasião de suas artes e traquinagens! Toma jeito Dirceu, e devolve tudo o que você desviou!

Edson Rodrigues, Santo André

Mais um!

Ué! Cadê o Lula? Ele, que gosta tanto de estar na mídia, não virá a público para dizer que mais uma vez foi ‘traído' pelos ‘aloprados' que ele indicou para o escritório da Presidência da República em São Paulo, para a Advocacia-Geral da União, para a Secretaria do Patrimônio da União, para a Anac, para a Agência Nacional das Águas (não confundir com ‘cachoeira')? Não vai tornar a declarar que nada sabia dos malfeitos de seus subordinados? Pobre Lula! Tão puro, tão preocupado com os mais necessitados e cercado de gente tão desonesta. Mais uma Nóvoa, digo, nódoa em sua bela trajetória política.

Antônio César Scopel, São Bernardo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;