Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mãe biológica diz que estará sempre pronta a aceitar Pedrinho


Do Diário OnLine

22/11/2002 | 15:15


Maria Auxiliadora Braule Pinto, mãe biológica de Pedrinho (o adolescente Osvaldo Borges Júnior, 16 anos), afirmou nesta sexta-feira, em entrevista ao programa Mais Você (TV Globo), que ficou mais tranqüila ao reencontrar o filho e disse que estará "sempre ponta" para tê-lo de volta em casa e que é capaz de esperá-lo "até o fim dos dias".

Pedrinho foi seqüestrado em um hospital de Brasília no dia 21 de janeiro de 1986, cerca de 12h após seu nascimento. Ele foi criado em Goiânia por Osvaldo Borges, morto em outubro, e Vilma Martins da Costa, acusada de ser a seqüestradora do bebê. A mãe adotiva foi denunciada nesta quinta-feira à Justiça por seqüestro qualificado e registro falso de nascimento. Vilma alega que o bebê foi dado a seu marido por um gari.

Maria Auxiliadora contou que, apesar da ansiedade em ter seu filho novamente, não quer pressionar Pedrinho a voltar para casa. "Espalhei fotos pela casa toda. Estou te esperando, mas sinta-se livre, não se sinta pressionado. Só de te ver bem estou muito feliz. Te amei de uma forma incondicional. Da forma que você quiser, estarei sempre pronta a te aceitar", desabafou.

A mãe biológica contou que Pedrinho tem mantido contatos telefônicos com seu pai, Jayro Tapajós. Maria Auxiliadora avaliou que o adolescente "talvez tenha sentido mais liberdade com ele (Jayro) porque perdeu o pai (adotivo)" e disse que o marido pode ser o caminho para trazer o adolescente de volta. "O Jayro é o canal para ele. Não vai ser de um dia para o outro, mas essa é a forma dele chegar até nós. A única família verdadeira dele somos nós", afirmou.

"Eu me sinto um pouco inibida de ligar para ele (Pedrinho). Eu deixo que ele tome a iniciativa de me procurar. Mas não sei até quando vou agüentar", afirmou Maria Auxiliadora.

Ao final do programa, a mãe biológica mostrou esperança em ter conseguido passar ser recado ao filho. "Há sempre uma esperança de que ele veja e ouça o que a gente tem para dizer a ele."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mãe biológica diz que estará sempre pronta a aceitar Pedrinho

Do Diário OnLine

22/11/2002 | 15:15


Maria Auxiliadora Braule Pinto, mãe biológica de Pedrinho (o adolescente Osvaldo Borges Júnior, 16 anos), afirmou nesta sexta-feira, em entrevista ao programa Mais Você (TV Globo), que ficou mais tranqüila ao reencontrar o filho e disse que estará "sempre ponta" para tê-lo de volta em casa e que é capaz de esperá-lo "até o fim dos dias".

Pedrinho foi seqüestrado em um hospital de Brasília no dia 21 de janeiro de 1986, cerca de 12h após seu nascimento. Ele foi criado em Goiânia por Osvaldo Borges, morto em outubro, e Vilma Martins da Costa, acusada de ser a seqüestradora do bebê. A mãe adotiva foi denunciada nesta quinta-feira à Justiça por seqüestro qualificado e registro falso de nascimento. Vilma alega que o bebê foi dado a seu marido por um gari.

Maria Auxiliadora contou que, apesar da ansiedade em ter seu filho novamente, não quer pressionar Pedrinho a voltar para casa. "Espalhei fotos pela casa toda. Estou te esperando, mas sinta-se livre, não se sinta pressionado. Só de te ver bem estou muito feliz. Te amei de uma forma incondicional. Da forma que você quiser, estarei sempre pronta a te aceitar", desabafou.

A mãe biológica contou que Pedrinho tem mantido contatos telefônicos com seu pai, Jayro Tapajós. Maria Auxiliadora avaliou que o adolescente "talvez tenha sentido mais liberdade com ele (Jayro) porque perdeu o pai (adotivo)" e disse que o marido pode ser o caminho para trazer o adolescente de volta. "O Jayro é o canal para ele. Não vai ser de um dia para o outro, mas essa é a forma dele chegar até nós. A única família verdadeira dele somos nós", afirmou.

"Eu me sinto um pouco inibida de ligar para ele (Pedrinho). Eu deixo que ele tome a iniciativa de me procurar. Mas não sei até quando vou agüentar", afirmou Maria Auxiliadora.

Ao final do programa, a mãe biológica mostrou esperança em ter conseguido passar ser recado ao filho. "Há sempre uma esperança de que ele veja e ouça o que a gente tem para dizer a ele."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;