Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 25 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Líder do DEM na Câmara considera pedido de demissão de Parente 'inoportuno'



01/06/2018 | 14:32


Líder do DEM na Câmara dos Deputados, Rodrigo Garcia afirmou que o pedido de demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras é "inoportuno", visto que a política de preços está, até o momento, mantida, avaliou o parlamentar, por meio de nota. Para ele, o debate sobre a política da estatal "terá de ser enfrentado". Parente divulgou sua saída do cargo na manhã desta sexta-feira, dia 1º.

"O governo recorreu a outros caminhos para minimizar o impacto de preços. Sua saída não ajuda neste momento de turbulência", comentou.

Garcia afirmou que, apesar de as pesquisas mostrarem que parte da população concorda com a manifestação dos caminhoneiros, ela "não está disposta a bancar a conta que o governo federal aceitou pagar para encerrar a paralisação".

Na nota, o deputado ainda considera que o processo de debate sobre a política de preços poderia contar com "a palavra de Pedro Parente", quem ele avalia como gestor responsável por recuperar a Petrobras da "pior crise de sua história".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Líder do DEM na Câmara considera pedido de demissão de Parente 'inoportuno'


01/06/2018 | 14:32


Líder do DEM na Câmara dos Deputados, Rodrigo Garcia afirmou que o pedido de demissão de Pedro Parente da presidência da Petrobras é "inoportuno", visto que a política de preços está, até o momento, mantida, avaliou o parlamentar, por meio de nota. Para ele, o debate sobre a política da estatal "terá de ser enfrentado". Parente divulgou sua saída do cargo na manhã desta sexta-feira, dia 1º.

"O governo recorreu a outros caminhos para minimizar o impacto de preços. Sua saída não ajuda neste momento de turbulência", comentou.

Garcia afirmou que, apesar de as pesquisas mostrarem que parte da população concorda com a manifestação dos caminhoneiros, ela "não está disposta a bancar a conta que o governo federal aceitou pagar para encerrar a paralisação".

Na nota, o deputado ainda considera que o processo de debate sobre a política de preços poderia contar com "a palavra de Pedro Parente", quem ele avalia como gestor responsável por recuperar a Petrobras da "pior crise de sua história".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;