Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pio prevê nova comissão para discutir aumento de bolsas

Após Mauá ceder a pedidos da Câmara, petista quer que outras faculdades ampliem benefícios


Júnior Carvalho
Especial para o Diário

22/11/2014 | 07:00


O vereador de São Caetano Pio Mielo (PT) projeta a criação de outra comissão na Câmara para discutir o aumento de bolsas de estudo oferecidas pelas faculdades sediadas no município. Na sessão de terça-feira, o Legislativo aprovou relatório de grupo que pressionou o Instituto Mauá a ampliar isenções nas mensalidades para alunos de baixa renda moradores da cidade.

O debate iniciou em meados de abril, quando o prefeito Paulo Pinheiro (PMDB) encaminhou ao Legislativo projeto que previa alteração na lei de zoneamento. As mudanças beneficiavam diretamente a Mauá, que projetava construir prédios para abrigar laboratórios.

Como contrapartida às alterações, alguns parlamentares sugeriram que o instituto aumentasse o número de bolsas oferecidas pela instituição a estudantes de São Caetano. Naquela ocasião, a faculdade destinava 2% das vagas do curso de Engenharia para alunos do município, mas se mostrava irredutível em ampliar os descontos.

Após a criação da comissão, presidida por Pio Mielo, a Mauá cedeu à pressão e aceitou abrir 20 bolsas para os cursos de Administração e de Design.
“Nosso objetivo é ampliar (o número de isenções). Essa quantia ainda é muito baixa, está muito aquém do que a cidade merece e necessita”, frisou o petista, ao destacar que idealizará a criação de comissão em 2015. “Queremos discutir a possibilidade de aumentar esses 2% de bolsas no curso de Engenharia. Além disso, precisamos debater com as outras universidades para que o município se destaque em formação educacional”, emendou.

BOLSAS NA USCS
Recentemente, a Câmara de São Caetano aprovou projeto do Executivo que prevê concessão de bolsas na USCS (Universidade Municipal de São Caetano). Porém, os critérios estabelecidos pela Prefeitura para distribuição dos benefícios causou divergências entre os parlamentares da cidade.

Entre os requisitos estão a exigência em ser morador da cidade há no mínimo quatro anos e ter estudado todo o Ensino Médio na rede pública do município. Para os vereadores, os critérios dificultariam a concessão. A expectativa do Paço é de atender cerca de 500 estudantes. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pio prevê nova comissão para discutir aumento de bolsas

Após Mauá ceder a pedidos da Câmara, petista quer que outras faculdades ampliem benefícios

Júnior Carvalho
Especial para o Diário

22/11/2014 | 07:00


O vereador de São Caetano Pio Mielo (PT) projeta a criação de outra comissão na Câmara para discutir o aumento de bolsas de estudo oferecidas pelas faculdades sediadas no município. Na sessão de terça-feira, o Legislativo aprovou relatório de grupo que pressionou o Instituto Mauá a ampliar isenções nas mensalidades para alunos de baixa renda moradores da cidade.

O debate iniciou em meados de abril, quando o prefeito Paulo Pinheiro (PMDB) encaminhou ao Legislativo projeto que previa alteração na lei de zoneamento. As mudanças beneficiavam diretamente a Mauá, que projetava construir prédios para abrigar laboratórios.

Como contrapartida às alterações, alguns parlamentares sugeriram que o instituto aumentasse o número de bolsas oferecidas pela instituição a estudantes de São Caetano. Naquela ocasião, a faculdade destinava 2% das vagas do curso de Engenharia para alunos do município, mas se mostrava irredutível em ampliar os descontos.

Após a criação da comissão, presidida por Pio Mielo, a Mauá cedeu à pressão e aceitou abrir 20 bolsas para os cursos de Administração e de Design.
“Nosso objetivo é ampliar (o número de isenções). Essa quantia ainda é muito baixa, está muito aquém do que a cidade merece e necessita”, frisou o petista, ao destacar que idealizará a criação de comissão em 2015. “Queremos discutir a possibilidade de aumentar esses 2% de bolsas no curso de Engenharia. Além disso, precisamos debater com as outras universidades para que o município se destaque em formação educacional”, emendou.

BOLSAS NA USCS
Recentemente, a Câmara de São Caetano aprovou projeto do Executivo que prevê concessão de bolsas na USCS (Universidade Municipal de São Caetano). Porém, os critérios estabelecidos pela Prefeitura para distribuição dos benefícios causou divergências entre os parlamentares da cidade.

Entre os requisitos estão a exigência em ser morador da cidade há no mínimo quatro anos e ter estudado todo o Ensino Médio na rede pública do município. Para os vereadores, os critérios dificultariam a concessão. A expectativa do Paço é de atender cerca de 500 estudantes. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;