Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Turismo

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

Aprecie a natureza; com moderação

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

São Paulo oferece paisagens de arrancar suspiros, mas vale lembrar que o meio ambiente pede respeito


Luciana Lima
Especial para o Diário

15/11/2018 | 07:00


Preservar o meio ambiente é fundamental para manter a saúde do planeta e de todos os seres vivos que moram nele. Os seres humanos só conseguem sobreviver graças à natureza, afinal, usamos os animais e plantas para nos alimentar, água para beber e tomar banho, e muitos outros recursos que nem percebemos.

Na luta para salvar o planeta, todos podem participar. Nunca é cedo nem tarde demais para fazer sua parte. Separar o lixo reciclável do orgânico (não reciclável) é uma medida rápida e simples que ajuda a diminuir em até 40% a quantidade de material que vai parar nos lixões. Uma latinha que se joga na rua, por exemplo, pode parecer apenas uma latinha, mas, somada a outras, chega a entupir bueiros e causar enchentes. Por isso, se cada um ajudar um pouquinho, e fizer a sua parte o planeta agradecerá.

E quem curte roteiros integrados à natureza pode aproveitar para conhecer alguns situados a até 350 quilômetros de distância do Grande ABC, no Estado de São Paulo. Esses destinos costumam exigir cuidados extras dos turistas, justamente para que não sejam degradados com o passar dos anos. Isso porque a sociedade de consumo vem alterando de forma cada vez mais perigosa a biosfera, e a falta de zelo pelo planeta faz com que a poluição se espalhe pelo ar, pelas águas e pelo solo.

Proteger a natureza não é só cuidar da Mata Atlântica, mas, sim, preservar cada lugar por onde passamos e cada ser vivo que encontramos pelo caminho.

São Paulo possui alguns dos melhores destinos ecológicos do Brasil. Confira opções.

S. José do Barreiro é porta de entrada da Serra da Bocaina

Distante 302 quilômetros de Santo André, aos pés da Serra da Bocaina, a pequena cidade de São José do Barreiro, considerada estância turística, encanta com sua história e belezas naturais. A cidade também é porta de entrada do Parque Nacional da Serra da Bocaina, passeio obrigatório que oferece panoramas deslumbrantes e diversas opções de ecoturismo, como Pico do Tira Chapéu, cachoeiras de Santo Izidro e dos Mochileiros, e Trilha do Ouro, além de outras cachoeiras no entorno da cidade, como a da Usina, da Mata, o Cachoeirão de Formoso e o Poço da Água Santa.

No local é possível realizar práticas de trekking e mountain bike. São José do Barreiro conta ainda com festas típicas religiosas, turismo rural com passeios a cavalo e visitação a fazendas, e a Represa do Funil, onde é possível alugar lancha ou jet ski.

COMO IR
Ao sair de São Paulo, siga pela Rodovia Presidente Dutra e entre em Silveiras (caminho mais demorado) ou Queluz (trajeto mais rápido). Ambos os percursos conduzem a Areias e São José do Barreiro. LL

Cunha tem ambiente bucólico em meio a trilhas e cachoeiras

A cidade de Cunha, a 230 quilômetros de São Paulo, fica cravada no encontro das serras do Mar, da Bocaina e da Mantiqueira. É refúgio para descansar a mente no clima bucólico das montanhas.

Cunha é uma cidade extremamente rural, o que favorece o contato com a natureza e agrega ao roteiro um certo charme nas trilhas, cachoeiras e passeios ecológicos.

Em meio ao Parque Estadual da Serra do Mar, a trilha das 3 Cachoeiras é um dos passeios imperdíveis.

Outro ponto turístico que merece ser visitado é a Pedra da Marcela, com 1.840 metros de altitude. Para quem não está acostumado a trilhas, a subida é bastante cansativa, com trajeto íngreme que leva cerca de duas horas para ser percorrido, pois são 2,3 quilômetros de extensão. Vale a pena aproveitar se o dia estiver bem limpo. Dá para enxergar o mar de Angra dos Reis e Paraty.

É o tipo de lugar que ‘cansa o corpo, mas descansa a alma’. Não esqueça de levar água, pois não há pontos de hidratação na trilha. Abuse do protetor solar e, se possível, coloque um chapéu.

COMO IR
Ao sair de São Paulo pegue a SP-70 (Ayrton Senna e Carvalho Pinto); depois entre na BR-116 (Rodovia Presidente Dutra) e, por fim, na SP-171 (Paulo Virgílio). LL

Petar, ‘paraíso de cavernas’ em plena Mata Atlântica

O Petar (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira), situado entre os municípios de Apiaí e Iporanga, a 345 quilômetros de distância de Santo André, é considerado uma das unidades de conservação mais importantes do mundo. Abriga a maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil e mais de 350 cavernas, por isso é considerado patrimônio da humanidade, reconhecido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

No Petar pode-se encontrar várias espécies de aves (como socó-boi escuro e gavião-de-penacho), mamíferos de grande porte (pacas, antas e bugios) e muitas variedades de bromélias, orquídeas e o palmito-juçara, uma das espécies mais importantes da Mata Atlântica. Além, é claro, de imensa quantidade de córregos e rios com águas cristalinas.

As cavernas oferecem vários níveis de desafios. Há desde algumas com enormes rios, escaladas, mergulhos e rapéis e outras com estruturas turísticas, como escadas, passarelas e pontes, feitas para facilitar o acesso e permitir que esse rico patrimônio seja explorado por todos.

COMO IR
Ao sair de São Paulo siga pelas rodovia Régis Bittencourt , Castelo Branco ou Raposo Tavares. LL

Brotas preserva natureza na esteira do desenvolvimento

Tradicionalmente conhecida pelo ecoturismo, Brotas está localizada a 278 quilômetros do Grande ABC – bem no centro do Estado de São Paulo –, no coração de uma das regiões mais desenvolvidas no País, mas que ainda nos presenteia com suas riquezas e belezas naturais preservadas.

A vegetação local se compõe de cerrado e mata de planalto, variação da Mata Atlântica, e sua fauna é constituída por aves, como marreco, tico-tico, periquito, seriema, tuim, gavião e anu-preto, entre outros.

Na cidade há espécies típicas como tatu-galinha, veado, gambá, capivara e o já ameaçado de extinção lobo-guará. Mas também abriga em suas serras várias nascentes e rios encachoeirados, que cortam vales e encostas.

Hoje é um dos principais pontos de referência do País para a prática de esportes de aventura aquáticos, como rafting, bóia-cross, canoagem e canyoning.

COMO IR
Ao sair de São Paulo pegue as rodovia dos Bandeirantes, BR-364 e BR-369. LL

Ilhabela reserva praias de tirar o fôlego

Localizada a 218 quilômetros da região, no Litoral Norte, Ilhabela é composta por 39 praias e possui hoje 83% de sua área preservada pelo Parque Estadual de Ilhabela, considerado a maior reserva de Mata Atlântica do planeta. O local oferece aos visitantes diversas atividades integradas à natureza, como caminhada em trilhas de diferentes níveis; subida a picos e mirantes com vistas panorâmicas; observação de fauna e flora; banho em cachoeiras e piscinas naturais; acesso a belíssimas praias – algumas praticamente desertas, como Castelhanos, Fome, Bonete, entre outras.

Para se proteger do turismo de massa e, assim, preservar melhor as riquezas naturais, há limite diário de veículos de 65 jipeiros, 42 veículos particulares e 60 motos. O acesso de ciclistas e pedestres é livre.

COMO IR
Pela Via Dutra, Rodovia Ayrton Senna (antiga Rodogia dos Trabalhadores – SP 170) e Rodovia Carvalho Pinto até São José dos Campos; Rodovia dos Tamoios (SP 99) até Caraguatatuba. Siga rumo a São Sebastião pela Rodovia Rio-Santos (BR 101). É possível ir também pela Rodovia Mogi-Bertioga (SP 98), seguindo pela Rio-Santos e passando pelas praias de São Sebastião até chegar ao Centro da cidade. Pegue a balsa para atravessar o canal com destino a Ilhabela. LL 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aprecie a natureza; com moderação

São Paulo oferece paisagens de arrancar suspiros, mas vale lembrar que o meio ambiente pede respeito

Luciana Lima
Especial para o Diário

15/11/2018 | 07:00


Preservar o meio ambiente é fundamental para manter a saúde do planeta e de todos os seres vivos que moram nele. Os seres humanos só conseguem sobreviver graças à natureza, afinal, usamos os animais e plantas para nos alimentar, água para beber e tomar banho, e muitos outros recursos que nem percebemos.

Na luta para salvar o planeta, todos podem participar. Nunca é cedo nem tarde demais para fazer sua parte. Separar o lixo reciclável do orgânico (não reciclável) é uma medida rápida e simples que ajuda a diminuir em até 40% a quantidade de material que vai parar nos lixões. Uma latinha que se joga na rua, por exemplo, pode parecer apenas uma latinha, mas, somada a outras, chega a entupir bueiros e causar enchentes. Por isso, se cada um ajudar um pouquinho, e fizer a sua parte o planeta agradecerá.

E quem curte roteiros integrados à natureza pode aproveitar para conhecer alguns situados a até 350 quilômetros de distância do Grande ABC, no Estado de São Paulo. Esses destinos costumam exigir cuidados extras dos turistas, justamente para que não sejam degradados com o passar dos anos. Isso porque a sociedade de consumo vem alterando de forma cada vez mais perigosa a biosfera, e a falta de zelo pelo planeta faz com que a poluição se espalhe pelo ar, pelas águas e pelo solo.

Proteger a natureza não é só cuidar da Mata Atlântica, mas, sim, preservar cada lugar por onde passamos e cada ser vivo que encontramos pelo caminho.

São Paulo possui alguns dos melhores destinos ecológicos do Brasil. Confira opções.

S. José do Barreiro é porta de entrada da Serra da Bocaina

Distante 302 quilômetros de Santo André, aos pés da Serra da Bocaina, a pequena cidade de São José do Barreiro, considerada estância turística, encanta com sua história e belezas naturais. A cidade também é porta de entrada do Parque Nacional da Serra da Bocaina, passeio obrigatório que oferece panoramas deslumbrantes e diversas opções de ecoturismo, como Pico do Tira Chapéu, cachoeiras de Santo Izidro e dos Mochileiros, e Trilha do Ouro, além de outras cachoeiras no entorno da cidade, como a da Usina, da Mata, o Cachoeirão de Formoso e o Poço da Água Santa.

No local é possível realizar práticas de trekking e mountain bike. São José do Barreiro conta ainda com festas típicas religiosas, turismo rural com passeios a cavalo e visitação a fazendas, e a Represa do Funil, onde é possível alugar lancha ou jet ski.

COMO IR
Ao sair de São Paulo, siga pela Rodovia Presidente Dutra e entre em Silveiras (caminho mais demorado) ou Queluz (trajeto mais rápido). Ambos os percursos conduzem a Areias e São José do Barreiro. LL

Cunha tem ambiente bucólico em meio a trilhas e cachoeiras

A cidade de Cunha, a 230 quilômetros de São Paulo, fica cravada no encontro das serras do Mar, da Bocaina e da Mantiqueira. É refúgio para descansar a mente no clima bucólico das montanhas.

Cunha é uma cidade extremamente rural, o que favorece o contato com a natureza e agrega ao roteiro um certo charme nas trilhas, cachoeiras e passeios ecológicos.

Em meio ao Parque Estadual da Serra do Mar, a trilha das 3 Cachoeiras é um dos passeios imperdíveis.

Outro ponto turístico que merece ser visitado é a Pedra da Marcela, com 1.840 metros de altitude. Para quem não está acostumado a trilhas, a subida é bastante cansativa, com trajeto íngreme que leva cerca de duas horas para ser percorrido, pois são 2,3 quilômetros de extensão. Vale a pena aproveitar se o dia estiver bem limpo. Dá para enxergar o mar de Angra dos Reis e Paraty.

É o tipo de lugar que ‘cansa o corpo, mas descansa a alma’. Não esqueça de levar água, pois não há pontos de hidratação na trilha. Abuse do protetor solar e, se possível, coloque um chapéu.

COMO IR
Ao sair de São Paulo pegue a SP-70 (Ayrton Senna e Carvalho Pinto); depois entre na BR-116 (Rodovia Presidente Dutra) e, por fim, na SP-171 (Paulo Virgílio). LL

Petar, ‘paraíso de cavernas’ em plena Mata Atlântica

O Petar (Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira), situado entre os municípios de Apiaí e Iporanga, a 345 quilômetros de distância de Santo André, é considerado uma das unidades de conservação mais importantes do mundo. Abriga a maior porção de Mata Atlântica preservada do Brasil e mais de 350 cavernas, por isso é considerado patrimônio da humanidade, reconhecido pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).

No Petar pode-se encontrar várias espécies de aves (como socó-boi escuro e gavião-de-penacho), mamíferos de grande porte (pacas, antas e bugios) e muitas variedades de bromélias, orquídeas e o palmito-juçara, uma das espécies mais importantes da Mata Atlântica. Além, é claro, de imensa quantidade de córregos e rios com águas cristalinas.

As cavernas oferecem vários níveis de desafios. Há desde algumas com enormes rios, escaladas, mergulhos e rapéis e outras com estruturas turísticas, como escadas, passarelas e pontes, feitas para facilitar o acesso e permitir que esse rico patrimônio seja explorado por todos.

COMO IR
Ao sair de São Paulo siga pelas rodovia Régis Bittencourt , Castelo Branco ou Raposo Tavares. LL

Brotas preserva natureza na esteira do desenvolvimento

Tradicionalmente conhecida pelo ecoturismo, Brotas está localizada a 278 quilômetros do Grande ABC – bem no centro do Estado de São Paulo –, no coração de uma das regiões mais desenvolvidas no País, mas que ainda nos presenteia com suas riquezas e belezas naturais preservadas.

A vegetação local se compõe de cerrado e mata de planalto, variação da Mata Atlântica, e sua fauna é constituída por aves, como marreco, tico-tico, periquito, seriema, tuim, gavião e anu-preto, entre outros.

Na cidade há espécies típicas como tatu-galinha, veado, gambá, capivara e o já ameaçado de extinção lobo-guará. Mas também abriga em suas serras várias nascentes e rios encachoeirados, que cortam vales e encostas.

Hoje é um dos principais pontos de referência do País para a prática de esportes de aventura aquáticos, como rafting, bóia-cross, canoagem e canyoning.

COMO IR
Ao sair de São Paulo pegue as rodovia dos Bandeirantes, BR-364 e BR-369. LL

Ilhabela reserva praias de tirar o fôlego

Localizada a 218 quilômetros da região, no Litoral Norte, Ilhabela é composta por 39 praias e possui hoje 83% de sua área preservada pelo Parque Estadual de Ilhabela, considerado a maior reserva de Mata Atlântica do planeta. O local oferece aos visitantes diversas atividades integradas à natureza, como caminhada em trilhas de diferentes níveis; subida a picos e mirantes com vistas panorâmicas; observação de fauna e flora; banho em cachoeiras e piscinas naturais; acesso a belíssimas praias – algumas praticamente desertas, como Castelhanos, Fome, Bonete, entre outras.

Para se proteger do turismo de massa e, assim, preservar melhor as riquezas naturais, há limite diário de veículos de 65 jipeiros, 42 veículos particulares e 60 motos. O acesso de ciclistas e pedestres é livre.

COMO IR
Pela Via Dutra, Rodovia Ayrton Senna (antiga Rodogia dos Trabalhadores – SP 170) e Rodovia Carvalho Pinto até São José dos Campos; Rodovia dos Tamoios (SP 99) até Caraguatatuba. Siga rumo a São Sebastião pela Rodovia Rio-Santos (BR 101). É possível ir também pela Rodovia Mogi-Bertioga (SP 98), seguindo pela Rio-Santos e passando pelas praias de São Sebastião até chegar ao Centro da cidade. Pegue a balsa para atravessar o canal com destino a Ilhabela. LL 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;