Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Os limites da tolerância

Dar emprego público para o namorado da neta é imoral, mas vá lá: que avô recusaria um pedido da netinha? Compactuar com atos secretos...


Carlos Brickmann

04/04/2010 | 00:00


Dar emprego público para o namorado da neta é imoral, mas vá lá: que avô recusaria um pedido da netinha? Compactuar com atos secretos é inacreditável, ainda mais para alguém que tem formação em Direito, mas este País é assim mesmo, aceita bem o desrespeito à lei. Já receber R$ 52 mil por mês, quando a lei diz claramente que o limite de pagamento com dinheiro público é de R$ 26.723 mensais (aliás, um excelente salário para o trabalho que é feito), acumulando aposentadorias, aí é demais: não há tolerância que possa resistir a esse deboche. O presidente do Senado, José Sarney, cansou-se de citar "o ritual do cargo." Mas já não se trata de ritual do cargo: o que ele perdeu foi a compostura.

Sarney nunca foi lá essas coisas como conduta política. Nasceu apoiando o senador Vitorino Freire para depois traí-lo; foi o presidente da Arena, o partido da ditadura militar, e virou PMDB desde criancinha quando a ditadura caiu. Contribuiu, é certo, para consolidar as instituições democráticas; mas fez um governo desastroso, cheio de planos fracassados. Sua inflação chegou a 80% ao mês.

Mas, com todos os defeitos, com a vaidade exacerbada, tinha de zelar por sua imagem. Como disse o presidente Lula, ele não é um homem comum. Isso traz responsabilidades. Sarney, homem de farto patrimônio, dono de ilhas e mansões, de um império que inclui TVs, rádios e jornais, não tem justificativa para empapuçar-se de aposentadorias. Seus filhos estão criados, são ricos; ele nem tem onde gastar o tanto que recebe. É ganância, é olho grande. É falta de vergonha.

IMAGEM LIMPA

Roberto Freire, que foi presidente do Partido Comunista Brasileiro e dirige seu sucessor, o PPS, transferiu o título de eleitor para São Paulo. Freire foi candidato à Presidência da República, em 1989, teve vários mandatos de deputado federal e senador por Pernambuco, e sempre se manteve longe da bandidagem que tanto assola nossas casas legislativas. Agora, deve candidatar-se a deputado federal pelo PPS paulista, como o grande puxador de votos do partido. O PPS faz parte da coalizão que apoia José Serra.

O JOGO DA MORTE

Neste momento em que o Congresso debate a legalização dos bingos, vale contar que um radialista de São José dos Campos, SP, vive sob forte escolta policial pela campanha que move contra bingos e máquinas caça-níqueis. O DHPP, Departamento de Homicídios, interceptou conversas entre bandidos que se queixavam de que João Alckmin, que já sofreu dois atentados a bala, continuava na luta contra o jogo ilegal. A ordem captada nas interceptações foi matá-lo. As autoridades determinaram que ele seja escoltado o tempo todo por policiais pesadamente armados.

FALTA...

Sarney recebe R$ 16,5 mil mensais como senador (mais casa oficial, com empregados e todas as despesas pagas pelo Tesouro, carro oficial com motorista, seguranças 24 horas), e R$ 35 mil de aposentadorias por cargos que ocupou no Maranhão - governador e funcionário do Tribunal de Justiça. Mas nem deve perceber quando esse dinheiro entra na sua conta. É como se o caro leitor recebesse um crédito mensal de R$ 0,10 no banco. Como poderia dizer um importante político, para ele isso é dinheiro de pinga.

...DE VERGONHA

A assessoria de imprensa da presidência do Senado informa que o acúmulo de dinheiro recebido de esferas distintas de poder ou de governo "é aceitável".

COMO É O NOME DELES?

Esta coluna colocará na internet o nome de todos os parlamentares que votarem a favor da legalização dos jogos ilegais. É uma informação muito útil à véspera das eleições: quem for a favor, ou contra, saberá em quem votar ou não.

E A LÍNGUA, SENHORES DOUTORES?

O chanceler Celso Amorim, referindo-se à tragédia do Haiti, disse que, "com a contribuição adequada da comunidade internacional, o povo haitiano será capaz de refundar seu país." Na véspera, falando do PAC 2, o governador baiano Jaques Wagner disse que o presidente Lula "está refundando a nação brasileira." Suas Excelências provavelmente não sabem o que estão dizendo: nos dicionários Houaiss, Aurélio e Caldas Aulete, a palavra refundar significa tornar mais fundo; afundar, tornar mais profundo, profundar, aprofundar. Ambos devem ter ido buscar o significado errado da palavra no poeta e ex-ministro Tarso Genro, que falava em "refundação do PT." Tarso e seus aliados, no sentido correto da palavra, fizeram o que puderam para refundar seu partido.

BONS NEGÓCIOS

De acordo com os últimos cálculos, a corrida de Fórmula Indy rendeu algo como US$ 120 milhões a São Paulo. Gastando menos, sem precisar reformar parte da cidade, a 13ª Office Solution, feira de artigos para escritórios, hospitais, shopping centers e hotéis, deve gerar negócios de R$ 275 milhões. A exposição, de amanhã até o dia 9, no Pavilhão da Bienal, em São Paulo, tem entrada gratuita. Espera-se a visita de 50 mil pessoas.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;