Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Soldados americanos matam 7 e ferem 2 civis em Najaf


Do Diário OnLine

01/04/2003 | 01:13


Soldados americanos mataram sete mulheres e crianças iraquianas nesta segunda-feira, em um posto de checagem na cidade de Najaf (centro-oeste do país, 150 km ao sul de Bagdá). Dois outros civis que estavam entre os 13 passageiros do veículo fuzilado ficaram feridos. Fontes militares dos EUA alegam que a reação dos soldados foi preventiva contra atentados suicidas.

Foi o primeiro ataque assumido do Exército americano contra civis iraquianos na segunda Guerra do Golfo. As autoridades iraquianas acusam a coalizão anglo-americana de diversas mortes de civis, especialmente em dois bombardeios ocorridos na semana passada contra mercados populares de Bagdá. O Pentágono não confirma se as bombas usadas contra as áreas residenciais são realmente do arsenal aliado.

O Comando Central Americano (Centcom) no Qatar relatou que os militares da 3ª Divisão de Infantaria abriram fogo porque o veículo não parou diante da barreira. O porta-voz do Centcom, comandante Charles Owens, disse que os soldados deram um tiro de advertência antes de fuzilar o carro. Owens argumentou ainda que os disparos visavam o motor da van.

"Pela última vez, eles dispararam. Quando os soldados abriram a porta do veículo, encontraram 13 mulheres e crianças. Sete tinham morrido, duas estavam feridas e quatro nada sofreram", precisou o porta-voz.

O general Peter Pace, comandante dos Fuzileiros Navais (Marines) e membro da direção do Estado-Maior Conjunto dos EUA, disse que os soldados "fizeram absolutamente a coisa certa" ao atirar no carro, pois os ocupantes da van (apenas mulheres e crianças) agiram de modo suspeito. Ele argumentou ainda que os americanos atiraram porque se sentiram ameaçados pelo veículo que não respeitou a barreira.

No último sábado, um carro-bomba foi detonado por um iraquiano num posto de checagem de Najaf – nas proximidades do incidente desta segunda-feira. Quatro soldados americanos foram mortos naquela ocasião. Owens argumentou que, desde o atentado de sábado, "os soldados exercitam uma contenção considerável para evitar a perda desnecessária de vidas". O Centcom disse que está investigando o caso desta segunda-feira.

Com agências



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Soldados americanos matam 7 e ferem 2 civis em Najaf

Do Diário OnLine

01/04/2003 | 01:13


Soldados americanos mataram sete mulheres e crianças iraquianas nesta segunda-feira, em um posto de checagem na cidade de Najaf (centro-oeste do país, 150 km ao sul de Bagdá). Dois outros civis que estavam entre os 13 passageiros do veículo fuzilado ficaram feridos. Fontes militares dos EUA alegam que a reação dos soldados foi preventiva contra atentados suicidas.

Foi o primeiro ataque assumido do Exército americano contra civis iraquianos na segunda Guerra do Golfo. As autoridades iraquianas acusam a coalizão anglo-americana de diversas mortes de civis, especialmente em dois bombardeios ocorridos na semana passada contra mercados populares de Bagdá. O Pentágono não confirma se as bombas usadas contra as áreas residenciais são realmente do arsenal aliado.

O Comando Central Americano (Centcom) no Qatar relatou que os militares da 3ª Divisão de Infantaria abriram fogo porque o veículo não parou diante da barreira. O porta-voz do Centcom, comandante Charles Owens, disse que os soldados deram um tiro de advertência antes de fuzilar o carro. Owens argumentou ainda que os disparos visavam o motor da van.

"Pela última vez, eles dispararam. Quando os soldados abriram a porta do veículo, encontraram 13 mulheres e crianças. Sete tinham morrido, duas estavam feridas e quatro nada sofreram", precisou o porta-voz.

O general Peter Pace, comandante dos Fuzileiros Navais (Marines) e membro da direção do Estado-Maior Conjunto dos EUA, disse que os soldados "fizeram absolutamente a coisa certa" ao atirar no carro, pois os ocupantes da van (apenas mulheres e crianças) agiram de modo suspeito. Ele argumentou ainda que os americanos atiraram porque se sentiram ameaçados pelo veículo que não respeitou a barreira.

No último sábado, um carro-bomba foi detonado por um iraquiano num posto de checagem de Najaf – nas proximidades do incidente desta segunda-feira. Quatro soldados americanos foram mortos naquela ocasião. Owens argumentou que, desde o atentado de sábado, "os soldados exercitam uma contenção considerável para evitar a perda desnecessária de vidas". O Centcom disse que está investigando o caso desta segunda-feira.

Com agências

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;