Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Guarulhos: crimes teriam sido cometidos por mesmo grupo


Do Diário OnLine

01/04/2003 | 10:45


Os 23 homicídios atribuídos a um suposto esquadrão de extermínio formado por policiais militares de Guarulhos podem ter sido cometidos por um mesmo grupo, segundo indícios analisados pela Polícia Civil.

As pistas indicam que todas as vítimas foram executadas com vários tiros, ficavam desaparecidas por pelo menos três dias antes do encontro dos corpos, além de todos serem jovens acusados no envolvimento de crimes. Também não há indícios de homicídios comuns, o local do encontro dos corpos não era o mesmo do assassinato e os cadáveres eram desovados em locais de difícil acesso na periferia de Guarulhos, como o bairro Ponte Preta.

A Polícia Civil determinou um atendimento especial no caso de homicídios a partir desta terça, para que o local do encontro dos corpos não seja adulterado. Além disso, o delegado seccional de Guarulhos, João Roque, também estabeleceu que, imediatamente após a descoberta do corpo, o delegado do Distrito Policial da área vá até o local e solicite de pronto uma equipe do DHPP - Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Quem não cumprir a ordem poderá ser punido. Desde o dia 12 de março, quando foram encontrados os corpos das duas vítimas não houve mais homicídios com as mesmas características.

Com informações da Rádio CBN



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guarulhos: crimes teriam sido cometidos por mesmo grupo

Do Diário OnLine

01/04/2003 | 10:45


Os 23 homicídios atribuídos a um suposto esquadrão de extermínio formado por policiais militares de Guarulhos podem ter sido cometidos por um mesmo grupo, segundo indícios analisados pela Polícia Civil.

As pistas indicam que todas as vítimas foram executadas com vários tiros, ficavam desaparecidas por pelo menos três dias antes do encontro dos corpos, além de todos serem jovens acusados no envolvimento de crimes. Também não há indícios de homicídios comuns, o local do encontro dos corpos não era o mesmo do assassinato e os cadáveres eram desovados em locais de difícil acesso na periferia de Guarulhos, como o bairro Ponte Preta.

A Polícia Civil determinou um atendimento especial no caso de homicídios a partir desta terça, para que o local do encontro dos corpos não seja adulterado. Além disso, o delegado seccional de Guarulhos, João Roque, também estabeleceu que, imediatamente após a descoberta do corpo, o delegado do Distrito Policial da área vá até o local e solicite de pronto uma equipe do DHPP - Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Quem não cumprir a ordem poderá ser punido. Desde o dia 12 de março, quando foram encontrados os corpos das duas vítimas não houve mais homicídios com as mesmas características.

Com informações da Rádio CBN

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;