Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Venda de veículos no atacado cresce 6,6%


Do Diário do Grande ABC

02/09/1999 | 19:17


Clima ficou tenso entre os tucanos nesta quinta-feira durante o seminário "Crescimento com Estabilidade". O ministro da Fazenda, Pedro Malan, discordou em público do ministro do Desenvolvimento, Clóvs Carvalho, dizendo que "somos todos a favor de ousadia". Minutos antesm Carvalho havia dito que o Governo precisaria ousar mais e arriscar mais. Clóvis Carvalho afirmou ainda que o excesso de cautela pode se tornar covardia e acrescentou: "por isso nenhum de nós está disposto a ter excesso de cautela".

Carvalho manifestou também que a equipe do Governo está sendo desafiada a ousar mais pelo próprio presidente Fernando Henrique Cardoso, quando apresentou o programa ``Avança Brasil'', prevendo investimentos da ordem de R$ 1 trilhao nos próximos quatro anos. Carvalho destacou que nao se referia ao ministro da Fazenda, Pedro Malan, ao falar de ousadia, mas sim a uma postura que, na sua opiniao, nenhum pessoa do Governo deve deixar de ter. Isso porque, segundo ele, ``os desafios, na realidade, sao muito grandes''.

O ministro Pedro Malan aproveitou a oportunidade para dizer que o governo trabalha com uma estimativa de um crescimento real da economia acima de 4% do PIB nos próximos três anos. Segundo ele, se o governo e o Congresso avançarem nas reformas Previdenciária e Tributária, além da Lei de Responsabilidade Fiscal, o Brasil pode crescer ainda mais. Ele destacou que as obrigaçoes com amortizaçoes do país no ano que vem serao maiores do que neste ano.

Malan criticou ainda os que fazem ''discurso fácil, criticando o governo por nao resolver todos os problemas com uma impunidade à fraude, à corrupçao e à hipocrisia durante seu mandato``. ''Estas pessoas vao para casa dormir o sono dos justos, achando que fizeram uma grande contribuiçao``. Ele destacou que o compromisso do governo é com a estabilidade do poder de compra do trabalhador, com o crescimento sustentado e com a preocupaçao nos fundamentos do desenvolvimento econômico e social.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Venda de veículos no atacado cresce 6,6%

Do Diário do Grande ABC

02/09/1999 | 19:17


Clima ficou tenso entre os tucanos nesta quinta-feira durante o seminário "Crescimento com Estabilidade". O ministro da Fazenda, Pedro Malan, discordou em público do ministro do Desenvolvimento, Clóvs Carvalho, dizendo que "somos todos a favor de ousadia". Minutos antesm Carvalho havia dito que o Governo precisaria ousar mais e arriscar mais. Clóvis Carvalho afirmou ainda que o excesso de cautela pode se tornar covardia e acrescentou: "por isso nenhum de nós está disposto a ter excesso de cautela".

Carvalho manifestou também que a equipe do Governo está sendo desafiada a ousar mais pelo próprio presidente Fernando Henrique Cardoso, quando apresentou o programa ``Avança Brasil'', prevendo investimentos da ordem de R$ 1 trilhao nos próximos quatro anos. Carvalho destacou que nao se referia ao ministro da Fazenda, Pedro Malan, ao falar de ousadia, mas sim a uma postura que, na sua opiniao, nenhum pessoa do Governo deve deixar de ter. Isso porque, segundo ele, ``os desafios, na realidade, sao muito grandes''.

O ministro Pedro Malan aproveitou a oportunidade para dizer que o governo trabalha com uma estimativa de um crescimento real da economia acima de 4% do PIB nos próximos três anos. Segundo ele, se o governo e o Congresso avançarem nas reformas Previdenciária e Tributária, além da Lei de Responsabilidade Fiscal, o Brasil pode crescer ainda mais. Ele destacou que as obrigaçoes com amortizaçoes do país no ano que vem serao maiores do que neste ano.

Malan criticou ainda os que fazem ''discurso fácil, criticando o governo por nao resolver todos os problemas com uma impunidade à fraude, à corrupçao e à hipocrisia durante seu mandato``. ''Estas pessoas vao para casa dormir o sono dos justos, achando que fizeram uma grande contribuiçao``. Ele destacou que o compromisso do governo é com a estabilidade do poder de compra do trabalhador, com o crescimento sustentado e com a preocupaçao nos fundamentos do desenvolvimento econômico e social.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;