Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Suplente de Pascoal começa ofensiva para garantir posse


Do Diário do Grande ABC

22/09/1999 | 21:48


O vereador José Aleksandro da Silva (PFL-AC), primeiro suplente do deputado cassado Hidelbrando Pascoal (sem partido-AC), iniciou hoje uma ofensiva para garantir a posse e esvaziar esforços do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), que avisou estar buscando uma soluçao regimental com o objetivo de evitar que ele assuma a vaga na Câmara. Enquanto o plenário se preparava para votar a cassaçao de Pascoal, ele enviou aos colegas parlamentares dossiê em que denuncia estar sendo vítima de perseguiçao política liderada pelo governador do Acre, Jorge Viana (PT), de quem é adversário declarado.

No documento, Aleksandro tenta rebater as acusaçoes de desvio de verbas e participaçao no grupo comandado por Pascoal - apontado como líder de um esquadrao da morte e envolvido com narcotráfico - atribui a perseguiçao política ao fato de ter denunciado suposto desvio de recursos públicos por servidores do governo acreano ligados ao PT e suposta campanha de desmoralizaçao dos Poderes Judiciário e Legislativo do Estado, que teria sido comandada pelo governador. O documento é acompanhado de certidoes negativas emitidas pela Justiça, atestando nao haver nada contra o vereador.

Ao dossiê enviado aos parlamentares, foi anexada cópia de uma carta mandada ao presidente Fernando Henrique Cardoso, em agosto, assinada pelos presidentes nacionais do PMDB, senador Jáder Barbalho (PA); do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC); e o membro da Executiva Nacional do PPB, deputado Pedro Corrêa (PE), denunciando "problemas de ordem política, social e administrativa local" no Acre. Segundo o documento, o Estado enfrenta "um quadro marcado pelo autoritarismo, denuncismo, perseguiçoes, manipulaçao da verdade, injúrias, censura e violência política".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Suplente de Pascoal começa ofensiva para garantir posse

Do Diário do Grande ABC

22/09/1999 | 21:48


O vereador José Aleksandro da Silva (PFL-AC), primeiro suplente do deputado cassado Hidelbrando Pascoal (sem partido-AC), iniciou hoje uma ofensiva para garantir a posse e esvaziar esforços do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), que avisou estar buscando uma soluçao regimental com o objetivo de evitar que ele assuma a vaga na Câmara. Enquanto o plenário se preparava para votar a cassaçao de Pascoal, ele enviou aos colegas parlamentares dossiê em que denuncia estar sendo vítima de perseguiçao política liderada pelo governador do Acre, Jorge Viana (PT), de quem é adversário declarado.

No documento, Aleksandro tenta rebater as acusaçoes de desvio de verbas e participaçao no grupo comandado por Pascoal - apontado como líder de um esquadrao da morte e envolvido com narcotráfico - atribui a perseguiçao política ao fato de ter denunciado suposto desvio de recursos públicos por servidores do governo acreano ligados ao PT e suposta campanha de desmoralizaçao dos Poderes Judiciário e Legislativo do Estado, que teria sido comandada pelo governador. O documento é acompanhado de certidoes negativas emitidas pela Justiça, atestando nao haver nada contra o vereador.

Ao dossiê enviado aos parlamentares, foi anexada cópia de uma carta mandada ao presidente Fernando Henrique Cardoso, em agosto, assinada pelos presidentes nacionais do PMDB, senador Jáder Barbalho (PA); do PFL, senador Jorge Bornhausen (SC); e o membro da Executiva Nacional do PPB, deputado Pedro Corrêa (PE), denunciando "problemas de ordem política, social e administrativa local" no Acre. Segundo o documento, o Estado enfrenta "um quadro marcado pelo autoritarismo, denuncismo, perseguiçoes, manipulaçao da verdade, injúrias, censura e violência política".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;