Cultura & Lazer

Mistério juvenil


É início dos anos 1960. Paulo (João Gabriel D’Aleluia/Milton Gonçalves), adolescente e amigo de Eduardo (Xande Valois), se aventura pelas pacatas ruas e matas da fictícia São Miguel, no Interior do Estado do Rio de Janeiro. Tudo corre bem com os dois jovens até que eles, ao fugirem da escola, encontram o corpo de Anita (Thainá Duarte), à margem de um lago.

Da lembrança de Paulo, tem início a história da minissérie escrita por Ricardo Linhares Se Eu Fechar Os Olhos Agora, que estreia hoje na Globo, depois de O Sétimo Guardião. A produção é inspirada na obra homônima de Edney Silvestre, que ganhou o prêmio Jabuti, e tem a direção artística de Carlos Manga Jr.

“A história começa com a descoberta de um crime, mas a investigação é apenas a espinha dorsal que dá o arco dramático da minissérie. Eu uso a estrutura de thriller psicológico para abordar os dramas dos personagens, as frustrações, os segredos e os desejos reprimidos daquela sociedade. Uma sociedade controlada pelo patriarcado branco, que ditava a hipocrisia do jogo de aparências. São Miguel é um microcosmo do Brasil, das relações de poder e opressão. A discriminação, a intolerância com comportamentos que desafiam as regras e o racismo são questões atuais, cujas raízes estão no passado”, conta o autor Ricardo Linhares.

Thainá Duarte, que faz o papel de Anita, diz estar ansiosa para a estreia da trama. “É uma personagem muito importante para mim. A trama desenrola querendo contar quem a matou e a razão, mas, nesse caminho, vamos descobrindo um pouco de cada personagem e o jogo de aparências”, diz a atriz. O interessante é que todos os personagens adultos mantinham uma relação dúbia com Anita.

Ao longo da minissérie, outros crimes acontecem. Paulo, Eduardo e Ubiratan (Antônio Fagundes) – um homem misterioso que vive em um asilo da cidade – precisam esclarecê-los para não se tornarem as próximas vítimas. Eles acabam se envolvendo em uma trama que ameaça o jogo político e social de São Miguel. Para os garotos, encarar os motivos que fizeram com que Anita fosse morta será um terrível caminho sem volta de amadurecimento e chegada à vida adulta. “Você não conhece o personagem necessariamente pelo que ele diz, mas pelo que ele não diz e pelos atos dele, pela própria condução da narrativa”, alerta o diretor artístico Carlos Manga Jr. “É uma história que poderia se passar em qualquer lugar. É como se os personagens estivessem presos numa bolha de felicidade aparente”, ressalta.

Para Fagundes, o ponto alto é a união de seu personagem com os meninos. “É uma relação curiosa porque o Ubiratan já é um homem cansado, angustiado, cheio de problemas, e encontra essas crianças cheias de vida. É um casamento interessante porque eles se complementam: o Ubiratan dá uma certa maturidade aos meninos e as crianças dão vigor a ele”, comenta Fagundes. Também estão no elenco Débora Falabella, Murílo Benício, Jonas Bloch, Betty Faria, Mariana Ximenes, entre outros.  

Comentários


Veja Também


Mistério juvenil

É início dos anos 1960. Paulo (João Gabriel D’Aleluia/Milton Gonçalves), adolescente e amigo de Eduardo (Xande Valois), se aventura pelas pacatas ruas e matas da fictícia São Miguel, no Interior do Estado do Rio de Janeiro. Tudo corre bem com os dois jovens até que eles, ao fugirem da escola, enc...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar