Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

turismo@dgabc.com.br | 4435-8367

O lado trágico de Hollywood


Da AFP

02/10/2008 | 07:04


Jovens starlets assassinadas, overdoses de drogas, crimes de psicopatas: para Scott Michaels, o único guia turístico de seu tipo em Hollywood, nos Estados Unidos, o nome da capital do cinema mundial se escreve com letras de sangue e a razão social de sua agência, Dearly Departed (Entes Queridos), já anuncia o que os turistas podem esperar do mórbido tour. Já plenamente acostumado com seu ofício sinistro, Michaels parece conhecer todos os detalhes dos escândalos e crimes do bairro mais famoso da sétima arte, situado a Noroeste de Los Angeles.

Enquanto dirige seu microônibus, relata durante três horas uma série de histórias horripilantes, como a morte nunca solucionada da Dália Negra, uma mulher cujo corpo meticulosamente mutilado foi encontrado em 1947.

Depois, mostra a casa que foi cenário, em 1969, do brutal assassinato do casal La Bianca pelos adeptos do guru psicopata Charles Manson, um dia depois do assassinato da atriz Sharon Tate e amigos.

Em Beverly Hills, mais a Oeste, o tour trágico de Michaels pára diante da casa do gângster Bugsy Siegel, abatido em seu jardim, em 1947. Um outro crime sem culpados.

No famoso Sunset Boulevard, o microônibus passa pelo local onde, em 1993, morreu o jovem ator River Phoenix, vítima de um impressionante coquetel de drogas e medicamentos. "Phoenix era vegetariano porque a carne faz mal à saúde", ironiza o guia.

Alguns metros mais adiante, passa pela rua onde Hugh Grant foi preso na companhia de uma prostituta, em 1995, e ante os hotéis em que a cantora Janis Joplin e o ator John Belushi consumiram drogas num excesso fatal, em 1970 e 1982, respectivamente.

O circuito não esquece os estabelecimentos médicos: o hospital em que morreu Clark Gable, em 1960, desde então comprado pela igreja da Cientologia para se tornar sua sede. "Não cruzem olhares com ninguém nesse bairro!", brinca o guia.

Durante o tour também se aprende que os estúdios da Paramount foram construídos sobre um cemitério e que a filha de Lana Turner - que em 1958, aos 14 anos, matou o amante da mãe, o gângster Johnny Stompanato - agora é corretora imobiliária.

Michaels também tira proveito dos incidentes mais recentes, como a loja de onde Paris Hilton teria roubado o DVD pornô de que participou, ou o banheiro público em que George Michael foi preso em 1998 por comportamento obsceno.

"Tudo isso faz parte da história dessa cidade, e tem que ser contato, ser visto, pois lhe dá um lado mais real", destaca Larry Browder, um turista de Savannah (Sudeste), encantado com a experiência.

Michaels, 46 anos, resolveu montar esse tour pouco comum há três anos e meio por causa de "sua paixão pela velha Hollywood". Mas hoje os lugares freqüentados por atores imortais como James Stewart, Humphrey Bogart ou Dean Martin estão "virando pó", afirma, referindo-se à febre imobiliária que faz com que prédios de vidro e aço subam sobre os escombros de lendários restaurantes, clubes noturnos ou hotéis dos anos 1940. "Isso me deixa doente. É uma vergonha", critica, lamentando que o patrimônio não proteja o bairro, enquanto ajeita a coroa de flores que enfeita seu microônibus.

INFORMAÇÕES
Os roteiros completos da Dearly
Departed podem ser conferidos no site
www.dearlydepartedtours.com.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;