Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Tigrão, rei do funk, aporta no ABC


Everaldo Fioravante
Do Diário do Grande ABC

17/02/2001 | 16:12


Atenção popozudas e bonde de SBs (turma de sangue bom, ou seja, gente boa), pois o Tigrão está solto no Grande ABC. O Bonde do Tigrão faz show neste domingo no Chaplin Food & Beer, em Santo André, a partir das 20h30, com ingressos entre R$ 10 e R$ 20.

O grupo é um dos mais populares e famosos representantes da onda funk carioca que está invadindo o Grande ABC, São Paulo e o Brasil. Tudo por meio de rádio, CDs, bailes e shows.

Conhecido pelo hit Cerol na Mão, Tigrão vem para a região no mesmo dia em que faz sua primeira apresentação paulistana, na Fabbrica 5 (av. Alcântara Machado, 770. Tel.: 3399-3331), na Mooca.

Neste domingo ainda estão programadas outras duas apresentações do Tigrão em São Paulo: uma em um galpão na Favela Paraisópolis (r. Pasquale Gualipi, 70), no abastado bairro Morumbi, e a outra na Cenarius (av. Robert Kennedy, 3.567), em Interlagos.

Outras músicas do Bonde do Tigrão são Tchutchuca (que quer dizer mulher bonita) e Entra e Sai.

Perfil – Tigrão é Leandro Dionísio dos Santos Moraes. Tem 20 anos e estudou até a 5ª série. De origem humilde, nasceu no bairro Cidade de Deus, periferia do Rio. Freqüentou os bailes funk de sua comunidade desde os 14 anos. Antes da fama, trabalhou como empacotador de supermercado. Na linguagem própria dos funkeiros, tigrão quer dizer namorado.

O Bonde do Tigrão também é composto pelos dançarinos Tiaguinho, 16 anos, Vaguinho, 17, e Gustavo, 18. O grupo foi formado por Tigrão em 1998 com a intenção de concorrer em um festival anual de funk do Clube Coroado, também no Rio. Na ocasião, foi premiado como MC revelação e com a melhor montagem de música, no caso a da hoje badalada Cerol na Mão.

Quatro shows por noite, como acontece hoje, não é novidade para o grupo, que tem agenda lotada até meados deste mês.

O funk carioca, conhecido em São Paulo por meio dos noticiários, principalmente devido à violência que muitas vezes acontece (ou acontecia) nesse tipo de evento, hoje não fala mais sobre a vida – sofrida e difícil – da favela e o tráfico, mas sim sobre sexo, e utilizando uma infinidade de gírias.

Além do CD Bonde do Tigrão (Sony, R$ 15 em média), que deve ser lançado ainda este mês, as músicas do Tigrão estão registradas no CD Furacão 2000 – Tornado Muito Nervoso (leia mais nesta página), que pode ser adquirido via internet, por meio do site www.furacao2000.com.br, e também na coletânea Funk Four (Sony, R$ 18 em média).

Quem for ao show ouvirá letras alusivas a sexo e coreografias repletas de gestos obscenos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;