Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Padaria Central: a cada dez minutos, uma pizza


Vivian Costa
Do Diário do Grande ABC

10/11/2008 | 07:02


A cada dez minutos sai uma pizza quentinha na Padaria Central de Santo André. É isso, que faz do pedaço de pizza, servido no balcão, ser tradição no estabelecimento, causando filas de espera nas sextas e sábados. Se fizermos as contas, são 111 pizzas por dia, já que a padaria abre às 6h e fecha por volta das 23h30. Segundo um dos proprietários, Henrique Adolfo Gomes, a padaria oferece 12 tipos de pizzas no balcão, por R$ 3,30 o pedaço. Mas se o cliente quiser uma que não esteja pronta, em cinco minutos estará assada.

Além da pizza e dos tradicionais lanches servidos na padaria, há o lanche de pernil que também agrada a muitos. Só para dar conta da produção diária, uma peça de pernil de 12 quilos é assada. O lanche custa R$ 6,80.

A padaria conta com 39 funcionários que se dividem em dois turnos, para atender aos quase 2 mil clientes diários. "Temos funcionários antigos e, por isso, depositamos toda a confiança neles. Nosso chapeiro, por exemplo, está conosco há 18 anos", comenta. Segundo o empresário, o bom atendimento é lema do estabelecimento. "Aqui o cliente tem sempre razão, e quando vemos que ele não foi bem atendido, chamamos o atendente num canto e conversamos. Explicamos como tem que ser".

Outra coisa que fideliza a clientela, comenta Gomes, é a qualidade dos produtos. "Usamos tudo de boa qualidade porque isso faz a diferença", afirma o empresário.

A padaria também oferece vários tipos de pães que atrai a clientela. "Tem clientes que vem de outros bairros para comprá-los", afirma Gomes. Segundo o empresário a padaria consome entre 180 e 200 sacos de farinha de trigo, de 50 quilos por mês.

O público é composto por vários tipos de pessoas. Durante a semana, os clientes que trabalham perto são a maioria, mas nos finais de semana, "vemos que muitos se tornaram fregueses porque pedem pizza, vêm buscar pão".

Justamente por já atender a um público bastante fiel, Gomes afirma não mexer muito no cardápio, mantendo-o praticamente fiel ao original. Também diz ter cautela ao repassar o aumento do preço dos alimentos.

No final do ano, a padaria também vai oferecer aos clientes panetone de fabricação própria. "Teremos o de 500 g, que custará R$ 10,50 e o de 1 kg por R$ 16", afirma.

A padaria existe desde a década de 1970 e a família está a frente da administração há 29 anos.

Projeto adiado - Segundo Gomes, há um projeto para ampliar o espaço da padaria para acolher melhor os clientes. Mas com a crise, a alta de juros e a escassez de crédito, o projeto foi engavetado. "Somos cautelosos e por isso vamos esperar passar essa turbulência para colocarmos nosso plano em prática", explica.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;