Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Natal Iluminado retorna amanhã à pauta no TCE

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Após adiamento no mês passado, processo sobre convênio suspeito com Aciscs é analisado com novo conselheiro


Raphael Rocha

16/08/2021 | 07:21


A segunda câmara do TCE (Tribunal de Contas do Estado) voltou a pautar a análise da prestação das despesas do convênio do Natal Iluminado, formalizado entre a Prefeitura de São Caetano e a Aciscs (Associação Comercial e Industrial de São Caetano) no fim de 2016. À ocasião, a administração municipal era chefiada por Paulo Pinheiro (DEM) e a associação, pelo advogado Walter Estevam Junior (Republicanos).

O processo regressa à planilha de votação na sessão de amanhã, um mês depois de o conselheiro Dimas Ramalho ter solicitado adiamento para verificar as novas diligências realizadas pela corte de contas sobre a documentação apresentada pelas partes.

O convênio foi formalizado em R$ 1,2 milhão, sendo R$ 1 milhão de recursos públicos e R$ 200 mil em contrapartida da entidade privada, com objetivo de decorar a cidade para o Natal de 2016. Mas a Aciscs não conseguiu comprovar despesas com o objeto do contrato.

Comissão especial de análise documental da parceria dentro da Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura reprovou o balancete apresentado. Encaminhou para o TCE e para o Ministério Público relatório que indicava série de inconsistências nas justificativas da Aciscs. Entre elas, o pagamento com a verba do convênio de refeições regadas a chope, além de quarteirização do serviço de instalação de iluminação diferenciada sem realização de concorrência transparente.

O caso resultou em CPI na Câmara e em ação civil pública por ato de improbidade administrativa ajuizada pelo município contra os personagens envolvidos. Curiosamente, a investigação no Legislativo foi presidida por Tite Campanella (Cidadania), hoje prefeito de São Caetano, crítico do Natal Iluminado e que se aproximou do atual presidente da Aciscs, Alessandro Leone, este que era secretário de Desenvolvimento Econômico à época dos fatos e foi um dos denunciados à Justiça.

Dentro do TCE, o caminho do processo do Natal Iluminado percorreu rotas escusas. Como o conselheiro Robson Marinho está afastado judicialmente de suas funções, há um rodízio na segunda câmara da corte entre o corpo de auditores. O caso parou nas mãos do conselheiro substituto Alexandre Sarquis. Ele recomendou a aprovação do balancete, contrariando todas as orientações de órgãos de controle dentro do próprio TCE, como MPC (Ministério Público de Contas) e diretoria de fiscalização.

O Diário mostrou que Sarquis tem em seu corpo técnico o suporte da assessora Maria Regina Raele, cuja filha, a advogada Fernanda Raele, trabalha no Athie e Piccelli Advogados, empresa contratada pela Aciscs para formalizar a defesa junto ao TCE. Sarquis foi substituído, dentro do rodízio, e passou a relatoria do processo a Antônio Carlos dos Santos, conselheiro substituto que proferiu voto pela regularidade do acordo. Há possibilidade de nova mudança na composição – a segunda câmara conta atualmente com o auditor Valdenir Antonio Polizeli como conselheiro. Além de Polizeli e Dimas, forma a segunda câmara do TCE o conselheiro Renato Martins Costa.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;