Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

PF descobre falsificadores de dinheiro em S.Bernardo


Javier Contreras
Do Diário do Grande ABC

18/07/2003 | 23:12


Um braço de um esquema profissional de falsificação de dinheiro foi desbaratado na manhã desta sexta, pela PF (Polícia Federal), com a apreensão de vários equipamentos de última geração em uma casa na rua Luzitânia, bairro Taboão, São Bernardo. Alexandre Albuquerque Melo foi o único preso no local, mas foi o último de uma lista de nove pessoas presas (quatro da mesma família) desde o último dia 12 em vários pontos da capital – zonas Leste e Oeste – além de Presidente Prudente, no interior do Estado. Segundo a polícia, a quadrilha movimentava R$ 1,5 milhão em notas falsas distribuídas para vários Estados.

A prisão de Melo aconteceu na manhã desta sexta, quando agentes federais da Delegacia Fazendária invadiram a casa no Taboão e encontraram vários computadores, impressoras off-set, máquinas de xerox, papéis moeda lavadas – com fio de segurança e marca d’água – e papéis especiais para impressão em branco no local. Algumas notas de R$ 50 defeituosas foram encontradas em um lixo na casa.

Segundo o delegado Wagner Castilho, chefe de comunicação da PF, o local pode ser considerado o principal entre os outros 11 endereços estourados nos últimos dias. “Tinha equipamentos de grande porte e de última geração para a falsificação do dinheiro, especialmente notas de R$ 50. As notas eram quase perfeitas; as falhas eram quase imperceptíveis”, disse.

Na tarde desta sexta, todos os integrantes da quadrilha presos durante as investigações foram apresentados na sede da Polícia Federal, na capital. Foram presos Manoel Martinho Rafael – para a polícia, o chefe do esquema de falsificação –, sua mulher Izildinha dos Santos Carvalho Pantaleão, seus sogros Paulo Pantaleão, o Chulinho, e Eliana Fernandes Pantaleão. Também foram presos Débora Fernandes de Oliveira, a Loira, José Alberto Alves Borges Serafim, Cláudia Carvalho de Araújo, Cláudio Paulino da Silva, além de Melo, preso na sexta.

De acordo com a polícia, Rafael e seu sogro são reincidentes e já haviam sido presos anteriormente por falsificação de moedas.

Todo o bando foi indiciado pelo mesmo crime, além de formação de quadrilha.

Segundo o delegado Castilho, as investigações começaram há três meses, mas somente nos últimos dias, a partir das primeiras prisões, puderam desvendar os locais onde funcionavam as gráficas do crime. Equipamentos modernos foram encontrados na maioria dos lugares. Cada nota era vendida a R$ 5 para os distribuidores e repassada a R$ 16.

Conexão – A distribuição do dinheiro falso tinha uma conexão com quatro Estados brasileiros, além de Brasília: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Goiás. A polícia acredita ter prendido todos os integrantes dessa quadrilha de falsificadores do dinheiro.

As investigações da PF agora se resumirão em descobrir e prender os distribuidores do dinheiro nesses Estados.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;