Fechar
Publicidade

Domingo, 28 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ramalhão faz jogo irreconhecível e cai diante do Marília

Ricardo Trida/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Time entra desconcentrado, toma dois gols do
Marília em um minuto e perde a primeira na A-2


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

14/02/2016 | 07:00


O Marília não vencia uma partida oficial há 22 meses – 19 jogos –, vive crise financeira e usou time cheio de improvisações, ontem, contra o Santo André, no Bruno Daniel, pela Série A-2. Mas a apatia dos jogadores do Ramalhão pôs tudo a perder e a equipe deixou o gramado com derrota por 3 a 1 e sob intensa vaia das arquibancadas.

Nada funcionou no Santo André. O time entrou em campo visivelmente desconcentrado e achando que faria o gol a qualquer momento. Jogadores que vinham fazendo a diferença, como o lateral-esquerdo Pedro Henrique e o atacante Róbson, estavam irreconhecíveis. Já o zagueiro Jonas, que voltava de lesão, fez um dos piores jogos com a camisa do Ramalhão.

Do outro lado, se faltava qualidade, sobrou empenho ao jovem time do Marília. Aproveitando os incríveis erros individuais do Santo André, a equipe do Interior marcou duas vezes em um minuto, com Rodrigo Paganelli e Du Gaia, fazendo cair na real o time andreense.

Irritado com o comportamento da equipe, o técnico Luciano Dias voltou com duas mudanças para o segundo tempo e a presença de Paulo na lateral esquerda e Luciano Sorriso no meio deram outra cara ao time.

Bastaram 12 minutos para que o zagueiro Diogo Borges soltasse a bomba em cobrança de falta e diminuísse o placar: 2 a 1.

Envolvente, o Ramalhão criou duas grandes chances para empatar, mas Robson parou no goleiro e Branquinho, na trave.

Quando a pressão andreense era grande, Jonas fez falta infantil e na cobrança Carlinhos contou com desvio da zaga para dar tiro de misericórdia em tarde para ser esquecida pelo Santo André.

Equipe reconhece que foi surpreendida

O clima era de velório no vestiário do Santo André. Todos tentavam explicar como um time que vinha voando na Série A-2 sucumbiu diante de adversário que brigava na parte de baixo da tabela. A falta de concentração foi apontada como a culpada pelo banho de água fria.

“Nossa equipe não conseguiu jogar o que vinha apresentando, um pouco por conta do adversário e um pouco também porque tivemos muitos erros individuais. Algumas peças não funcionaram, não conseguiram entrar no jogo e isso atrapalha muito a parte coletiva”, explicou o técnico Luciano Dias.

O treinador disse que havia alertado o grupo da dificuldade da partida, mesmo com o MAC na parte de baixo da tabela. “Temos de fazer reflexão para que a gente entenda que os jogos não vão ser fáceis, que Série A-2 é isso. Independentemente da posição da tabela, o adversário é duro e não entramos com nível de atenção necessário. Fomos surpreendidos”, assumiu.

O atacante Gilmar acusou o golpe. “Foi uma derrota que o grupo não estava esperando. Fizemos viagem bastante desgastante de Batatais, chegamos às 7h em Santo André e a recuperação não é a mesma, sem tirar a responsabilidade da equipe”, disse. “Melhor acontecer isso agora do que lá na frente, mas o foco é o mesmo, trabalhar para já na terça-feira fazer um belo jogo fora de casa e trazer o resultado”, projetou. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;