Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Vacinação fará economia andar, mas não será obrigatória, diz Boris Johnson

Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Reino Unido tornou-se nesta quarta-feira o primeiro país ocidental a autorizar o uso emergencial de um imunizante para o coronavírus



02/12/2020 | 10:19


O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta quarta-feira que o início da vacinação contra a covid-19 no país "permitirá recuperar nossas vidas e fazer nossa economia andar novamente". "Eu gostaria de agradecer a todos aqueles que tornaram isso possível", acrescentou o líder no Parlamento britânico. Segundo o premiê, contudo, que não há planos para tornar a vacinação obrigatória.

"Recomendo fortemente às pessoas que tomem a vacina, mas não faz parte da nossa cultura ou da nossa ambição neste país tornar as vacinas obrigatórias", declarou o premiê.

O Reino Unido tornou-se nesta quarta-feira o primeiro país ocidental a autorizar o uso emergencial de um imunizante para o coronavírus. A luz verde para a vacina desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech foi dada pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde (MHRA, na sigla em inglês).

Depois do anúncio, o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, prometeu iniciar a imunização já na próxima semana, quando 800 mil doses da vacina devem chegar ao país.

De acordo com Johnson, as prioridades na vacinação serão os idosos que vivem em asilos, os cuidadores de idosos, os que tem mais de 80 anos e os profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia.

O primeiro-ministro classificou a aprovação da vacina como "uma notícia muito boa", mas frisou que "não é o fim da nossa luta nacional contra o coronavírus".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vacinação fará economia andar, mas não será obrigatória, diz Boris Johnson

Reino Unido tornou-se nesta quarta-feira o primeiro país ocidental a autorizar o uso emergencial de um imunizante para o coronavírus


02/12/2020 | 10:19


O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou nesta quarta-feira que o início da vacinação contra a covid-19 no país "permitirá recuperar nossas vidas e fazer nossa economia andar novamente". "Eu gostaria de agradecer a todos aqueles que tornaram isso possível", acrescentou o líder no Parlamento britânico. Segundo o premiê, contudo, que não há planos para tornar a vacinação obrigatória.

"Recomendo fortemente às pessoas que tomem a vacina, mas não faz parte da nossa cultura ou da nossa ambição neste país tornar as vacinas obrigatórias", declarou o premiê.

O Reino Unido tornou-se nesta quarta-feira o primeiro país ocidental a autorizar o uso emergencial de um imunizante para o coronavírus. A luz verde para a vacina desenvolvida pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com a alemã BioNTech foi dada pela Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde (MHRA, na sigla em inglês).

Depois do anúncio, o ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, prometeu iniciar a imunização já na próxima semana, quando 800 mil doses da vacina devem chegar ao país.

De acordo com Johnson, as prioridades na vacinação serão os idosos que vivem em asilos, os cuidadores de idosos, os que tem mais de 80 anos e os profissionais da saúde que estão na linha de frente do combate à pandemia.

O primeiro-ministro classificou a aprovação da vacina como "uma notícia muito boa", mas frisou que "não é o fim da nossa luta nacional contra o coronavírus".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;