Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá encerra revezamento de servidores da área social

Prefeitura convoca trabalhadores para retornarem juntos ao trabalho presencial


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

22/05/2020 | 00:01


O governo do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), decidiu convocar todos os servidores lotados na Secretaria de Promoção Social para retornarem ao trabalho presencial conjuntamente a partir do dia 1º. Devido às medidas de isolamento físico, os funcionários estavam atuando no setor em esquema de revezamento.

Nesta semana, porém, o Paço mauaense divulgou comunicado interno informando que “as escalas de revezamento chegam ao fim em 1º de junho” e que, dessa forma, todos os funcionários lotados na pasta “retornam ao trabalho normalmente”. A medida foi criticada internamente por servidores por não prever, inicialmente, cautela com aglomerações.

O aviso, assinado pela primeira-dama e secretária de Promoção Social, Andreia Rolim Rios, porém, exclui do retorno às atividades os “servidores com idade a partir de 60 anos; com idade inferior a 60, desde que estejam em estado de saúde debilitada ou crônica, propensos a desenvolver com maior facilidade as complicações de saúde provocadas pelo coronavírus; e gestantes”, como prevê decreto editado por Atila que prevê as iniciativas para o enfrentamento da pandemia.

Questionado sobre a decisão, o governo Atila alegou que a medida foi necessária para que os servidores possam auxiliar o Fundo Social de Solidariedade. “Conforme o primeiro decreto que afastou os servidores que estavam em grupo de risco, está claro que algumas secretarias essenciais não deveriam parar como a de Saúde, Segurança Pública, Promoção Social e outras. O Fundo Social de Solidariedade também faz parte desta ação e, até o momento, os servidores estavam atuando por meio de revezamento, porém, recebemos uma grande doação de cestas básicas do governo do Estado e por isso precisamos da colaboração de todos os funcionários do setor”, justificou a administração sem especificar quais ações serão adotadas para evitar aglomerações no setor.

Paralelamente a isso, a Câmara de Mauá segue como a única do Grande ABC a paralisar por completo os serviços. Ao contrário das demais casas, o Legislativo mauaense sequer tem convocado sessões virtuais.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mauá encerra revezamento de servidores da área social

Prefeitura convoca trabalhadores para retornarem juntos ao trabalho presencial

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

22/05/2020 | 00:01


O governo do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), decidiu convocar todos os servidores lotados na Secretaria de Promoção Social para retornarem ao trabalho presencial conjuntamente a partir do dia 1º. Devido às medidas de isolamento físico, os funcionários estavam atuando no setor em esquema de revezamento.

Nesta semana, porém, o Paço mauaense divulgou comunicado interno informando que “as escalas de revezamento chegam ao fim em 1º de junho” e que, dessa forma, todos os funcionários lotados na pasta “retornam ao trabalho normalmente”. A medida foi criticada internamente por servidores por não prever, inicialmente, cautela com aglomerações.

O aviso, assinado pela primeira-dama e secretária de Promoção Social, Andreia Rolim Rios, porém, exclui do retorno às atividades os “servidores com idade a partir de 60 anos; com idade inferior a 60, desde que estejam em estado de saúde debilitada ou crônica, propensos a desenvolver com maior facilidade as complicações de saúde provocadas pelo coronavírus; e gestantes”, como prevê decreto editado por Atila que prevê as iniciativas para o enfrentamento da pandemia.

Questionado sobre a decisão, o governo Atila alegou que a medida foi necessária para que os servidores possam auxiliar o Fundo Social de Solidariedade. “Conforme o primeiro decreto que afastou os servidores que estavam em grupo de risco, está claro que algumas secretarias essenciais não deveriam parar como a de Saúde, Segurança Pública, Promoção Social e outras. O Fundo Social de Solidariedade também faz parte desta ação e, até o momento, os servidores estavam atuando por meio de revezamento, porém, recebemos uma grande doação de cestas básicas do governo do Estado e por isso precisamos da colaboração de todos os funcionários do setor”, justificou a administração sem especificar quais ações serão adotadas para evitar aglomerações no setor.

Paralelamente a isso, a Câmara de Mauá segue como a única do Grande ABC a paralisar por completo os serviços. Ao contrário das demais casas, o Legislativo mauaense sequer tem convocado sessões virtuais.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;