Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Dez anos de mistura

Banda Ba-Boom celebra maturidade com festa repleta de
atrações no Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E, em S.Caetano


Ângela Corrêa
Do Diário do Grande ABC

09/12/2010 | 07:00


Músicos têm justificada fama de gostar de andar em grupos, mas, no caso do Ba-boom, trata-se mesmo de rotina. Composta por dez integrantes, a banda, que faz competente mistura de ritmos da Jamaica com os do País, celebra uma década de estrada com festa no sábado, no Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E, em São Caetano.

O momento consolida também a linguagem plural que os irmãos Cauê (teclado) e Raoni (baixo) e o primo deles, Cassiano (bateria), fundadores da banda, se habituaram a investigar desde as primeiras jams da adolescência, em São Bernardo.

"Como não tínhamos muita experiência, começamos com punk rock, que tem acordes simples, fáceis de tocar. O som nunca parou de evoluir e fomos expandindo para os ritmos da Jamaica, acompanhando uma cena underground que tinha dub e ska e não apenas o reggae que nós estávamos acostumados a ouvir. Mais amadurecidos, começamos a nos interessar pela música brasileira. É por isso que para nós é uma grande dificuldade definir que gênero musical tocamos", diz o baterista.

Já com quase quatro anos de existência e algumas tentativas com vocalistas, a Ba-Boom incorporou Bruno Buias, que procurava nova banda. "Hoje ele é o nosso principal compositor", diz Cassiano.

Incentivados pela vontade de variar as experimentações, a banda decidiu incorporar novos músicos, que trouxeram diferentes linguagues. Há quase dois anos, formam a dezena que consideram seu formato ideal. "É o melhor momento da banda", atesta Cassiano.

"Cada um vem de uma escola diferente. Há os sambistas, eu vim do jazz. Essa bagagem só ajuda no nosso propósito", diz o trombonista Victor Fão, um dos que entraram na última leva de músicos. Completam a banda Allan (guitarra), Kiko (sax tenor), Bio (sax barítono), Guarujá (percussão) e Bira (percussão). De janeiro a março, eles colocam a mistura à prova durante a gravação do primeiro álbum (até então, só haviam lançado um EP).

É no espírito de mostrar a raiz de cada um dos músicos que a celebração de aniversário deve se dar. A festa '10 Anos, 10 Manos', mistura intervenções teatrais, capoeira, artes plásticas e, claro, música dos anfitriões e dos amigos, Cisco Kids (que faz cover do Sublime) e M.Nalesso & The Big Bang Band.

10 Anos, 10 Manos - Festa de aniversário do Ba-Boom. Sábado, a partir das 16h30. No Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E. - Rua Senador Vergueiro, 551. São Caetano. Ingr.: R$ 10

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dez anos de mistura

Banda Ba-Boom celebra maturidade com festa repleta de
atrações no Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E, em S.Caetano

Ângela Corrêa
Do Diário do Grande ABC

09/12/2010 | 07:00


Músicos têm justificada fama de gostar de andar em grupos, mas, no caso do Ba-boom, trata-se mesmo de rotina. Composta por dez integrantes, a banda, que faz competente mistura de ritmos da Jamaica com os do País, celebra uma década de estrada com festa no sábado, no Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E, em São Caetano.

O momento consolida também a linguagem plural que os irmãos Cauê (teclado) e Raoni (baixo) e o primo deles, Cassiano (bateria), fundadores da banda, se habituaram a investigar desde as primeiras jams da adolescência, em São Bernardo.

"Como não tínhamos muita experiência, começamos com punk rock, que tem acordes simples, fáceis de tocar. O som nunca parou de evoluir e fomos expandindo para os ritmos da Jamaica, acompanhando uma cena underground que tinha dub e ska e não apenas o reggae que nós estávamos acostumados a ouvir. Mais amadurecidos, começamos a nos interessar pela música brasileira. É por isso que para nós é uma grande dificuldade definir que gênero musical tocamos", diz o baterista.

Já com quase quatro anos de existência e algumas tentativas com vocalistas, a Ba-Boom incorporou Bruno Buias, que procurava nova banda. "Hoje ele é o nosso principal compositor", diz Cassiano.

Incentivados pela vontade de variar as experimentações, a banda decidiu incorporar novos músicos, que trouxeram diferentes linguagues. Há quase dois anos, formam a dezena que consideram seu formato ideal. "É o melhor momento da banda", atesta Cassiano.

"Cada um vem de uma escola diferente. Há os sambistas, eu vim do jazz. Essa bagagem só ajuda no nosso propósito", diz o trombonista Victor Fão, um dos que entraram na última leva de músicos. Completam a banda Allan (guitarra), Kiko (sax tenor), Bio (sax barítono), Guarujá (percussão) e Bira (percussão). De janeiro a março, eles colocam a mistura à prova durante a gravação do primeiro álbum (até então, só haviam lançado um EP).

É no espírito de mostrar a raiz de cada um dos músicos que a celebração de aniversário deve se dar. A festa '10 Anos, 10 Manos', mistura intervenções teatrais, capoeira, artes plásticas e, claro, música dos anfitriões e dos amigos, Cisco Kids (que faz cover do Sublime) e M.Nalesso & The Big Bang Band.

10 Anos, 10 Manos - Festa de aniversário do Ba-Boom. Sábado, a partir das 16h30. No Espaço Cultural da M.A.T.I.L.D.E. - Rua Senador Vergueiro, 551. São Caetano. Ingr.: R$ 10

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;