Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Combustíveis ficam mais caros


Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

02/07/2005 | 07:55


Os preços do álcool e da gasolina terão aumento a partir da próxima semana O Regran (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Grande ABC) informa que o litro do álcool subirá entre 10% a 12% e passará a custar, na maioria dos postos, de R$ 1,00 a R$ 1,08; o litro da gasolina terá acréscimo de 1,5% a 2%, passando a custar de R$ 2,12 e R$ 2,18.

O reajuste, de acordo com a entidade, se deve ao aumento dos preços dos combustíveis fornecidos pelas distribuidoras. O Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustível e Lubrificantes), por sua vez, alega que os combustíveis custarão mais em razão da alta no custo do álcool hidratado (utilizado na produção do álcool combustível) e do álcool anidro (que representa 25% da composição da gasolina).

O preços serão reajustados pelos postos da região na medida em que os estoques dos estabelecimentos precisarem de reposição. "Os postos e as companhias de petróleo foram pegos de surpresa pelos usineiros, que decidiram aumentar o preço do álcool. Desde ontem (quinta-feira), os empresários que compraram combustíveis já receberam os produtos mais caros", afirmou o presidente do sindicato, Marcos Campagnaro.

\r\n

A técnica do Cepea-USP (Centro de Estudos Avançados e \r\nPesquisas Aplicadas da Universidade de São Paulo) Miriam Bachi disse que, na \r\núltima semana, o preço do álcool hidratado aumentou 9,4% e do álcool anidro 8%. \r\n"Alguns especialistas afirmaram que a safra da cana-de-açúcar (matéria-prima do \r\nálcool) seria 10% maior do que o previsto e os preços acabaram caindo há alguns \r\nmeses. Como isso não ocorreu, os preços estão se recuperando. Além disso, os \r\nusineiros estão exportando muito açúcar e acabam não se preocupando em tornar os \r\npreços (tanto do álcool como do açúcar) mais competitivos no mercado interno", \r\nexplicou.

\r\n

Levantamento do Diário aponta que, um proprietário de \r\ncarro pequeno à álcool, com capacidade para 45 litros de combustível, gastará R$ \r\n6 a mais para encher o tanque. Se for um carro a gasolina nas mesmas condições, \r\no aumento será, em média, de R$ 2.

\r\n

 

\r\n

 

\r\n

Três milhões ainda não resgataram o Fundo 157

\r\n

 

\r\n

Clarissa Cavalcanti<br>Do Diário do Grande ABC \r\n

\r\n

Mais de 3 milhões de pessoas em todo o país têm aplicações \r\nno chamado Fundo 157, mas boa parte ainda não retirou o dinheiro - muitos \r\ninvestidores nem sabem que há dinheiro para receber. A CVM (Comissão de Valores \r\nImobiliários), atual administradora do fundo, está à procura dessas pessoas. \r\nPodem sacar os recursos parados da aplicação os contribuintes que depositaram \r\nparte do imposto de renda declarado entre anos de 1967 e 1983. Atualmente, o \r\nfundo tem mais de 584 milhões de reais depositados e não há data limite para o \r\nsaque do dinheiro. ",1]);//-->

O vice-presidente executivo do Sindicom, Alísio Mendes Vaz, afirmou que o aumento dos preços pelas distribuidoras é conseqüência do encarecimento dos combustíveis. "As usinas venderam o álcool cerca de 5% mais caro para as companhias na última semana. Isso influencia no preço para o consumidor final." Ele destacou que, devido ao mercado ser livre, cada distribuidora pode reajustar os preços da maneira que achar conveniente.

A técnica do Cepea-USP (Centro de Estudos Avançados e Pesquisas Aplicadas da Universidade de São Paulo) Miriam Bachi disse que, na última semana, o preço do álcool hidratado aumentou 9,4% e do álcool anidro 8%. "Alguns especialistas afirmaram que a safra da cana-de-açúcar (matéria-prima do álcool) seria 10% maior do que o previsto e os preços acabaram caindo há alguns meses. Como isso não ocorreu, os preços estão se recuperando. Além disso, os usineiros estão exportando muito açúcar e acabam não se preocupando em tornar os preços (tanto do álcool como do açúcar) mais competitivos no mercado interno", explicou.

Levantamento do Diário aponta que, um proprietário de carro pequeno à álcool, com capacidade para 45 litros de combustível, gastará R$ 6 a mais para encher o tanque. Se for um carro a gasolina nas mesmas condições, o aumento será, em média, de R$ 2.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Combustíveis ficam mais caros

Mariana Oliveira
Do Diário do Grande ABC

02/07/2005 | 07:55


Os preços do álcool e da gasolina terão aumento a partir da próxima semana O Regran (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Grande ABC) informa que o litro do álcool subirá entre 10% a 12% e passará a custar, na maioria dos postos, de R$ 1,00 a R$ 1,08; o litro da gasolina terá acréscimo de 1,5% a 2%, passando a custar de R$ 2,12 e R$ 2,18.

O reajuste, de acordo com a entidade, se deve ao aumento dos preços dos combustíveis fornecidos pelas distribuidoras. O Sindicom (Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustível e Lubrificantes), por sua vez, alega que os combustíveis custarão mais em razão da alta no custo do álcool hidratado (utilizado na produção do álcool combustível) e do álcool anidro (que representa 25% da composição da gasolina).

O preços serão reajustados pelos postos da região na medida em que os estoques dos estabelecimentos precisarem de reposição. "Os postos e as companhias de petróleo foram pegos de surpresa pelos usineiros, que decidiram aumentar o preço do álcool. Desde ontem (quinta-feira), os empresários que compraram combustíveis já receberam os produtos mais caros", afirmou o presidente do sindicato, Marcos Campagnaro.

\r\n

A técnica do Cepea-USP (Centro de Estudos Avançados e \r\nPesquisas Aplicadas da Universidade de São Paulo) Miriam Bachi disse que, na \r\núltima semana, o preço do álcool hidratado aumentou 9,4% e do álcool anidro 8%. \r\n"Alguns especialistas afirmaram que a safra da cana-de-açúcar (matéria-prima do \r\nálcool) seria 10% maior do que o previsto e os preços acabaram caindo há alguns \r\nmeses. Como isso não ocorreu, os preços estão se recuperando. Além disso, os \r\nusineiros estão exportando muito açúcar e acabam não se preocupando em tornar os \r\npreços (tanto do álcool como do açúcar) mais competitivos no mercado interno", \r\nexplicou.

\r\n

Levantamento do Diário aponta que, um proprietário de \r\ncarro pequeno à álcool, com capacidade para 45 litros de combustível, gastará R$ \r\n6 a mais para encher o tanque. Se for um carro a gasolina nas mesmas condições, \r\no aumento será, em média, de R$ 2.

\r\n

 

\r\n

 

\r\n

Três milhões ainda não resgataram o Fundo 157

\r\n

 

\r\n

Clarissa Cavalcanti<br>Do Diário do Grande ABC \r\n

\r\n

Mais de 3 milhões de pessoas em todo o país têm aplicações \r\nno chamado Fundo 157, mas boa parte ainda não retirou o dinheiro - muitos \r\ninvestidores nem sabem que há dinheiro para receber. A CVM (Comissão de Valores \r\nImobiliários), atual administradora do fundo, está à procura dessas pessoas. \r\nPodem sacar os recursos parados da aplicação os contribuintes que depositaram \r\nparte do imposto de renda declarado entre anos de 1967 e 1983. Atualmente, o \r\nfundo tem mais de 584 milhões de reais depositados e não há data limite para o \r\nsaque do dinheiro. ",1]);//-->

O vice-presidente executivo do Sindicom, Alísio Mendes Vaz, afirmou que o aumento dos preços pelas distribuidoras é conseqüência do encarecimento dos combustíveis. "As usinas venderam o álcool cerca de 5% mais caro para as companhias na última semana. Isso influencia no preço para o consumidor final." Ele destacou que, devido ao mercado ser livre, cada distribuidora pode reajustar os preços da maneira que achar conveniente.

A técnica do Cepea-USP (Centro de Estudos Avançados e Pesquisas Aplicadas da Universidade de São Paulo) Miriam Bachi disse que, na última semana, o preço do álcool hidratado aumentou 9,4% e do álcool anidro 8%. "Alguns especialistas afirmaram que a safra da cana-de-açúcar (matéria-prima do álcool) seria 10% maior do que o previsto e os preços acabaram caindo há alguns meses. Como isso não ocorreu, os preços estão se recuperando. Além disso, os usineiros estão exportando muito açúcar e acabam não se preocupando em tornar os preços (tanto do álcool como do açúcar) mais competitivos no mercado interno", explicou.

Levantamento do Diário aponta que, um proprietário de carro pequeno à álcool, com capacidade para 45 litros de combustível, gastará R$ 6 a mais para encher o tanque. Se for um carro a gasolina nas mesmas condições, o aumento será, em média, de R$ 2.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;