Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Outra morte na Billings, um dia após 7 crianças afogadas


Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

24/07/2006 | 07:50


Enquanto eram enterradas as sete crianças que morreram afogadas sábado na represa Billings, no Jardim Porto Novo, em São Bernardo, outro acidente fatal envolvendo um adolescente acontecia no reservatório de água. Dener Cristian Martins Rosa, 14 anos, se afogou quando nadava com um irmão e um primo, no braço da Billings, na altura do Km 36 da estrada Velha, no Riacho Grande.

O pai de Dener, o autônomo Adalberto Martins Rosa, 43, contou que o menino, o irmão e o primo haviam combinado de nadar até determinado ponto da represa. O pai ficou acompanhado a travessia de longe. O irmão e o primo conseguiram chegar no ponto, mas Dener acabou se afogando. O pai nadou em direção ao menino, mas não conseguiu salvá-lo. Os bombeiros resgataram o corpo.

Enterros – As sete crianças mortas em um naufrágio de barco na Billings  foram enterradas domingo no Cemitério Municipal de Diadema. A maioria morava Parque Reid, em Diadema, o que mobilizou muitos moradores, chocados com a tragédia. As duas crianças sobreviventes continuam internadas no Hospital Municipal de Diadema. Segundo familiares, o estado de ambas é estável.

O lubrificador José Silva dos Santos, pai de uma das crianças mortas e único adulto entre os dez menores que estavam no barco, não acompanhou o o enterro. Segundo parentes, para se prevenir de linchamento.

Familiares das outras vítimas não expressaram sentimentos de raiva ou vingança contra Santos. “Não dá só para culpar o rapaz. Todo mundo lá poderia ter feito alguma coisa, mas essa desgraça horrível aconteceu”, disse o porteiro Robson Martins, 26 anos, tio de Ingrid Estevão dos Santos, que morreu. Santos pode ser indiciado por homicídio culposo.

As crianças foram enterradas no columbário. A comoção à medida que as gavetas eram fechadas foi tanta que, na cerimônia de Deverson Willian dos Santos, 7, o sepultador não resistiu e, emocionado, consolou os parentes com mensagens religiosas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Outra morte na Billings, um dia após 7 crianças afogadas

Adriana Ferraz e Bruno Ribeiro
Do Diário do Grande ABC

24/07/2006 | 07:50


Enquanto eram enterradas as sete crianças que morreram afogadas sábado na represa Billings, no Jardim Porto Novo, em São Bernardo, outro acidente fatal envolvendo um adolescente acontecia no reservatório de água. Dener Cristian Martins Rosa, 14 anos, se afogou quando nadava com um irmão e um primo, no braço da Billings, na altura do Km 36 da estrada Velha, no Riacho Grande.

O pai de Dener, o autônomo Adalberto Martins Rosa, 43, contou que o menino, o irmão e o primo haviam combinado de nadar até determinado ponto da represa. O pai ficou acompanhado a travessia de longe. O irmão e o primo conseguiram chegar no ponto, mas Dener acabou se afogando. O pai nadou em direção ao menino, mas não conseguiu salvá-lo. Os bombeiros resgataram o corpo.

Enterros – As sete crianças mortas em um naufrágio de barco na Billings  foram enterradas domingo no Cemitério Municipal de Diadema. A maioria morava Parque Reid, em Diadema, o que mobilizou muitos moradores, chocados com a tragédia. As duas crianças sobreviventes continuam internadas no Hospital Municipal de Diadema. Segundo familiares, o estado de ambas é estável.

O lubrificador José Silva dos Santos, pai de uma das crianças mortas e único adulto entre os dez menores que estavam no barco, não acompanhou o o enterro. Segundo parentes, para se prevenir de linchamento.

Familiares das outras vítimas não expressaram sentimentos de raiva ou vingança contra Santos. “Não dá só para culpar o rapaz. Todo mundo lá poderia ter feito alguma coisa, mas essa desgraça horrível aconteceu”, disse o porteiro Robson Martins, 26 anos, tio de Ingrid Estevão dos Santos, que morreu. Santos pode ser indiciado por homicídio culposo.

As crianças foram enterradas no columbário. A comoção à medida que as gavetas eram fechadas foi tanta que, na cerimônia de Deverson Willian dos Santos, 7, o sepultador não resistiu e, emocionado, consolou os parentes com mensagens religiosas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;