Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Gás sarin foi usado em ataque em abril na Síria, diz entidade

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Há alguns dias, os Estados Unidos acusaram
o governo sírio de preparar um ataque similar



30/06/2017 | 15:23


O mortífero gás sarin foi usado em um ataque na Síria em abril, afirmou nesta sexta-feira a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPCW, na sigla em inglês), uma entidade internacional que monitora o uso de armas químicas. Há alguns dias, os Estados Unidos acusaram o governo sírio de preparar um ataque similar.

Os EUA, o Reino Unido e outras potências ocidentais já haviam acusado o regime do presidente Bashar al-Assad de usar gás sarin no ataque de 4 de abril na cidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib, quando pelo menos 85 pessoas morreram. A confirmação pela entidade não atribui a culpa pelo ataque. Agora, uma investigação conjunta da OPCW e da Organização das Nações Unidas usará as conclusões anunciadas nesta sexta-feira para avaliar responsabilidades.

Em resposta ao ataque com gás, o mais mortífero uso de armas químicas na Síria desde 2013, o presidente Donald Trump ordenou um ataque com mísseis americanos na base aérea síria que, segundo Washington, tinha participado da ação com arma química.

A OPCW disse que participou de autópsias, coletou amostras médicas de vítimas e entrevistou testemunhas.

Na quinta-feira em Bruxelas, o secretário de Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, disse que há pouca dúvida de que o governo sírio foi responsável pelo ataque de abril. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gás sarin foi usado em ataque em abril na Síria, diz entidade

Há alguns dias, os Estados Unidos acusaram
o governo sírio de preparar um ataque similar


30/06/2017 | 15:23


O mortífero gás sarin foi usado em um ataque na Síria em abril, afirmou nesta sexta-feira a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPCW, na sigla em inglês), uma entidade internacional que monitora o uso de armas químicas. Há alguns dias, os Estados Unidos acusaram o governo sírio de preparar um ataque similar.

Os EUA, o Reino Unido e outras potências ocidentais já haviam acusado o regime do presidente Bashar al-Assad de usar gás sarin no ataque de 4 de abril na cidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib, quando pelo menos 85 pessoas morreram. A confirmação pela entidade não atribui a culpa pelo ataque. Agora, uma investigação conjunta da OPCW e da Organização das Nações Unidas usará as conclusões anunciadas nesta sexta-feira para avaliar responsabilidades.

Em resposta ao ataque com gás, o mais mortífero uso de armas químicas na Síria desde 2013, o presidente Donald Trump ordenou um ataque com mísseis americanos na base aérea síria que, segundo Washington, tinha participado da ação com arma química.

A OPCW disse que participou de autópsias, coletou amostras médicas de vítimas e entrevistou testemunhas.

Na quinta-feira em Bruxelas, o secretário de Defesa do Reino Unido, Michael Fallon, disse que há pouca dúvida de que o governo sírio foi responsável pelo ataque de abril. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;