Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ásia: países devastados por terremoto podem sofrer com epidemias


Da AFP

27/12/2004 | 16:58


O violento terremoto que originou ondas gigantes (tsunamis) e devastou sete países ao sul da Ásia comporta também o risco de epidemias, principalmente de doenças digestivas e respiratórias, mais ou menos em níveis elevados de acordo com o nível de saúde e higiene de cada país.

A vida dos sobreviventes e os cuidados com os feridos - já difíceis por causa da destruição de estradas e pontes e das comunicações cortadas - é ainda mais complicado em virtude da extensão geográfica do desastre, o que não permite que os esforços se concentrem em apenas um país ou zona.

Vários Estados, principalmente Índia, Sri Lanka, Indonésia, Malásia, Ilhas Maldivas e Tailândia, foram afetados pelo terremoto e conseqüente maremoto, que causou pelo menos 23 mil mortos.

"Abrigos, protetores, água potável, comida, utensílios domésticos são esperados como necessidades prioritárias", explica o chefe do departamento da Ásia e Pacífico da Cruz Vermelha, Simon Missiri.

"A principal ameaça está nas doenças (provenientes) da água, em particular a malária e a diarréia, e as infecções das vias respiratórias", disse um outro membro da Cruz Vermelha em Genebra, Hakan Sandbladh.

O acesso à água potável, sabão e a evacuação das águas residuais são estratégicos para a prevenção das epidemias ligadas aos germes fecais, como as enfermidades diarréicas do tipo da cólera, transmitida por águas contaminadas de excrementos humanos ou alimentos em decomposição. A febre tifóide também pode se desenvolver nestas condições. "O risco varia segundo o país e a região afetados (nível do sistema de saúde, economia, epidemia já presente)", comentou a organização MSF (Médicos Sem Fronteiras).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ásia: países devastados por terremoto podem sofrer com epidemias

Da AFP

27/12/2004 | 16:58


O violento terremoto que originou ondas gigantes (tsunamis) e devastou sete países ao sul da Ásia comporta também o risco de epidemias, principalmente de doenças digestivas e respiratórias, mais ou menos em níveis elevados de acordo com o nível de saúde e higiene de cada país.

A vida dos sobreviventes e os cuidados com os feridos - já difíceis por causa da destruição de estradas e pontes e das comunicações cortadas - é ainda mais complicado em virtude da extensão geográfica do desastre, o que não permite que os esforços se concentrem em apenas um país ou zona.

Vários Estados, principalmente Índia, Sri Lanka, Indonésia, Malásia, Ilhas Maldivas e Tailândia, foram afetados pelo terremoto e conseqüente maremoto, que causou pelo menos 23 mil mortos.

"Abrigos, protetores, água potável, comida, utensílios domésticos são esperados como necessidades prioritárias", explica o chefe do departamento da Ásia e Pacífico da Cruz Vermelha, Simon Missiri.

"A principal ameaça está nas doenças (provenientes) da água, em particular a malária e a diarréia, e as infecções das vias respiratórias", disse um outro membro da Cruz Vermelha em Genebra, Hakan Sandbladh.

O acesso à água potável, sabão e a evacuação das águas residuais são estratégicos para a prevenção das epidemias ligadas aos germes fecais, como as enfermidades diarréicas do tipo da cólera, transmitida por águas contaminadas de excrementos humanos ou alimentos em decomposição. A febre tifóide também pode se desenvolver nestas condições. "O risco varia segundo o país e a região afetados (nível do sistema de saúde, economia, epidemia já presente)", comentou a organização MSF (Médicos Sem Fronteiras).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;