Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 30 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Idec dá dicas para pechincha


Andrea Catao Maziero
Da Redaçao

12/03/1999 | 21:06


Os técnicos do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) desenvolveram o Manual do Pechincheiro - disponível na revista Consumidor SA deste mês - como forma de orientar o comprador a obter o desconto em compras a vista. O manual informa que os vendedores estao orientados a dar descontos, desde que o consumidor os peça.  

O primeiro passo é pesquisar os preços. Para isso, o interessado deve verificar anúncios em jornais e revistas, entre outros, depois basta estipular qual o máximo que se quer e pode pagar por determinada mercadoria. Além disso, é necessário conhecer bem o produto para ter argumentos para conversar com o vendedor e rejeitar acessórios desnecessários.  

Se o consumidor encontrou o produto desejado com preço e condiçoes de pagamento atraentes, é o momento de ir até a loja para adquiri-lo. É importante que se vá com tempo e paciência para garantir uma boa compra. O consumidor nao deve demonstrar entusiasmo por comprar. Os técnicos do Idec garantem que o consumidor deve ouvir mais do que falar. 

É imprescindível que o comprador nao demonstre que sabe tudo sobre o produto. Perguntar para o vendedor sobre a mercadoria é importante, além de deixar o funcionário da loja mostrar catálogos ou falar do estabelecimento, pois é necessário valorizar o trabalho do atendente.

Se este gastar pouco tempo com o consumidor, nao se importará em perder o negócio, ao contrário do vendedor que investiu muito tempo no cliente, que nao hesitará em conceder descontos.  

Mas ouvir nao significa concordar. O consumidor também nao deve comprar o produto com receio de o vendedor ficar bravo por ter perdido tanto tempo. Ele está na loja para atender.  

Caso o consumidor acredite que o preço está muito alto, é hora de falar sem hesitaçao. O vendedor pode dar o desconto imediatamente - o que já está previsto na tabela da loja.   

Fazer leilao também ajuda. O consumidor pode dizer que está pesquisando os preços e fará a compra no local que oferecer a melhor oferta. Para abater mais o preço, proponha alternativas, como dispensar algum acessório. Como última alternativa, no fechamento do negócio, o consumidor pode, por exemplo, sacar o talao de cheques e, na hora de preenchê-lo, pedir um último desconto ou brinde.

Provavelmente, o vendedor nao irá querer perder um negócio quase fechado.Os consumidores que tiverem outra estratégia para a pechincha poderao escrever para a revista Consumidor SA (rua Dr. Costa Júnior, 194, Sao Paulo, CEP 05002-000) ou mandar um fax, para o número 3862-9844, ou e-mail, revcon@uol.com.br.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Idec dá dicas para pechincha

Andrea Catao Maziero
Da Redaçao

12/03/1999 | 21:06


Os técnicos do Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) desenvolveram o Manual do Pechincheiro - disponível na revista Consumidor SA deste mês - como forma de orientar o comprador a obter o desconto em compras a vista. O manual informa que os vendedores estao orientados a dar descontos, desde que o consumidor os peça.  

O primeiro passo é pesquisar os preços. Para isso, o interessado deve verificar anúncios em jornais e revistas, entre outros, depois basta estipular qual o máximo que se quer e pode pagar por determinada mercadoria. Além disso, é necessário conhecer bem o produto para ter argumentos para conversar com o vendedor e rejeitar acessórios desnecessários.  

Se o consumidor encontrou o produto desejado com preço e condiçoes de pagamento atraentes, é o momento de ir até a loja para adquiri-lo. É importante que se vá com tempo e paciência para garantir uma boa compra. O consumidor nao deve demonstrar entusiasmo por comprar. Os técnicos do Idec garantem que o consumidor deve ouvir mais do que falar. 

É imprescindível que o comprador nao demonstre que sabe tudo sobre o produto. Perguntar para o vendedor sobre a mercadoria é importante, além de deixar o funcionário da loja mostrar catálogos ou falar do estabelecimento, pois é necessário valorizar o trabalho do atendente.

Se este gastar pouco tempo com o consumidor, nao se importará em perder o negócio, ao contrário do vendedor que investiu muito tempo no cliente, que nao hesitará em conceder descontos.  

Mas ouvir nao significa concordar. O consumidor também nao deve comprar o produto com receio de o vendedor ficar bravo por ter perdido tanto tempo. Ele está na loja para atender.  

Caso o consumidor acredite que o preço está muito alto, é hora de falar sem hesitaçao. O vendedor pode dar o desconto imediatamente - o que já está previsto na tabela da loja.   

Fazer leilao também ajuda. O consumidor pode dizer que está pesquisando os preços e fará a compra no local que oferecer a melhor oferta. Para abater mais o preço, proponha alternativas, como dispensar algum acessório. Como última alternativa, no fechamento do negócio, o consumidor pode, por exemplo, sacar o talao de cheques e, na hora de preenchê-lo, pedir um último desconto ou brinde.

Provavelmente, o vendedor nao irá querer perder um negócio quase fechado.Os consumidores que tiverem outra estratégia para a pechincha poderao escrever para a revista Consumidor SA (rua Dr. Costa Júnior, 194, Sao Paulo, CEP 05002-000) ou mandar um fax, para o número 3862-9844, ou e-mail, revcon@uol.com.br.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;