Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Hospital Nardini terá centro cirúrgico


Luciana Yamashita
Do Diário do Grande ABC

22/01/2008 | 07:01


Um atendimento mais eficiente e rápido é a promessa da Prefeitura de Mauá com a inauguração do centro cirúrgico do Hospital Municipal Doutor Radamés Nardini, prevista para o fim do mês ou começo de fevereiro.

O recurso para a obra, de R$ 1 milhão, é do governo do Estado. A estimativa inicial é de que o número de cirurgias eletivas (que não são de emergência e podem ser marcadas com antecedência) passe de 250 para 350 por mês, um aumento de 40% na capacidade de atendimento.

No total, são realizadas cerca de 300 operações por mês. Entre as novidades, intervenções cardíacas e de laparoscopia (por meio de vídeo) poderão ser realizadas no novo espaço. Atualmente, existe apenas uma sala cirúrgica. Com o Centro, serão cinco para operações diversas, tanto de correção como de emergência.

ADEQUAÇÕES - “Não podemos prever as cirurgias emergenciais. Mas a capacidade de atendimento de todas aumentará gradativamente, já que é necessário um aumento de funcionários e adequações estruturais. Quando o serviço é oferecido, a demanda e a procura sempre aumentam”, afirma a secretária de Saúde do município, Sandra Regina Vieira.

Segundo ela, o atendimento ganhará também na qualidade. “Com a inauguração, o problema recorrente de ter uma cirurgia eletiva adiada por chegar um caso urgente ao hospital será resolvido, já que haverá mais salas”, diz.

O espaço contará com mesas cirúrgicas, carrinhos de anestesia, caixas e instrumentos comprados com o repasse do Estado. “A reforma estrutural do local começou em 2006. No ano passado, os equipamentos foram chegando. Está quase tudo pronto e só faltam adaptações finais”, explica Sandra.

GESTÃO - Em janeiro de 2007, a Prefeitura de Mauá pediu ajuda ao Estado para a compra de equipamentos do centro cirúrgico.

Antes administrado pelo governo estadual, o hospital passou para a Prefeitura na década de 1990. Desde então, diversos prefeitos e vereadores tentaram transferir a gestão para o Estado e reclamavam da destinação de verbas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hospital Nardini terá centro cirúrgico

Luciana Yamashita
Do Diário do Grande ABC

22/01/2008 | 07:01


Um atendimento mais eficiente e rápido é a promessa da Prefeitura de Mauá com a inauguração do centro cirúrgico do Hospital Municipal Doutor Radamés Nardini, prevista para o fim do mês ou começo de fevereiro.

O recurso para a obra, de R$ 1 milhão, é do governo do Estado. A estimativa inicial é de que o número de cirurgias eletivas (que não são de emergência e podem ser marcadas com antecedência) passe de 250 para 350 por mês, um aumento de 40% na capacidade de atendimento.

No total, são realizadas cerca de 300 operações por mês. Entre as novidades, intervenções cardíacas e de laparoscopia (por meio de vídeo) poderão ser realizadas no novo espaço. Atualmente, existe apenas uma sala cirúrgica. Com o Centro, serão cinco para operações diversas, tanto de correção como de emergência.

ADEQUAÇÕES - “Não podemos prever as cirurgias emergenciais. Mas a capacidade de atendimento de todas aumentará gradativamente, já que é necessário um aumento de funcionários e adequações estruturais. Quando o serviço é oferecido, a demanda e a procura sempre aumentam”, afirma a secretária de Saúde do município, Sandra Regina Vieira.

Segundo ela, o atendimento ganhará também na qualidade. “Com a inauguração, o problema recorrente de ter uma cirurgia eletiva adiada por chegar um caso urgente ao hospital será resolvido, já que haverá mais salas”, diz.

O espaço contará com mesas cirúrgicas, carrinhos de anestesia, caixas e instrumentos comprados com o repasse do Estado. “A reforma estrutural do local começou em 2006. No ano passado, os equipamentos foram chegando. Está quase tudo pronto e só faltam adaptações finais”, explica Sandra.

GESTÃO - Em janeiro de 2007, a Prefeitura de Mauá pediu ajuda ao Estado para a compra de equipamentos do centro cirúrgico.

Antes administrado pelo governo estadual, o hospital passou para a Prefeitura na década de 1990. Desde então, diversos prefeitos e vereadores tentaram transferir a gestão para o Estado e reclamavam da destinação de verbas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;