Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Terreno em São Caetano atrai ratos, insetos e abriga criminosos


Fabio Leite
Especial para o Diário

16/01/2006 | 08:13


Distante poucos metros de um dos cartões postais de São Caetano – a avenida Kennedy – existe um terreno que é vergonha para os moradores do bairro Boa Vista. A área fica na avenida Teresa Campanella e está abandonada. Mato alto e grande quantidade de entulho dividem espaço com ratos e insetos que invadem as residências no entorno. Além disso, o terreno serviria como ponto de uso de drogas.

“Já faz uns seis meses que ninguém limpa esse terreno”, afirma a dona-de-casa Benedita da Silva, moradora local. Revoltada com o que chama de “descaso”, Dejanira Garcia, outra moradora, conta que após o abandono do terreno, ratos e baratas visitam sempre sua residência. “Um vez encontrei um rato dentro da máquina de lavar”.

Desde que o terreno foi cercado por muro, há mais de cinco anos, os moradores temem também a falta de segurança. Segundo eles, o espaço já serviu de esconderijo para criminosos que assaltaram uma casa na avenida. Por conta da insegurança, o aposentado Hermes Bertarelli decidiu colocar arame farpado e cacos de vidro sobre o muro que separa sua casa e o terreno. “Isso está prejudicando a gente. Só gostaria que a Prefeitura limpasse á área”. “Já estamos cansados de ir atrás e ninguém resolve”, lamenta Dejanira.

Segundo a Prefeitura de São Caetano, o terreno é de propriedade da Petrobras. A administração municipal informou que fiscais da Secretaria de Obras irão ao local para analisar as condições da área. Se for constatado o estado de abandono, o proprietário será notificado e terá 30 dias para efetuar a limpeza. Caso contrário, assegura o município, a Prefeitura irá fazer o serviço e cobrar a empresa. Já a Petrobras afirma que o terreno poderia pertencer à Transpetro, subsidiária da estatal que cuida do transporte de produtos energéticos. A Transpetro, por sua vez, não assume a responsabilidade pelo local. Por meio de nota, a empresa diz apenas que a Prefeitura solicitou o uso do terreno para reurbanização. Segundo o documento, a Transpetro já aprovou o projeto para realização da obra.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Terreno em São Caetano atrai ratos, insetos e abriga criminosos

Fabio Leite
Especial para o Diário

16/01/2006 | 08:13


Distante poucos metros de um dos cartões postais de São Caetano – a avenida Kennedy – existe um terreno que é vergonha para os moradores do bairro Boa Vista. A área fica na avenida Teresa Campanella e está abandonada. Mato alto e grande quantidade de entulho dividem espaço com ratos e insetos que invadem as residências no entorno. Além disso, o terreno serviria como ponto de uso de drogas.

“Já faz uns seis meses que ninguém limpa esse terreno”, afirma a dona-de-casa Benedita da Silva, moradora local. Revoltada com o que chama de “descaso”, Dejanira Garcia, outra moradora, conta que após o abandono do terreno, ratos e baratas visitam sempre sua residência. “Um vez encontrei um rato dentro da máquina de lavar”.

Desde que o terreno foi cercado por muro, há mais de cinco anos, os moradores temem também a falta de segurança. Segundo eles, o espaço já serviu de esconderijo para criminosos que assaltaram uma casa na avenida. Por conta da insegurança, o aposentado Hermes Bertarelli decidiu colocar arame farpado e cacos de vidro sobre o muro que separa sua casa e o terreno. “Isso está prejudicando a gente. Só gostaria que a Prefeitura limpasse á área”. “Já estamos cansados de ir atrás e ninguém resolve”, lamenta Dejanira.

Segundo a Prefeitura de São Caetano, o terreno é de propriedade da Petrobras. A administração municipal informou que fiscais da Secretaria de Obras irão ao local para analisar as condições da área. Se for constatado o estado de abandono, o proprietário será notificado e terá 30 dias para efetuar a limpeza. Caso contrário, assegura o município, a Prefeitura irá fazer o serviço e cobrar a empresa. Já a Petrobras afirma que o terreno poderia pertencer à Transpetro, subsidiária da estatal que cuida do transporte de produtos energéticos. A Transpetro, por sua vez, não assume a responsabilidade pelo local. Por meio de nota, a empresa diz apenas que a Prefeitura solicitou o uso do terreno para reurbanização. Segundo o documento, a Transpetro já aprovou o projeto para realização da obra.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;