Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Alcolumbre: Se Câmara votar reforma tributária própria, Senado não vai votar



15/07/2020 | 22:12


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu ao movimento da Câmara de pautar uma reforma tributária própria e ignorar a comissão mista criada para discutir a medida com o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em discurso no Senado nesta quarta-feira, 15, Alcolumbre prometeu engavetar qualquer proposta que seja votada pelos deputados sem a participação dos senadores e do governo.

"A Câmara tem legitimidade para votar a PEC 45 (dos deputados), mas se o Senado não estiver inserido, e foi esse o intuito na comissão mista, a PEC vai ser votada na Câmara dos Deputados e não vai tramitar no Senado Federal", declarou.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pautou uma reunião da comissão exclusiva de deputados para debater a reforma nesta quinta-feira, 16, às 10h. Com isso, Maia deixou de lado a comissão mista de deputados e senadores criada para formular uma proposta comum.

Por trás da reação de Alcolumbre, está um alinhamento com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e uma exigência de que o governo participe da elaboração da reforma no Congresso.

"Se a Câmara não estiver alinhada com uma proposta dos senadores e com a participação decisiva do governo, alguém acha honestamente que sai uma reforma tributária sem a participação do governo?", questionou o presidente do Senado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alcolumbre: Se Câmara votar reforma tributária própria, Senado não vai votar


15/07/2020 | 22:12


O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu ao movimento da Câmara de pautar uma reforma tributária própria e ignorar a comissão mista criada para discutir a medida com o governo do presidente Jair Bolsonaro.

Em discurso no Senado nesta quarta-feira, 15, Alcolumbre prometeu engavetar qualquer proposta que seja votada pelos deputados sem a participação dos senadores e do governo.

"A Câmara tem legitimidade para votar a PEC 45 (dos deputados), mas se o Senado não estiver inserido, e foi esse o intuito na comissão mista, a PEC vai ser votada na Câmara dos Deputados e não vai tramitar no Senado Federal", declarou.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pautou uma reunião da comissão exclusiva de deputados para debater a reforma nesta quinta-feira, 16, às 10h. Com isso, Maia deixou de lado a comissão mista de deputados e senadores criada para formular uma proposta comum.

Por trás da reação de Alcolumbre, está um alinhamento com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e uma exigência de que o governo participe da elaboração da reforma no Congresso.

"Se a Câmara não estiver alinhada com uma proposta dos senadores e com a participação decisiva do governo, alguém acha honestamente que sai uma reforma tributária sem a participação do governo?", questionou o presidente do Senado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;