Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas de NY fecham em alta, com esperança por vacina e balanços no radar



15/07/2020 | 18:20


As bolsas de Nova York fecharam em alta, apoiadas por notícias que reforçaram a expectativa de que pode haver desfecho positivo na busca por uma vacina contra a covid-19. Além disso, resultados corporativos estiveram no radar, com o balanço do Goldman Sachs em destaque, bem como o dado de produção industrial, que superou as expectativas. Nesse quadro, foi dado menor peso para a contínua disseminação do novo coronavírus por alguns Estados americanos.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,85%, em 26.870,10 pontos, o Nasdaq subiu 0,59%, a 10.550,49 pontos, e o S&P 500 registrou ganho de 0,91%, a 3.226,56 pontos.

Relatos sobre potenciais avanços em pesquisas clínicas na busca por uma vacina voltaram a apoiar as bolsas. Embora não haja garantias de que o sucesso se concretize, o noticiário sobre essas buscas tem influenciado os negócios.

Na agenda de indicadores, a produção industrial dos EUA aumentou 5,4% em junho ante maio, surpreendendo analistas. O Wells Fargo viu o dado como "um passo na direção correta", mas ainda com um longo caminho pela frente até a recuperação total.

Ao longo da tarde, os índices acionários perderam força e o Nasdaq chegou a cair, com o setor de tecnologia pressionado. Em meio ao avanço da covid-19 em alguns Estados americanos, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de Atlanta, Patrick Harker, comentou que essa onda mais recente de casos leva sua equipe a revisar projeções para a economia americana, já que isso retarda a recuperação.

Ainda durante o pregão, porém, os índices voltaram a ganhar força e todos subiram. Entre ações importantes, Boeing se destacou, em alta de 4,43%. Depois de um balanço que superou as expectativas Goldman Sachs fechou em alta de 1,35%, embora tenha perdido fôlego ao longo do dia. O setor financeiro em geral se saiu bem: Citigroup subiu 3,37% e Bank of America, 1,91%.

Entre papéis de serviços de comunicação e tecnologia, o sinal foi misto. Alphabet caiu 0,26%, Apple subiu 0,69%, Facebook avançou 0,23% e Microsoft recuou 0,15%.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsas de NY fecham em alta, com esperança por vacina e balanços no radar


15/07/2020 | 18:20


As bolsas de Nova York fecharam em alta, apoiadas por notícias que reforçaram a expectativa de que pode haver desfecho positivo na busca por uma vacina contra a covid-19. Além disso, resultados corporativos estiveram no radar, com o balanço do Goldman Sachs em destaque, bem como o dado de produção industrial, que superou as expectativas. Nesse quadro, foi dado menor peso para a contínua disseminação do novo coronavírus por alguns Estados americanos.

O índice Dow Jones fechou em alta de 0,85%, em 26.870,10 pontos, o Nasdaq subiu 0,59%, a 10.550,49 pontos, e o S&P 500 registrou ganho de 0,91%, a 3.226,56 pontos.

Relatos sobre potenciais avanços em pesquisas clínicas na busca por uma vacina voltaram a apoiar as bolsas. Embora não haja garantias de que o sucesso se concretize, o noticiário sobre essas buscas tem influenciado os negócios.

Na agenda de indicadores, a produção industrial dos EUA aumentou 5,4% em junho ante maio, surpreendendo analistas. O Wells Fargo viu o dado como "um passo na direção correta", mas ainda com um longo caminho pela frente até a recuperação total.

Ao longo da tarde, os índices acionários perderam força e o Nasdaq chegou a cair, com o setor de tecnologia pressionado. Em meio ao avanço da covid-19 em alguns Estados americanos, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) de Atlanta, Patrick Harker, comentou que essa onda mais recente de casos leva sua equipe a revisar projeções para a economia americana, já que isso retarda a recuperação.

Ainda durante o pregão, porém, os índices voltaram a ganhar força e todos subiram. Entre ações importantes, Boeing se destacou, em alta de 4,43%. Depois de um balanço que superou as expectativas Goldman Sachs fechou em alta de 1,35%, embora tenha perdido fôlego ao longo do dia. O setor financeiro em geral se saiu bem: Citigroup subiu 3,37% e Bank of America, 1,91%.

Entre papéis de serviços de comunicação e tecnologia, o sinal foi misto. Alphabet caiu 0,26%, Apple subiu 0,69%, Facebook avançou 0,23% e Microsoft recuou 0,15%.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;