Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsa de Tóquio tem maior recuo desde 1985


Do Diário OnLine
Com Agências

02/03/2001 | 10:12


A bolsa de Tóquio registrou baixa de 3,3% nesta sexta-feira, que é a maior queda desde julho de 1985, depois da publicação de indicadores que reforçam os temores sobre a saúde da economia japonesa.

O índice de referência Nikkei-225 recuou mais de 400 pontos em uma só sessão, exatamente 419,86 pontos, para terminar o dia a 12.261,80, o nível mais baixo desde 31 de julho de 1985, quando caiu a 12.232,27 pontos.

Já na quinta-feira, o Nikkei teve perda de 1,6% e caiu a 12.681,66, seu nível mais baixo desde 20 de novembro de 1985, superando os recordes de outubro de 1998, quando o setor bancário estava em colapso e a economia se debatia na recessão.

Segundo os corretores, além da taxa de desemprego, que chegou ao recorde de 4,9%, o Nikkei foi vítima de uma redução dos lucros da gigante norte-americana de software Oracle.

''Apesar da alta da Nasdaq (que exerce importante influência sobre o Nikkei-225), os investidores se tornaram vendedores depois da revisão de lucros feita pela Oracle'', afirmou Tatsuo Kurokawa, analista do mercado da sociedade Nomura Securities.

As ações de empresas de tecnologia foram as mais afetadas pela baixa em Tóquio. ''Grandes inquietações em relação às economias norte-americana e japonesa fizeram também com que os corretores se abstivessem de comprar'', avaliou Kurokawa.

O ministro japonês da Economia, Kiichi Miyazawa, adotou um tom tranqüilizador, apesar do evidente pânico que aconteceu na bolsa. ''As cotações vão se estabilizar em breve'', afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bolsa de Tóquio tem maior recuo desde 1985

Do Diário OnLine
Com Agências

02/03/2001 | 10:12


A bolsa de Tóquio registrou baixa de 3,3% nesta sexta-feira, que é a maior queda desde julho de 1985, depois da publicação de indicadores que reforçam os temores sobre a saúde da economia japonesa.

O índice de referência Nikkei-225 recuou mais de 400 pontos em uma só sessão, exatamente 419,86 pontos, para terminar o dia a 12.261,80, o nível mais baixo desde 31 de julho de 1985, quando caiu a 12.232,27 pontos.

Já na quinta-feira, o Nikkei teve perda de 1,6% e caiu a 12.681,66, seu nível mais baixo desde 20 de novembro de 1985, superando os recordes de outubro de 1998, quando o setor bancário estava em colapso e a economia se debatia na recessão.

Segundo os corretores, além da taxa de desemprego, que chegou ao recorde de 4,9%, o Nikkei foi vítima de uma redução dos lucros da gigante norte-americana de software Oracle.

''Apesar da alta da Nasdaq (que exerce importante influência sobre o Nikkei-225), os investidores se tornaram vendedores depois da revisão de lucros feita pela Oracle'', afirmou Tatsuo Kurokawa, analista do mercado da sociedade Nomura Securities.

As ações de empresas de tecnologia foram as mais afetadas pela baixa em Tóquio. ''Grandes inquietações em relação às economias norte-americana e japonesa fizeram também com que os corretores se abstivessem de comprar'', avaliou Kurokawa.

O ministro japonês da Economia, Kiichi Miyazawa, adotou um tom tranqüilizador, apesar do evidente pânico que aconteceu na bolsa. ''As cotações vão se estabilizar em breve'', afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;