Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Soldados australianos invadem navio com refugiados


Das Agências

29/08/2001 | 10:33


O governo australiano enviou nesta quarta-feira seus comandos de elite para que embarcassem no navio norueguês Tampa, que tem a bordo 438 imigrantes ilegais, a maioria vindos do Afeganistão. Os soldados ordenaram que o capitão norueguês voltasse para águas internacionais, mas não foram atendidos.

O armador, Wallenius Wilhelmsen, acusou o governo australiano de "pirataria" por ter enviado 34 homens armados e advertiu que iniciará guerra contra Camberra se o navio for obrigado a voltar para águas territoriais. O primeiro-ministro australiano, John Howard, afirmou que isto torna a situação muito difícil.

Os comandos australianos abordaram o navio depois que este entrou em águas australianas, indo em direção à Ilha de Christmas, rumo que o capitão teria tomado sob pressão dos imigrantes clandestinos, que ameaçavam se jogar na água se não recebessem atendimento médico.

Per Ronnevig, porta-voz do armador, confirmou que o "Tampa" tinha entrado em águas territoriais australianas depois da proibição expressa do governo australiano e disse que o capitão do barco fez um pedido de socorro devido à preocupante situação sanitária dos refugiados.

Os clandestinos foram socorridos no domingo à noite pelo navio norueguês depois que a embarcação em que viajavam naufragou em águas territoriais indonésias.

Os refugiados, exceto as mulheres e crianças, fazem greve de fome há quatro dias, sofrendo também com o calor tropical da região. Vários deles estão doentes.

Aviões com equipes e material de socorro chegaram nesta quarta-feira à ilha de Christmas, cuja população está preocupada com o destino dos clandestinos.

Autoridades desta pequena comunidade de 1.500 habitantes publicaram um comunicado pedindo que se autorize o navio a atracar na ilha, manifestando sua vingança em relação à negativa da Austrália.

Apesar disso, a posição rígida do governo australiano conservador tem sido amplamente apoiada pela classe política e pela população. Em mensagens às emissoras de rádio do país, estes manifestaram seu repúdio aos imigrantes clandestinos, acusando-os de querer explorar a generosidade de legislação australiana em relação aos refugiados.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Soldados australianos invadem navio com refugiados

Das Agências

29/08/2001 | 10:33


O governo australiano enviou nesta quarta-feira seus comandos de elite para que embarcassem no navio norueguês Tampa, que tem a bordo 438 imigrantes ilegais, a maioria vindos do Afeganistão. Os soldados ordenaram que o capitão norueguês voltasse para águas internacionais, mas não foram atendidos.

O armador, Wallenius Wilhelmsen, acusou o governo australiano de "pirataria" por ter enviado 34 homens armados e advertiu que iniciará guerra contra Camberra se o navio for obrigado a voltar para águas territoriais. O primeiro-ministro australiano, John Howard, afirmou que isto torna a situação muito difícil.

Os comandos australianos abordaram o navio depois que este entrou em águas australianas, indo em direção à Ilha de Christmas, rumo que o capitão teria tomado sob pressão dos imigrantes clandestinos, que ameaçavam se jogar na água se não recebessem atendimento médico.

Per Ronnevig, porta-voz do armador, confirmou que o "Tampa" tinha entrado em águas territoriais australianas depois da proibição expressa do governo australiano e disse que o capitão do barco fez um pedido de socorro devido à preocupante situação sanitária dos refugiados.

Os clandestinos foram socorridos no domingo à noite pelo navio norueguês depois que a embarcação em que viajavam naufragou em águas territoriais indonésias.

Os refugiados, exceto as mulheres e crianças, fazem greve de fome há quatro dias, sofrendo também com o calor tropical da região. Vários deles estão doentes.

Aviões com equipes e material de socorro chegaram nesta quarta-feira à ilha de Christmas, cuja população está preocupada com o destino dos clandestinos.

Autoridades desta pequena comunidade de 1.500 habitantes publicaram um comunicado pedindo que se autorize o navio a atracar na ilha, manifestando sua vingança em relação à negativa da Austrália.

Apesar disso, a posição rígida do governo australiano conservador tem sido amplamente apoiada pela classe política e pela população. Em mensagens às emissoras de rádio do país, estes manifestaram seu repúdio aos imigrantes clandestinos, acusando-os de querer explorar a generosidade de legislação australiana em relação aos refugiados.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;