Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Mantega prevê que preços devem voltar a subir


Das Agências

21/08/2010 | 07:01


Apesar de o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15) ter apresentado a segunda queda consecutiva, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que, para a próxima apuração de setembro, a previsão é de alta. O IPCA-15 é uma prévia da inflação oficial.

De acordo com o ministro, a queda de preços é uma "compensação" pela alta registrada no primeiro semestre, em função dos impactos das chuvas sobre a produção de alguns gêneros alimentícios, além do aumento de valores das commodities no mercado externo.

"Tivemos um choque de oferta por causa da chuvas, quando produtos subiram de preço. Depois, começamos a ter queda, mas isso não é permanente. O efeito de redução de preços agrícolas já deve estar terminando", disse.

"Deveremos ter IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) entre 0,15%, 0,20% e até 0,30%, o que levará a inflação para algo em torno de 5% no fim do ano", acrescentou o ministro.

Divulgado ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA-15 de agosto teve deflação de 0,05%. Em julho, a queda foi de 0,09%.

Embora a previsão para os próximos meses seja de aumento de preços, Mantega reafirmou que a inflação está sob controle no País, dentro da meta de 4,5% (com 2 pontos para mais ou para menos) prevista para 2010. No acumulado do ano, o indicador soma 4,6%.

"A inflação está um pouco acima do centro da meta, no entanto, devemos terminar o fim do ano com crescimento (econômico)forte, entre 6% e 7%, e inflação em torno de 5%", destacou o ministro.

ALIMENTOS
Os preços dos alimentos caíram 0,68% em agosto. Segundo o IBGE, vários produtos continuaram com valores em queda, de julho para agosto. Entre os destaques de redução estão batata-inglesa (-22,06%), tomate (-21,89%), cebola (-9,26%), açúcar cristal (-8,10%), hortaliças (-8,00%), feijão-carioca (-4,78%) açúcar refinado (-3,96%),e leite pasteurizado (-1,93%).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mantega prevê que preços devem voltar a subir

Das Agências

21/08/2010 | 07:01


Apesar de o IPCA-15 (Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15) ter apresentado a segunda queda consecutiva, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem que, para a próxima apuração de setembro, a previsão é de alta. O IPCA-15 é uma prévia da inflação oficial.

De acordo com o ministro, a queda de preços é uma "compensação" pela alta registrada no primeiro semestre, em função dos impactos das chuvas sobre a produção de alguns gêneros alimentícios, além do aumento de valores das commodities no mercado externo.

"Tivemos um choque de oferta por causa da chuvas, quando produtos subiram de preço. Depois, começamos a ter queda, mas isso não é permanente. O efeito de redução de preços agrícolas já deve estar terminando", disse.

"Deveremos ter IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) entre 0,15%, 0,20% e até 0,30%, o que levará a inflação para algo em torno de 5% no fim do ano", acrescentou o ministro.

Divulgado ontem pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o IPCA-15 de agosto teve deflação de 0,05%. Em julho, a queda foi de 0,09%.

Embora a previsão para os próximos meses seja de aumento de preços, Mantega reafirmou que a inflação está sob controle no País, dentro da meta de 4,5% (com 2 pontos para mais ou para menos) prevista para 2010. No acumulado do ano, o indicador soma 4,6%.

"A inflação está um pouco acima do centro da meta, no entanto, devemos terminar o fim do ano com crescimento (econômico)forte, entre 6% e 7%, e inflação em torno de 5%", destacou o ministro.

ALIMENTOS
Os preços dos alimentos caíram 0,68% em agosto. Segundo o IBGE, vários produtos continuaram com valores em queda, de julho para agosto. Entre os destaques de redução estão batata-inglesa (-22,06%), tomate (-21,89%), cebola (-9,26%), açúcar cristal (-8,10%), hortaliças (-8,00%), feijão-carioca (-4,78%) açúcar refinado (-3,96%),e leite pasteurizado (-1,93%).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;