Cultura & Lazer

Sesc abre exposição de Sebastião Salgado


O trabalho feito pelo fotógrafo Sebastião Salgado no maior garimpo a céu aberto do mundo, o de Serra Pelada, na região da Amazônia Paraense, em meados da década de 1980, é icônico. E para quem gosta de fotografia, há uma possibilidade de ver seus registros de perto: abre hoje, no Sesc Avenida Paulista, às 10h, a exposição Gold – Mina de Ouro Serra Pelada, com curadoria de Lélia Wanick Salgado.

Nela, estarão 50 fotografias que mostram o cotidiano da mina de onde foram extraídas, por cerca de 50 mil garimpeiros, toneladas de ouro em mais de uma década de exploração. O visitante poderá percorrer, com a visão das lentes do fotógrafo premiado, a realidade da jazida, os trabalhadores em atividade, as condições precárias, e a ‘febre do ouro’.

Para compor os registros, que mostram como se formava o ‘formigueiro humano’ por lá, Salgado ficou durante um mês no local, mostrando as agruras destes homens, que vinham de todos os cantos do País, a esperança que carregavam cada um deles e a lei particular que criaram – um tanto perversa.

A exposição compartilha do lançamento do livro Sebastião Salgado – Gold (Editora Taschen, R$ 279, em média), às 20h, que reúne o portfólio completo de Sebastião Salgado feito em Serra Pelada.

Gold – Mina de Ouro Serra Pelada – Exposição. No Sesc Avenida Paulista, 119. Até 3 de novembro, das 10h às 21h30 (terça a sábado) e das 10h às 18h30 (domingos e feriados). Gratuito.  

Comentários


Veja Também


Sesc abre exposição de Sebastião Salgado

O trabalho feito pelo fotógrafo Sebastião Salgado no maior garimpo a céu aberto do mundo, o de Serra Pelada, na região da Amazônia Paraense, em meados da década de 1980, é icônico. E para quem gosta de fotografia, há uma possibilidade de ver seus registros de perto: abre hoje, no Sesc Avenida Pau...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar