Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Cristina Kirchner nega ter relação com casos de corrupção na Argentina

Arquivo/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


13/08/2018 | 15:52


A ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner negou à Justiça do país ser a responsável por uma associação ilícita integrada por funcionários e grandes empresários para o pagamento de propinas milionárias para a construção de obras públicas. Em depoimento por escrito, a ex-presidente se disse perseguida pelo atual governo, comandado pelo presidente Maurício Macri.

Em um depoimento por escrito, Cristina Kirchner disse que diversos casos contra ela foram inventados. A ex-presidente, que até agora não havia falado publicamente sobre as novas acusações, chegou à sede do tribunal federal em meio a grandes medidas de segurança. Ela se recusou a responder perguntas, como tem sido seu procedimento usual em cada uma das outras três ocasiões em que participou de julgamentos.

Dessa vez, Cristina foi citada no que é considerado o maior plano de corrupção da Argentina dos últimos anos. Até o momento, existem 38 indiciados, 15 presos e dez delatores, entre empresários e ex-funcionários do governo de Cristina e de seu marido, Néstor Kirchner. De acordo com relatos da imprensa local com acesso à causa que está sob notificação judicial, nove empresários reconheceram que pagaram propina e disseram que a ex-presidente sabia os detalhes das operações.

Em seu depoimento por escrito, Cristina Kirchner acusou o juiz do caso, Claudio Bonadío, de ser um juiz inimigo e que montou um novo processo contra ela. Além disso, ela apontou que está sendo vítima da interferência de Macri na justiça argentina. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;