Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ministro argentino tem esperanças de acordo breve com FMI


Do Diário OnLine

01/09/2002 | 16:53


O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, afirmou neste domingo ter esperanças de que um amplo acordo de ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) possa ser assinado em breve, apesar de uma paralisação nas negociações.

Após o presidente Eduardo Duhalde ter dito que um acordo a longo prazo com o fundo poderia ter que esperar até que seu sucessor assumisse o posto em maio, Lavagna admitiu que promessas quebradas paralisariam as negociações para obter a ajuda necessária para estabilizar uma caótica recessão de quatro anos.

"(Um acordo) seria bom para nós e poderia acontecer. Seria bom fechar um acordo de vez, e não em pequenas partes", disse Lavagna na edição de domingo do jornal Pagina/12.

Apesar de meses de negociações, um porta-voz do FMI disse na quinta-feira que "questões maiores" permaneciam pendentes antes que novos empréstimos pudessem ser concedidos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministro argentino tem esperanças de acordo breve com FMI

Do Diário OnLine

01/09/2002 | 16:53


O ministro da Economia da Argentina, Roberto Lavagna, afirmou neste domingo ter esperanças de que um amplo acordo de ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) possa ser assinado em breve, apesar de uma paralisação nas negociações.

Após o presidente Eduardo Duhalde ter dito que um acordo a longo prazo com o fundo poderia ter que esperar até que seu sucessor assumisse o posto em maio, Lavagna admitiu que promessas quebradas paralisariam as negociações para obter a ajuda necessária para estabilizar uma caótica recessão de quatro anos.

"(Um acordo) seria bom para nós e poderia acontecer. Seria bom fechar um acordo de vez, e não em pequenas partes", disse Lavagna na edição de domingo do jornal Pagina/12.

Apesar de meses de negociações, um porta-voz do FMI disse na quinta-feira que "questões maiores" permaneciam pendentes antes que novos empréstimos pudessem ser concedidos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;