Fechar
Publicidade

Sábado, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Transição política no Brasil será suave, diz diretor do FMI


Da AFP

26/09/2002 | 13:23


O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Horst Köhler, afirmou nesta quinta-feira que a transição política no Brasil será suave e que os principais candidatos à Presidência comprometeram-se a dar continuidade à política econômica de Fernando Henrique Cardoso.

Köhler assinalou que o pacote de US$ 30,4 bilhões concedido ao Brasil mês passado não fracassou, e que a volatilidade atual do mercado brasileiro não é uma surpresa.

O diretor-gerente disse ainda que apesar de a dívida pública brasileira, de quase US$ 300 bilhões, ser alta, é sustentável, devido ao potencial de crescimento e produtividade do Brasil. E lembrou que todos os candidatos disseram que pretendem explorar a possibilidade de reduzir a carga da dívida



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Transição política no Brasil será suave, diz diretor do FMI

Da AFP

26/09/2002 | 13:23


O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Horst Köhler, afirmou nesta quinta-feira que a transição política no Brasil será suave e que os principais candidatos à Presidência comprometeram-se a dar continuidade à política econômica de Fernando Henrique Cardoso.

Köhler assinalou que o pacote de US$ 30,4 bilhões concedido ao Brasil mês passado não fracassou, e que a volatilidade atual do mercado brasileiro não é uma surpresa.

O diretor-gerente disse ainda que apesar de a dívida pública brasileira, de quase US$ 300 bilhões, ser alta, é sustentável, devido ao potencial de crescimento e produtividade do Brasil. E lembrou que todos os candidatos disseram que pretendem explorar a possibilidade de reduzir a carga da dívida

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;