Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Rodoanel diminui tráfego na Anchieta?


Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

12/03/2008 | 07:04


Apesar de argumentar que não tem estudo específico para o trânsito na Via Anchieta e que as obras prioritárias para o tráfego da região são outras, o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC defende que o Rodoanel ajudará a desafogar o trânsito na rodovia. Tese totalmente contrariada por especialista da região.

Para o engenheiro e diretor técnico da Geométrica, empresa contratada para realizar os estudos de impacto viário do Consórcio, Leonardo Pedro Lorenzo, o trecho Sul do anel viário, que passará por Santo André, São Bernardo, Mauá e Ribeirão Pires, vai tirar o foco dos motoristas da rodovia. “A demanda da Anchieta diminuirá bastante, pois parte da chegada a São Bernardo, que hoje acontece por São Paulo passará a acontecer pelo Rodoanel”, disse o engenheiro.

Souza afirma que o anel viário vai, por conseqüência, tirar o tráfego de dentro da cidade. “Hoje, todo mundo acha que novas construções só vão levar os motoristas de um congestionamento a outro, mas, da mesma forma que se fala em investimento no Metrô ou nos trens, tem de se investir no sistema viário”, defende.

Para o coordenador do curso de Engenharia Civil da FEI, André Pereira Amann. a chegada da asa Sul do Rodoanel poderá, na verdade, mudar a dinâmica dos congestionamentos. “O Rodoanel vai inverter totalmente o fluxo de chegada na cidade (São Bernardo), pois, o ponto de entrada pode deixar de ser a Anchieta. Com isso, a região do Riacho Grande pode sofrer com o aumento do tráfego, um movimento que hoje não existe.”

O professor defende ainda uma mudança de comportamento para amenizar o excesso de automóveis em circulação. “O veículo é uma questão de status, mas por outro lado não há transporte público atrativo para a classe média”, avaliou.

Para o assessor da presidência do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Rui Gomes de Souza, o excesso de veículos não justifica os problemas no trânsito. “Todo mundo bate nessa tecla de que tem muito carro. Se a economia é de livre mercado, só se proibirmos a venda de veículos”, afirmou. “O problema é que a família cresceu e a casa é a mesma”, disse Souza fazendo alusão à malha viária que não acompanhou a expansão de carros.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rodoanel diminui tráfego na Anchieta?

Isis Mastromano Correia
Do Diário do Grande ABC

12/03/2008 | 07:04


Apesar de argumentar que não tem estudo específico para o trânsito na Via Anchieta e que as obras prioritárias para o tráfego da região são outras, o Consórcio Intermunicipal do Grande ABC defende que o Rodoanel ajudará a desafogar o trânsito na rodovia. Tese totalmente contrariada por especialista da região.

Para o engenheiro e diretor técnico da Geométrica, empresa contratada para realizar os estudos de impacto viário do Consórcio, Leonardo Pedro Lorenzo, o trecho Sul do anel viário, que passará por Santo André, São Bernardo, Mauá e Ribeirão Pires, vai tirar o foco dos motoristas da rodovia. “A demanda da Anchieta diminuirá bastante, pois parte da chegada a São Bernardo, que hoje acontece por São Paulo passará a acontecer pelo Rodoanel”, disse o engenheiro.

Souza afirma que o anel viário vai, por conseqüência, tirar o tráfego de dentro da cidade. “Hoje, todo mundo acha que novas construções só vão levar os motoristas de um congestionamento a outro, mas, da mesma forma que se fala em investimento no Metrô ou nos trens, tem de se investir no sistema viário”, defende.

Para o coordenador do curso de Engenharia Civil da FEI, André Pereira Amann. a chegada da asa Sul do Rodoanel poderá, na verdade, mudar a dinâmica dos congestionamentos. “O Rodoanel vai inverter totalmente o fluxo de chegada na cidade (São Bernardo), pois, o ponto de entrada pode deixar de ser a Anchieta. Com isso, a região do Riacho Grande pode sofrer com o aumento do tráfego, um movimento que hoje não existe.”

O professor defende ainda uma mudança de comportamento para amenizar o excesso de automóveis em circulação. “O veículo é uma questão de status, mas por outro lado não há transporte público atrativo para a classe média”, avaliou.

Para o assessor da presidência do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Rui Gomes de Souza, o excesso de veículos não justifica os problemas no trânsito. “Todo mundo bate nessa tecla de que tem muito carro. Se a economia é de livre mercado, só se proibirmos a venda de veículos”, afirmou. “O problema é que a família cresceu e a casa é a mesma”, disse Souza fazendo alusão à malha viária que não acompanhou a expansão de carros.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;