Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Pra não dizer que não falei de flores

Há necessidade de se abrir exceção e elogiar a CBF por adiar o clássico entre Santos e Corinthians, marcado para o fim de semana


Especial para o Diário

14/06/2011 | 00:00


Não me lembro quando foi a última vez que elogiei um cartola. Essa gente faz tanta asneira que o normal é criticar.

Há necessidade de se abrir exceção e elogiar a CBF por adiar o clássico entre Santos e Corinthians, marcado para o fim de semana, pela quinta rodada do Brasileiro. A partida estava programada entre as duas datas da final da Copa Libertadores.

O Santos está inteiramente focado na decisão e não pode mesmo pensar em outra coisa. Como o título é importante para o clube e para o futebol nacional, o hiato que foi propiciado pela CBF dará refresco para os santistas. Bola dentro!

VAI PRA CIMA

Normal seria o técnico visitante mandar seu time atuar cauteloso e explorar os erros do adversário jogando nos contra-ataques. Mas Muricy Ramalho armou o Santos para fazer exatamente o contrário.

Um time que tem Neymar, Elano e um bom volante como Arouca, que sempre surpreende vindo de trás, não pode se submeter ao adversário, mesmo jogando na casa dele, ou seja, no caldeirão do Estádio Centenário.

Claro que o tradicional palco uruguaio estará lotado e quente de emoção, espantando a baixa temperatura que se espera amanhã em Montevidéu.

O Santos é mais time que o Peñarol e deve impor a sua maior categoria.

SURPRESA

Paulo César Carpegiani voltou demitido de Florianópolis há pouco de mais um mês. A desclassificação na Copa do Brasil e a decepção com o time que estava jogando com o breque de mão puxado provocariam a saída do polêmico treinador, também chamado de professor Pardal.

Não é que Carpegiani seja um neófito no futebol. Ninguém questiona os seus conhecimentos. O problema é que às vezes ele toma algumas decisões, no mínimo, excêntricas, gerando críticas pesadas.

Como a diretoria não encontrou substituto ideal porque Cuca e Dorival Junior não aceitaram o convite são-paulino, Carpegiani continuou no Morumbi.

O técnico fixou alguns garotos como titulares e limpou a área, dispensando alguns come e dorme que não estavam somando nada.

Wellington, Casemiro e Marlos foram prestigiados. Fernandão, Júnior Cesar e Cléber Santana foram embora. E o São Paulo faz a melhor campanha em início de Brasileiros, desde 1971. São quatro jogos e quatro vitórias. Aproveitamento de 100% e a liderança indiscutível do campeonato. Bambambã!

Márcio Bernardes é âncora da rede Transamérica de Rádio e professor universitário. www.marciobernardes.com.br



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;