Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Guarda de S.Caetano recruta jovens


Gabriel Batista
Do Diário do Grande ABC

22/02/2005 | 14:30


São Caetano tenta fechar o quadro previsto de 250 jovens para iniciar cursos e treinamento na Guarda Municipal da cidade. O programa seleciona jovens alistados no serviço militar no ano passado. São considerados voluntários, mas recebem auxílio de cerca de R$ 180 mensais e trabalham quatro horas em prédios públicos. Geralmente, prestam serviço de informação e atendimento à população em escolas e postos de saúde municipais. Em São Bernardo, a Guarda Municipal iniciou na segunda-feira o programa com a segunda turma. A cidade já preencheu o total de vagas com o ingresso de 1,5 mil rapazes.

Segundo o subcomandante da Guarda Municipal de São Caetano, Clóvis Carvalho, o principal objetivo do programa é fazer uma ponte para jovens recém-saídos da adolescência para o início das atividades profissionais. A Coordenadoria da Juventude de São Caetano atende os interessados pelo telefone 4226-7275.

“Conseguimos atender uma demanda do serviço público, que é destinar pessoas para informar e orientar o público em escolas e postos de saúde, mas também aperfeiçoamos o currículo e a postura desses jovens, o que facilita a entrada de cada um deles no trabalho formal”, diz o comandante Carvalho. Os selecionados devem estar matriculados regularmente na escola (ou ter concluído o ensino médio) e precisam participar dos cursos oferecidos pela Prefeitura.

São Bernardo – “Quando entrei na Guarda, pude escolher vir para o pronto-socorro. Sempre quis trabalhar na área da saúde e aqui estou mais próximo”, diz o voluntário Roberth Luiz Pereira de Oliveira, 19 anos. Ele é morador da Vila São Pedro, em São Bernardo, e há quase um ano atende os usuários no balcão do Pronto-Socorro Municipal. “Gosto de trabalhar com gente. Tem dia que fico além da carga horária, simplesmente porque quero.”

Os rapazes inscritos passam por cursos que incluem no currículo disciplinas como ética, atendimento de pessoas e noções de Direito e higiene. “Procuramos escolher rapazes atrasados no nível escolar e outros com renda familiar e instruções maiores. É importante pessoas diferentes conviverem para que um conheça o universo do outro”, diz o comandante da Guarda Municipal de São Bernardo, coronel Antônio Branco.

Na cidade, os voluntários freqüentam um curso profissionalizante após concluir o básico. Cada qual escolhe a área que mais o interessa. São oferecidos cursos na área de construção civil, para aspirantes a garçom e chapeiro de lanches, de informática, mecânica, promoção de vendas e operação de telemarketing.

O morador do bairro Assunção Hebert Gomes da Silva, 19 anos, é outro voluntário em fase de conclusão do programa. Para ele, o resultado não poderia ser melhor. Silva se especializou em instalações elétricas e já conseguiu trabalho em uma empresa no bairro Demarchi. A renda dos pais de Silva é de cerca de R$ 1,3 mil, e o rapaz agora ganha R$ 800. “Acho que se eu não tivesse entrado no programa, hoje estaria procurando um emprego”, conta o jovem profissional.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Guarda de S.Caetano recruta jovens

Gabriel Batista
Do Diário do Grande ABC

22/02/2005 | 14:30


São Caetano tenta fechar o quadro previsto de 250 jovens para iniciar cursos e treinamento na Guarda Municipal da cidade. O programa seleciona jovens alistados no serviço militar no ano passado. São considerados voluntários, mas recebem auxílio de cerca de R$ 180 mensais e trabalham quatro horas em prédios públicos. Geralmente, prestam serviço de informação e atendimento à população em escolas e postos de saúde municipais. Em São Bernardo, a Guarda Municipal iniciou na segunda-feira o programa com a segunda turma. A cidade já preencheu o total de vagas com o ingresso de 1,5 mil rapazes.

Segundo o subcomandante da Guarda Municipal de São Caetano, Clóvis Carvalho, o principal objetivo do programa é fazer uma ponte para jovens recém-saídos da adolescência para o início das atividades profissionais. A Coordenadoria da Juventude de São Caetano atende os interessados pelo telefone 4226-7275.

“Conseguimos atender uma demanda do serviço público, que é destinar pessoas para informar e orientar o público em escolas e postos de saúde, mas também aperfeiçoamos o currículo e a postura desses jovens, o que facilita a entrada de cada um deles no trabalho formal”, diz o comandante Carvalho. Os selecionados devem estar matriculados regularmente na escola (ou ter concluído o ensino médio) e precisam participar dos cursos oferecidos pela Prefeitura.

São Bernardo – “Quando entrei na Guarda, pude escolher vir para o pronto-socorro. Sempre quis trabalhar na área da saúde e aqui estou mais próximo”, diz o voluntário Roberth Luiz Pereira de Oliveira, 19 anos. Ele é morador da Vila São Pedro, em São Bernardo, e há quase um ano atende os usuários no balcão do Pronto-Socorro Municipal. “Gosto de trabalhar com gente. Tem dia que fico além da carga horária, simplesmente porque quero.”

Os rapazes inscritos passam por cursos que incluem no currículo disciplinas como ética, atendimento de pessoas e noções de Direito e higiene. “Procuramos escolher rapazes atrasados no nível escolar e outros com renda familiar e instruções maiores. É importante pessoas diferentes conviverem para que um conheça o universo do outro”, diz o comandante da Guarda Municipal de São Bernardo, coronel Antônio Branco.

Na cidade, os voluntários freqüentam um curso profissionalizante após concluir o básico. Cada qual escolhe a área que mais o interessa. São oferecidos cursos na área de construção civil, para aspirantes a garçom e chapeiro de lanches, de informática, mecânica, promoção de vendas e operação de telemarketing.

O morador do bairro Assunção Hebert Gomes da Silva, 19 anos, é outro voluntário em fase de conclusão do programa. Para ele, o resultado não poderia ser melhor. Silva se especializou em instalações elétricas e já conseguiu trabalho em uma empresa no bairro Demarchi. A renda dos pais de Silva é de cerca de R$ 1,3 mil, e o rapaz agora ganha R$ 800. “Acho que se eu não tivesse entrado no programa, hoje estaria procurando um emprego”, conta o jovem profissional.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;